Pesquisar

31 de jan de 2010

7 virtudes essenciais no perfeito Sedutor.

A milenar arte de cativar as pessoas sempre foi confundida com técnicas de dominação do lado negro da força. No entanto, seduzir pessoas significa simplesmente influenciá-las de tal modo, que façam voluntariamente aquilo que nos beneficia. Assim, todos tentamos o tempo inteiro seduzir os outros para convencê-los das nossas opiniões, ou para que deem de vontade própria amor, valor, reconhecimento, trabalho, sexo, carinho, conforto, etc.

Observa-se no teatro da vida que os sedutores chamam a atenção por obterem as melhores conquistas amorosas, os melhores empregos e as promoções mais cobiçadas. Porém, enquanto uns poucos se destacam por terem sido agraciados com o dom da sedução, outros trabalham arduamente para desenvolvê-la devorando compêndios de literatura da área “como influenciar pessoas”. No caso dos vendedores, saber seduzir é tão importante quanto o ar que eles respiram e numa festa, este poder fará a diferença entre você mofar de braços cruzados, ou ficar com aquela linda garota, colocada num pedestal pelos comuns mortais e inacessível como uma deusa.

1) Atitude = efusiante de Austin Powers.
Atitude efusiante de Austin Powers
Enquanto algumas pessoas entram num ambiente como se tivessem uma banda de Star Wars na cola, a maioria entra como um vento e sai como uma brisa. Já o sedutor, nunca passa desapercebido nos lugares e, via de regra, não deixa pedra sobre pedra nos corações e mentes.

2) Olhar = penetrante de Exterminador do Futuro.
Olhar penetrante de Exterminador do Futuro
O sedutor aprende desde cedo a focar o olhar usando a técnica do “olhos nos olhos”. Percebe-se neste quesito o quanto os tímidos tem personalidades anti-sedutoras.

3) Sorriso = contagiante de Dr. House.
Sorriso contagiante de Dr. House
Um sorriso derruba por si só 50% das barreiras existentes entre os seres humanos adultos. Portanto, não existem carrancudos possuidores do poder de sedução.

4) Bom humor = cativante de palhaço McDonald's.
Bom humor de Palhaço McDonald's
Se o sorriso derrubou a metade das barreiras, o bom humor liquida com mais 40%. Pessoas mal humoradas são especializadas em fechar portas e enterrar oportunidades. Se todo mundo tem a obrigação de ser bem humorado, no caso do sedutor, esta faculdade é o seu maior trunfo, já que as pessoas gostam de servir bem quem lhes apraz.

História macabra e suja: se você é um daqueles que gosta de se impor num restaurante pela força da sua arrogância, saiba que quando você da o maior piti para trocarem um prato, certamente a nova refeição vem enriquecida com fluídos abjetos aos olhos (para camuflar a porcaria, os garções se baseiam na máxima que diz "o que os olhos não veem, o coração não sente). Portanto, impor tiranicamente a sua vontade, além de nada ter a ver com sedução, é uma completa burrice.

5) Voz = magnetizante de Ozzy Osbourne.
Voz exótica de Ozzy Osbourne
A voz do sedutor não se impõe pela gritaria e sim pelo tom aveludado e conciliador. No livro Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien, o mago Saruman seduz e domina os seus interlocutores pelo poder magnético da sua voz. Eis uma característica imprescindível no sedutor consumado.

6) Auto-controle = apaziguante de Dr. Spock.

Auto-controle de Dr. Spock
Quem fala tudo o que lhe passa na veneta, vive dizendo asneiras. O verdadeiro sedutor policia a sua fala em ambientes sociais, para que seus pensamentos não sejam despejados em estado bruto. Pode parecer hipocrisia, mas a verdade nua e crua só abre o atalho mais curto para o olho da rua, nas circunstâncias em que dependemos do outros.

7) Presteza = creditante de Super Homem.
Presteza de Super Homem
Preste atenção num sedutor; ele está sempre pronto a ajudar (isto significa transformar as pessoas em devedoras). Não obstante os comuns mortais nunca estarem dispostos a prestar pequenas gentilezas, o sedutor tem aparentemente uma índole inesgotável para se colocar à disposição das pessoas. Se este ponto é fundamental numa seleção, ou promoção, o que se pode dizer de uma conquista amorosa, quando se sabe que as mulheres dão um dedinho por homens prestativos?

