Pesquisar

29 de fev de 2012

Meu presente de aniversário: A Grande Porta de Kiev ao Piano

Esboço para um grande pórtico para a cidade de Kiev, capital da Ucrânia, feito pelo arquiteto e pintor Viktor Hartmann, que apesar de nunca ter sido construído, foi imortalizado através da música de Mussorgsky: Unreal gates and hen's feet

Meu presente de aniversário/2011 foi sui generis; ao invés dos tradicionais mimos mais ou menos supérfluos, ocorreu-me desejar coisa mais satisfatória dos colegas estudantes convidados à seletíssima festa: que tocassem ao piano.

Com quase um ano de antecedência, encomendei à minha professora de piano Regina Althaus Motta que tocasse alguns movimentos da peça “Quadros de uma Exposição” do russo Modest Mussorgsky. Ao cabo, devido à extrema complexidade da obra, foi-lhe possível se comprometer com o movimento que já lhe era familiar, o que naturalmente muito me contentou, por ser o último e encerrar de maneira apoteótica o tema Promenade.

Por ser uma peça programática, esta obra de Mussorgsky segue um script que pode ser sintetizado assim (transcrição feita do Guia do Ouvinte anexo à publicação colecionável “Mestres da Música” da Editora Abril lançada no tempo do LP):

A Grande Porta de Kiev. Allegro ala breve; Maestoso com grandeza. Hartmann havia idealizado, dentro do estilo renascentista russo, uma imponente porta para Kiev. Mussorgsky aproveitou-se da imagem para criar uma espécie de apoteose do tema Promenade. Aqui ele se transforma em um majestoso hino que, apesar da enorme exuberância, não deixa de ter seus momentos de interioridade. E o uso do pedal produz sonoridades cuidadosamente empastadas, tornando ainda mais eloquentes os materiais que encerram a partitura.

24 de fev de 2012

Amo meu marido, mas ele só se interessa por ninfetas virtuais. O que fazer?


O pesadelo do vício por pornografia avança no tecido da sociedade de orientação ultra liberal e semeia as suas vítimas entre cônjuges e familiares dos compulsivos. Vidas destruídas é tudo que podemos falar desta horripilante chaga desintegradora de lares. Por isso é tão importante o depoimento das vítimas deste processo avassalador, por isso este depoimento postado no artigo “10 Depoimentos Reais de quem perdeu tudo para a pornografia” pode ajudar as pessoas a tomarem consciência do mal antes que seja tarde, neste caso, o retrato de um homem que graças ao recrudescimento da pornografia, está se bandeando perigosamente para a pedofilia.

Dia 23 de Fevereiro de 2012 às 13h14min:
“Boa tarde,
Quero deixar aqui um testemunho aos frequentadores deste site, que está me ajudando. Tenho 29 anos e sou casada há quase três anos. Desde o início percebi que meu marido gostava de filmes pornôs. Eu tratei com indiferença, apesar de um pouco de ciúme, e confesso: de nojo também. Tentei assistir com ele algumas vezes.

Sou uma esposa bastante liberal no que se refere a sexo com ele, não lhe nego nada em relação a posições e práticas sexuais (desde que eu seja tratada como um ser humano, porque não sou um animal). Sou uma mulher bonita e desejável, também sou carinhosa, meu marido diz que sou sua razão de viver, a mulher de sua vida, e que me ama mais que tudo na vida.

Porém, o vício em pornografia a qual ele se submete está acabando com o meu amor, meu respeito por ele, e com o nosso casamento. Ele não faz mais questão de esconder que acessa sites, revistas, até mesmo quadrinhos pornográficos. Ele acessa todo tipo de lixo imundo, armazena vídeos de sexo oral, anal e outros, me parecendo ser esses dois suas preferências.

Parece não se importar com minha dor. Ele esconde isso quando temos alguém em casa, e eu sofro silenciosamente. Ele adora principalmente as ninfetas. Fica louco com mulheres que simulam serem garotinhas, com seus corpos magricelos, chuquinhas no cabelo, ursinho de pelúcia e sainha infantil. Isso já me devastou de tal maneira que penso que ele esteja a um passo de virar pedófilo. Já notei um comportamento estranho, um excesso carinhoso relacionado a meninas de 8 a 10 anos de idade.