Exemplos clássicos: o sedutor abre a porta do carro para a mulher e lhe ajuda a descer, o sedutor tira a mulher para dançar e, incrivelmente, ele também comete o desvairio de lhe levar café na cama!

Leia também:
Pessoas sedutoras são piores companheiras, diz estudo [Minha notícia].

Estradas do Fim do Mundo.

A metáfora mais poderosa do périplo humano na face da terra é a estrada. Ela chega a todos os recantos e nalguns pontos termina em lugar algum. Onde a estrada termina, começa a poesia sob as asas ligeiras da imaginação instigada pelo além finisterra.

O mito das estradas é tão desafiador, que acicatou a colossal imaginação do escritor John Ronald Reuel Tolkien a destinar uma canção especificamente para elas no primeiro livro do Senhor dos Anéis, entoada na voz de Frodo:

A Estrada em frente vai seguindo
Deixando a porta onde começa.
Âncora longe já vai indo,
Devo seguir, nada me impeça;
Por seus percalços vão meus pés,
Até a junção com a grande estrada,
De muitas sendas através.
Que vem depois? Não sei mais nada.


Assim, posso asseverar que onde termina a estrada, começa o mistério simbolizador do desconhecido a permear a nossa existência.

Em algum lugar da Namibia.
Em algum lugar da Namíbia

Ann Arbor, Michigan, EUA.
Linha férrea para lugar algum
Linha férrea usada até os anos 70 pela Amtrak,empresa pública de transporte ferroviário dos EUA, para fazer a ligação entre Detroit e Chicago.

Alberta, Canadá.
Estrada para o fim do mundo em Alberta, Canadá

Todas as estradas terminam no mar.
Todas as estradas acabam no mar.

Em algum lugar dos EUA.
O fim do mundo em algum lugar dos EUA

Reykjavik, capital da ilha vulcânica polar chamada Islândia.
O fim do mundo de Reykjavik, Islândia

Quando o fim do mundo inicia em lavas de vulcão, Havaí, EUA.
Quando o fim do mundo inicia em lavas de vulcão, Havaí, EUA

30 de jan de 2010

Jogo dos 7 erros do fim do relacionamento.

Discutir o Relacionamento – DR, nunca esteve tão em pauta e talvez isto ocorra porque ninguém mais é obrigado a arrastar o casamento até que a morte os separe.

Ao sabor da onda de consultórios sentimentais virtuais deflagrada pelo Sitcom global Malhação, este Blog se debruça sobre os motivos pelos quais o tiro escuro do relacionamento/casamento cada vez mais erra o alvo.

7) Incompatibilidade de gênios.
Incompatibilidade de gênios
Esta coisa antiga e aparentemente inofensiva, é a grande peste responsável pela contaminação dos novos relacionamentos. Quando ainda no namoro, os parceiros fazem o balanço das suas concordâncias e antagonismos, a prevalência dos últimos determina o fracasso do futuro casamento (se é que chegarão lá), pois as diferenças são o combustível indispensável das calorosas DCs – discussões de casais.

Antídoto: não há antídoto conhecido pela medicina, pois este mal costuma se agravar com o tempo. O melhor tratamento existente ainda é a prevenção, explicando melhor, os casais que abreviam o tempo de se conhecer e partem prematuramente para as relações sexuais, correm o risco de passar o resto das suas vidas se arrependendo do açodamento.

6) Aversão/violência.
Aversão
A aversão, quando chega ao ponto de provocar náusea diante de odores, gestual e ruídos do parceiro, frequentemente é o estopim da violência doméstica. O poder de estrago deste erro é facilmente observável na curta duração dos relacionamentos amorosos entre parceiros brigões.

Antídoto: só uma profunda mudança de atitude de um ou dos dois parceiros dá uma chance da voltar paz reinar, afinal, quando UM não quer, dois não brigam.

5) Bebida e drogas.
Sexo drogas e rock'n roll
Todos os tipos de dependências químicas são eventos fatais que culminam na dissolução da família.

Antídoto: exceto a admissão da doença e o engajamento num tratamento psicológico/psiquiátrico, esta é uma situação irreversível. Ahhh, não importando quem é o real viciado ou viciados, a família também adoece e deve se tratar.

4) Quando os filhos foram a última ponte.
Quando os filhos são a última ponte
Fotógrafo [Jerry Reynolds]
Depois que os filhos caem no mundo, o casal que se vê sozinho em casa se olhando nos olhos. É neste momento crucial que eles vão descobrir se construíram algo entre eles. Quando depois de anos de dedicação aos filhos só restaram mágoas, ódios e ressentimentos imperdoáveis, vê-se inúmeros casais maduros descobrirem entre eles um abismo intransponível.

Antídoto: a redescoberta de novos valores entre o casal costuma funcionar, praticamente como um novo casamento.

3) Fim do sexo.
Fim do sexo
Diz-se que o primeiro fogo a apagar é o da paixão, sobrando como herança o legado do companheirismo. Após anos de convivência, o casal pode cair no marasmo e se deixar cair na extinção da chama sexual. Este erro acontece quando a renúncia ao sexo não é mútua. Neste caso, quando um dos parceiros procurar fora a satisfação das suas carências, minará as relações e poderá inviabilizar um relacionamento constituído à base de companheirismo.

Antídoto:
voltar a perder tempo com coisas fúteis a dois, ou seja, namorar, costuma reacender o fogo da paixão.

2) Fim do amor.
Fim do amor
Quando num relacionamento termina a paixão, atração física, confiança mútua e companheirismo, logicamente não há mais amor, que é a resultante de tudo isso. Resta então a empresa constituída pelo imóvel, filhos, móveis, bens e assuntos administrativos. Os casais que continuam se aturando por receio das perdas financeiras e afetivas, tanto optam pelo inferno em vida, que podem ser chamados tranquilamente de cascas vazias.

Antídoto:
preste atenção no principal sintoma dos casais frígidos - eles não se beijam mais. Portanto, voltar a praticar o beijo dá alguma esperança de atrair novamente o menino do amor.

1) Traição.
Traição
O erro da infidelidade surge como corolário de um pouquinho de cada um dos erros acima. A traição é a quebra definitiva dos contratos sociais e privados. O sintoma disso é que a maioria dos casais padecedores deste mal, nunca mais conseguem rejuntar completamente os pedaços estilhaçados.

Antídoto:
ainda não foi desenvolvido um antídoto suficientemente forte para apagar as marcas de uma traição. Mesmo que o casal continue na relação, as feridas são indeléveis e a confiança nunca mais voltará a ser a mesma. Contudo, quando os parceiros conseguem reconstruir o relacionamento sobre novas bases, as más lembranças podem servir de arrimo.

Conclusão:
Quando descobrimos que a maioria dos casais amigos se vão ao cabo de cinco anos e nos surpreendemos com a tragédia das separações, é momento de nos perguntarmos: era melhor antigamente quando os cônjuges levavam os relacionamentos até que a morte os separava, ou atualmente, quando as pessoas buscam a própria felicidade em detrimento da reprovação social?
Ou melhor, os casais antigos erravam menos e erram mais agora, ou hoje a intolerância a tais erros se radicalizou? Como o blog não tem as respostas prontas, dá a palavra aos jogadores dos 7 erros.

Leia também: 7 Pecados mortais num relacionamento.

29 de jan de 2010

Muito além dos olhos...

À primeira vista - poster

"À primeira vista" é um filme antigo, mas que merece ser assitido.

É um filme poético e muito intirgante, baseado em um caso real relatado por Oliver Sacks: um jovem recupera a visão perdida ainda na infância. Paradoxalmente, assim que volta a "ver" ele se torna mais “deficiente” do que quando era cego, pois já tinha construído todas as suas referências sem enxergar,trabalhava e morava sozinho, lia em Braile e se movimentava usando critérios não visuais, em ambientes conhecidos.

O mais dramático foi a descoberta de que ele não sabia ver, ou seja, seu cérebro não estava preparado para decodificar aqueles sinais, que desde a infância deixara de receber. Por isso, assim que voltou a ver, seu mundo estável tornou-se confuso.

Por exemplo, virou um analfabeto, pois teria que reaprender a ler e escrever, já que as imagens de letras não tinham qualquer significado. Orientar-se e caminhar em Nova Iorque, um mundo com imagens complexas, carregadas de cores e movimentos, também não foi uma tarefa nada fácil para realizar de uma hora para outra.

Através desse caso ficou evidente que a visão é uma interpretação intimamente relacionada à linguagem, através da qual relacionamos as imagens aos seus símbolos. Por exemplo, numa cena, quando um garçom lhe oferece vinho branco ou tinto ele tem que perguntar qual é o tinto, pois este é um conceito abstrato, que aplicamos a um tipo de imagem.

O caso real retratado nesse filme pode embasar o debate sobre as diferenças entre Visão e Olhar. No sentido de que o olhar é uma construção social, uma interpretação que varia de acordo com a cultura em que nos inserimos. Fica claro que o conhecimento não está nos objetos em si, mas na sua percepção, que resulta das interações entre o sujeito e seu contexto físico e social.

Outra dificuldade enfrentada pelo protagonista foi o preconceito das pessoas que não se deram conta das suas necessidades de readaptação ao mundo, da mesma forma que ocorre com quem perde alguma coisa. A falta de conhecimento, até mesmo dos médicos, que lançaram o jovem direto no mundo de luz sem uma fisioterapia adequada para reabilitar a retina, fez com que pouco tempo depois ele voltasse a ficar cego, dessa vez, definitivamente. Vale a pena ver como ele reage a isso.

Somos essencialmente visuais, mas a verdade é que não podemos ter certeza se as outras pessoas conseguem ver aquilo que estamos lhes "mostrando". Por isso necessitamos desafiar o olhar, questionando nosso interlocutor para que o mesmo interaja com o objeto e o veja como nós mesmos ou, ainda, nos mostre coisas que não havíamos percebido.

A Ficha Técnica, Elenco e outras informações do filme estão disponíveis no blog Adoro Cinema

Por: Gladis Franck da Cunha.

28 de jan de 2010

Top 5 Valores Psicológicos sobre a ótica Emo.

Apesar de haver por aí conceituações e definições sobre o estilo Emo, a maioria deles é eivado de preconceito e rejeição [por ser um movimento que acontece no interregno do rito de passagem entre a infância e a idade adulta, alimentado pelo crepitar das turbulências hormonais adolescentes] ninguém dá a mínima importância a estes pequenos sujeitos chorosos e sofredores.

Não é o caso deste Blog, que se debruçou sobre o problema e fez um extenso estudo sobre a problemática Emo e definiu as principais características que transforam seus integrantes em seres mais abomináveis do que a média dos indivíduos da sua já execrada faixa etária.

1- Submissão...
Sumissão Emo
...a outros Emos, à moda, ao Establishment.

2- Melancolia.
Melancolia Emo
Amores perdidos ou nunca realizados, animaizinhos mortos, rebeldia sem causa, tristeza em razão do preconceito social contra o Hardcore.

3- Superioridade posuda.
Superioridade posuda
Ponto nevrálgico de atrito com outras tribos, que rende aos Emos a pejorativa correlação entre a sua emotividade exaltada e um pretenso homossexualismo.

4- Ruminância ideológica.
Ruminância ideológica
Mesmo havendo um rudimento de luta contra o sistema e rejeição formal à cadeia de Fast-Food McDonald's, se é obrigado a admitir que a ideologia Emo é pusilânime.

5- Contemplação interior.
Contemplação interior
Pouca coisa exterior pode ser vista além do franjão e olhos marejados de lágrimas.

Glossário:
Rito de passagem: celebrações de mudança de status ao longo da vida do indivíduo.
Establishment: refere-se a tudo que está posto aí em termos de sociedade e cultura.
Conceito: categorização abstrata de uma entidade, objeto ou coisa.
Definição: fornece a devida delimitação teórica ao conceito, apondo-lhe um significado.
Ideologia: procure a definição na Internet se você quiser algo sério, eu particularmente prefiro a versão picaresca – ideologia é o conjunto de princípios e defeitos que você percebe nos outros.
Pusilâmine - fraco, indeciso, inútil, insosso, perdido, obtuso. Dicionário inFormal.
Hardcore: estilo musical muito cultivado pelos Emos. Foto Hardcore.

24 de jan de 2010

Top 10 comportamentos que as mulheres mais odeiam nos homens.

Dando prosseguimento ao artigo* que aborda genericamente os ódios das mulheres, o presente texto ataca os motivos mais contribuidores para as separações. Mesmo que alguns motivos possam ser aparentemente fúteis e risíveis e outros representarem maior importância, tais sedimentos cumulativos podem minar uma relação e redundar na ruptura fatal.

Se verdadeiramente nenhuma mulher se entrega a um homem à procura de paz espiritual, também é certo que o complexo mecanismo das atrações afetivas suplanta a mera busca do conforto imediato. Ao contrário, ao longo do texto você vislumbrará o alto preço pago por elas para ter ao seu lado um homem que possam chamar de seu.

10) Intolerância.
Intolerância masculina
Os homens criticam as mulheres, como se tudo o que elas fazem não valesse. Exemplo: como é sabido, as mulheres engajadas no mercado de trabalho tem 4 jornadas diárias de trabalho – trabalho formal, doméstico, correria dos filhos e... nas altas horas da noite deve estar disponíveis para as bimbadas dos maridos. Num contexto desigual destes, quando o homem chega e casa e não encontra o seu alimento predileto (cerveja) na geladeira, age como se a mulher tivesse dedicado o seu dia ao mais absoluto ócio improfícuo e contemplativo.
Leia tambem: 10 mitos difíceis de desmistificar sobre as mulheres.

9) Síndrome do final do rolo de papel higiênico.
Síndrome do fim do papel higiênico
Os homens são programados geneticamente para não repor o rolo depois que acaba. Sinto isso na pele e cada vez que acontece a catástrofe de terminar o papel higiênico nas minhas mãos, tenho que fazer um super esforço civilizatório para me lembrar de praticar esta mínima boa ação, cuja carência é para as mulheres um pecado mortal.

8) Desleixo, negligência e impontualidade.
Impontualidade masculina
Tendência generalizada a deixar as roupas jogadas pela casa, negligência com assuntos médicos referentes à própria saúde e a mania de deixar a mulher mofando horas no ponto de encontro são características eminentemente masculinas altamente reprovadas pelo espírito feminino.

7) Síndrome do efeito aerosol de urina na tampa do vaso sanitário.
Síndrome do aerosol de urina na tampa do vaso sanitário
Homens tendem a não levantar a tampa do vaso. Por isso, quando as mulheres, que forçosamente urinam sentadas, se veem compelidas a fazer uma faxina a cada uso na tampa salpicada de urina, mesmo estando no recôndito do lar.

6) Grosseria e agressividade.
Grosseria masculina
Homens costumam ser ríspidos, agressivos, gritões e detestam dar satisfações do seu paradeiro. A invenção do celular representou um terrível desmonte para o eterno álibi dos homens: não haver telefone por perto.

5) Falta de iniciativa.
Inércia masculina
Os americanos chamam o hábito dos homens de chegar em casa e se escarrapacharem no sofá na frente da TV de Couch Potato, ou pela forma de batata que eles adquirem ao longo do tempo e/ou pela avidez com que devoram pacotes de batatas fritas regadas a cerveja. O problema surge quando a mulher de um batata de sofá inventa convidá-lo para sair, um jantar, teatro, cinema e um crime lesa majestade... dançar.
Saiba mais sobre Couch Potato.

4) Flatulência, budum e mau hálito.
Homens tem Budum
Eles emitem peidos principalmente depois do sexo, exalam budum por uma combinação explosiva de desleixo e testosterona, e mau hálito porque apriori não cuidam da saúde. E as mulheres se ressentem porque são obrigadas a conviver/dormir com este “barulho”.

3) Sexo na cabeça: transformam a mulher em objeto sexual.
Homens veem as mulheres como objetos sexuais
Elas odeiam a capacidade dos homens de desviarem qualquer atitude carinhosa para o foco sexual.
Homens confundem qualquer carinho com apelo sexual
Desde a primeira paquera acontece tal fenômeno, tanto que eles costumam “convocar” as parceiras para o motel ainda no primeiro encontro.

2) Não discutem a relação.
Homens não gostam de discutir a relação
Ainda não nasceu homem apto a ficar horas discutindo ao sabor das complexidades e sutilidades da alma feminina. A exígua paciência deles em debater tais assuntos os transforma nos grandes vilões das separações, isto quando já não se anteciparam colocando na testa da companheira um belo e prosaico par de chifres.

1) Traição.
Homens botam chifres nas mulheres
As mulheres são unânimes em escolher este como o pior traço da personalidade masculina, ou seja, a tendência majoritária de plantar chifres. Eles se defendem alegando que a poligamia é um traço indissociável da sua natureza.

Conclusões:
Para as mulheres: assim como é difícil aceitar a ideia de alguém levar um touro para morar na sua casa, as mulheres que aceitam compartilhar o mesmo teto com uma usina produtora de testosterona, o fazem por motivos mais complexos do que o mero masoquismo.

Mesmo que o impulso viabilizador do casamento seja uma mistura de impulso hormonal e amor, ninguém em sã consciência se relacionaria com espécimes eivados de desvios genéticos. As mulheres que arrastam relacionamentos duradouros podem se considerar sobreviventes e exceções ao mandamento de jogar os homens no olho da rua.

Para os homens: não nos iludamos com os homens gentis, cordatos, organizados, asseados, pontuais, carinhosos, fiéis, solidários e compartilhadores, pois estes sofrem a sina de levar chutes na bunda, talvez pelos baixos níveis de testosterona. Agora, os cafajestes, fedorentos, canalhas, grosseiros, beberrões, insensíveis, violentos, gritões, irascíveis e traidores aparentemente são sucesso entre as mulheres, supostamente em razão do alto nível dos mesmos hormônios que tornam os touros criaturas indomáveis.

Aos touros virados gente, o conselho deste blog é que tentem domar a sua porção animal refreando os impulsos instintivos básicos, porque a dita de compartilhar a vida inteira com uma mesma mulher não tem preço.

Referências:
*TOP 10 Coisas que as mulheres mais odeiam, genericamente falando [Blogpaedia].
Coisas que odiamos nos homens e que eles precisam saber [Terra].

Brinquedos assassinos.

A introdução e popularização do plástico e de circuitos eletrônicos em brinquedos estão matando uma parte importante da infância: a capacidade de imaginação.

A maioria dos brinquedos de crianças que têm entre 3 e 4 anos custa pouco, é de plástico, usa pilhas e produz sons ou falas. Meu sobrinho de 3,4 anos apareceu com um novo boneco nem bem tinha passado o Natal, quando havia ganhado vários brinquedos. Apesar do ‘super-robô’ ser apenas uma quinquilharia de plástico vagabundo, já achei um absurdo, mas o que me chamou a atenção foi seu comentário ao examinar o brinquedo: “este não tem nenhum botão”, ou seja, não falava nem se movia por conta própria, tudo deveria ser imaginado.

Através dos brinquedos está-se cometendo alguns crimes contra a infância:

1- Presenteiam-se as crianças ao longo de todo o ano com montanhas de quinquilharias de plástico. Porque estes brinquedos são muito baratos. Dessa forma, se deseduca em relação à preservação ambiental, estimulando um consumismo e o descarte exagerados, pois estes brinquedinhos logo estragam, já que sua qualidade é péssima.

2- Rouba-se sua capacidade imaginativa, pois no lugar de inventar histórias e enredos próprios, as crianças usam brinquedos que fazem movimentos próprios e falam coisas por si mesmos. Isso leva a uma passividade excessiva, pois as crianças esperam pelas decisões dos próprios brinquedos, quando poderiam criar um mundo por conta própria como foi brilhantemente representado por Monteiro Lobato com sua boneca Emília.


3- Promove-se um gasto improdutivo de energia, já que tais brinquedos consomem pilhas de pilhas. Uma das questões fundamentais do planeta Terra é a necessidade de economia de energia nos setores fundamentais, quem dirá nos brinquedos.

Brincar é essencial para o desenvolvimento cerebral na infância, mas para isso o cérebro deve ser mais usado. Então dar brinquedos a uma criança é uma coisa séria, pois com eles afetamos seu desenvolvimento e educação. Os brinquedos devem ser de ótima qualidade e duráveis, estes são mais caros, mas isso é bom porque não faz sentido dar presentes a toda hora, já que as crianças que aprendem a conservar seus brinquedos vão se acostumar a cuidar de equipamentos e isso é uma qualidade bastante apreciada pelo mercado de trabalho.


Além disso, haverá um menor descarte, reduzindo a produção de resíduos sólidos. Especialmente, se deixarmos de dar brinquedos com pilhas, pois elas produzem lixo tóxico.

Os melhores brinquedos são aqueles confeccionados com materiais de melhor qualidade, que não intoxicam as crianças nem quebram com facilidade. Devem ainda estimular a imaginação ou raciocínio infantil (como os da imagem acima).

Os jogos são uma ótima opção. Já foi demonstrado, por exemplo, que meninas adolescentes que jogaram Tetris durante 30 minutos por dia, durante três meses apresentaram aumento da espessura do córtex cerebral (onde está a massa cinzenta), nas regiões relacionadas ao planejamento complexo e integração dos sentidos. Elas também apresentaram maior eficiência cerebral em locais relacionados ao pensamento crítico, raciocínio e linguagem (SBPC, 2009).


Num projeto de reformulação da educação básica lançado no final de 2009, chamado “Lições do Riogrande”, a Secretaria de Educação do RS estabeleceu como habilidades e competências essenciais: Ler, Escrever e Resolver Problemas, porque elas são um eixo central de toda a inteligência e sem isso todos os conteúdos ficam sem sentido.

Quem souber ler, escrever e resolver problemas pode aprender qualquer coisa e se torna um indivíduo com autonomia. Estas habilidades e competências dependem do desenvolvimento da linguagem, que depende em grande medida do jogo simbólico e da imitação, que são exercitados durante as brincadeiras infantis, por isso saber presentear é fundamental [1].

Se quisermos construir um futuro promissor para as crianças, no lugar de enchê-las com bugigangas e deixá-las num canto é bem melhor dar parte do nosso tempo a elas, brincando junto, criando histórias, inventando falas ou sons e demonstrando cuidados com os brinquedos. A alegria da convivência e as habilidades de imaginação, de linguagem e de cuidados aprendidos durante estas brincadeiras compartilhadas são os grandes legados que podemos lhes deixar (nesse contexto, a imagem abaixo mostra uma idéia genial para quem tem pouco espaço: uma mesa de jantar que vira mesa de jogar bolinha de gude).

Nota:
1- “Ao observar uma criança antes e depois da aquisição da linguagem, tem-se a impressão de que a origem do pensamento lógico se encontra na linguagem. Antes dela, a criança está limitada por seu campo perceptivo, através da linguagem ela se liberta do presente e insere os objetos e fatos num quadro conceitual, fazendo-nos crer que começa verdadeiramente a conhecê-los. Todavia, Piaget constatou em suas pesquisas, que não é a linguagem que explica essa transformação. Suas observações mostram que a linguagem aparece mais ou menos ao mesmo tempo em que o brinquedo simbólico e a imitação diferida surgem, implicando na existência de uma função simbólica prévia” (CUNHA, 2009).

Por: Gladis Franck da Cunha.

Referências:
SBPC. Neurociências: bloquinhos cerebrais. Ciência Hoje, vol. 45, n. 265, novembro, 2009.

CUNHA, G.F. Jogos infantis e o desenvolvimento cerebral. Diversae, 13/10/2007.

CUNHA, G.F. Coportamento humano e linguagem segundo a epistemologia genética de Piaget. Diversae, 23/01/2009.

Fonte das imagens:
Chucky por SpaceBlog
Boneca Emília por Arte da Terra
Tetris por Bilnoski.net
Mesa de jantar e bola de gude por Blog do Brinquedo
Brinquedos educativos em madeira por Santos.olx

23 de jan de 2010

Atualização das antigas propagandas de Cigarro.

Ao longo de quase todo o século XX o ato de fumar foi considerado um “hábito” para lá de politicamente correto e mais do que isto, atraia as melhores mulheres, proporcionava os ambientes mais requintados e favorecia a prática dos esportes mais radicais.

Gadget para fumar uma carteira inteira sem interruções
Incrível piteira de 1955 que permitia ao tabagista fumar uma carteira inteira sem interrupções [Life].
Em pleno século XXI, você pode constatar que quase nada mudou, apesar das propagandas estarem sendo paulatinamente banidas da face da terra (exceto da Fórmula 1), o apelo tabagista continua subliminarmente sendo veiculado na mídia, seja através de novelas, programas, filmes, ou nos reality shows. A simples exibição de pessoas bonitas fumando é incentivo suficientemente irresistível para crianças e adolescentes, justamente o público que a indústria tabagista quer seduzir para perpetuar o seu futuro, mesmo que à custa da aniquilação do futuro dos seus consumidores.

Quer conquistar a bela violinista? Basta obsequiá-la com Tiparillo mentolado.
Um Tiparillo mentolado conquista a bela violonista
Realidade atual: o principal apelo motivacional do cigarro é a atração sexual, determinando que baladas, boates, bailes e raves continuem sendo antros caracteristicamente entupidos de fumaça.

Os médicos cada vez mais preferem fumar Camel.
Até os médicos preferem cada vez mais fumar Camel
Realidade atual: Mesmo que os médicos de hoje não prefiram Camel, continuam escravos da dependência que tentam erradicar dos seus pacientes.

Obviamente você sabe qual deles fuma Lucky Strike!
Obviamente você sabe qual deles fuma Lucky Strike
Realidade atual: quando crianças e adolescentes percebem que os seus maiores ídolos do futebol fumam, estabelecem um nexo inevitável entre sucesso e cigarro nas suas mentes.

Bafore na beldade e ela será sua!
Bafore na beldade e ela será sua!
Realidade atual: parece coisa do passado, mas não é, o filtro do amor continua sendo o principal fator de incitação ao tabagismo.

O charuto desperta o homem das cavernas que existe no seu interior!
Desperte o seu  homem das cavernas interior
Realidade atual: machismo assumido que hoje vemos enrustido, o que dá na mesma, ainda mais quando temos os levitadores químicos que mitigam a impotência provocada pelo fumo.

Não esqueça de levar o indispensável pacote de cigarros Chesterfield na lua de mel!
Não esquiça o Chesterfield na sua lua de mel
Realidade atual: o mote das campanhas da década de 40 e 50 era dirigido aos fumantes inveterados, àqueles que adquiriam pacotes e principalmente aos usuários submetidos a altas exigências sexuais. Pouca coisa mudou neste campo minado que associa tabagismo e melhoramento do desempenho sexual.

Hohoho, Ronald Reagan (ex-presidente dos EUA) sabia como ninguém presentear os seus amigos com pacotes de Chesterfield!
Ronald Reagan manda pacotes de Chesterfield de natal
Realidade atual: Será que as pessoas continuam fumando e presenteando a pacotes? Acredito que sim.

Malboro, além de tudo, protege a saúde das suas crianças!
O cigarro mais amigo das crianças
Realidade atual: o grupo dos fumantes, que são ainda uma alta porcentagem da população brasileira, continuam transformando em fumantes passivos as suas crianças desde bebês, portanto, nada mudou neste quesito.

Leia também:
Mensagens motivacionais para fumantes [Blogpaedia].
Efeitos devastadores do cigarro na “saúde” dos computadores [Blogpaedia].
13 promessas obrigatórias para 2010 [Blogpaedia].