Não gosto de pensar isso dele, que ele seja um monstro, mas é inevitável. A ex-mulher dele era muito nova. Foram viver juntos quando ela tinha apenas 14 anos, o que em minha cabeça agrava a situação. Eu o amo, mas agora, já sinto nojo, ódio, rancor, sinto que ele destrói a cada dia a vida maravilhosa que tentamos construir juntos. Já briguei, xinguei, gritei, nada adianta.

Ele não reconhece que tem problemas. Faço acompanhamento psicológico, e a minha médica me diz que tenho que aprender a me separar como pessoa dele, a minha individualidade da dele, que não tenho defeito algum, mas ele é que tem um problema. Estou pedindo a Deus forças para sair desse casamento, apesar da dor que sentirei. Mas o que ele está me causando vai acabar me destruindo e não suportarei muito.

Homens e mulheres: cuidado com seus vícios. Qualquer coisa que torne o homem à semelhança de um animal, de uma besta, e não à semelhança de Deus, deve ser banido, porque causa muita dor. Sei que vocês se sentem um lixo pelo que fazem. Mas e o que fazem com seus parceiros? Com sua família? Pensem em seus filhos. Não precisam ser escravos de algo tão sujo, chafurdarem na lama como porcos. Sexo é algo de Deus, mas o diabo perverteu tudo, fazendo com que sejam humilhados, que virem lixo humano, com que percam tudo, se arriscando em algo que não lhes traz nada de bom.”

Reflexão sobre o caso:
Cara esposa apaixonada, o seu martírio desperta poucas esperanças. Sabendo-se que o primeiro passo para o controle da compulsão é o reconhecimento da doença, por ora, o seu marido está muito longe do alcance de qualquer ajuda.

22 de fev de 2012

O corpo é a morada do Diabo


Aos medievais agradava a ideia de que o nosso corpo é a morada primeira de Satanás. Passados alguns séculos, não podemos desprezar a premissa, uma vez que deixados para trás os tempos de exaltação à virtude, adentramos na era do culto ao corpo.

Por ele todo o sacrifício é válido, até a própria vida. Por ele preenchemos os nossos interstícios de silicone, anabolizamos os nossos músculos e entorpecemos a mente com drogas em busca do gozo mais intenso.

Agorinha mesmo passei por um bêbado que mora na rua ao lado da sua garrafa de caninha. Ela lhe provê toda a subsistência, desde a água preciosa até ao ATP para as suas células. Ele vive sob o reinado do corpo, é o demônio do corpo que lhe guia os passos cambaleantes ao outro lado da rua, onde se esborracha na grama da praça e se joga nos desvarios do apagamento sem lembranças.

No caminho me deparo com outros escravos(as) do corpo, com suas panças rotundas governadas pelo diabo da gula. São tantas as instâncias de servilismo ao corpo, que me pego por instantes pensando na infinitude*. Continuo com o meu rápido passar por entre essas cenas; enquanto elas ainda cintilam nas retinas, contribuem como tema de reflexão sobre o nome que atribuirão futuramente à nossa idade; provavelmente será a “Idade do Diabo”, uma classificação justíssima! A era em que os seres humanos divinizaram o vício e satanizaram a virtude. Isto me faz lembrar um certo Filósofo Pedófilo, que paralelamente à demonização da menor suspeita de cristandade, prega a plenos pulmões a carnalização absoluta da Lilith nua.

Ainda que tivéssemos mil línguas para falar e um palato de aço, mesmo assim não conseguiríamos enumerar todos os nossos demônios cabalmente. Virgílio

21 de fev de 2012

10 gordice facts



Estou cumprindo um rigoroso programa de redução de peso de longo prazo. Já baixei o meu IMC de 27 para 24. Se isto significa que me livrei do sobrepeso e fugi da faixa frequentada por metade dos brasileiros, não quer dizer que tenha me esquecido de antigas apetências. Por isso a obesidade é uma síndrome formada de transtornos psicológicos + deficiências vitamínicas + problemas endócrinos + péssimos hábitos alimentares + sedentarismo + ansiedade + frustração + sentimento de perdedor.

Assim, sendo uma a síndrome, a obesidade apresenta invariavelmente o mesmo corolário de sintomas daquilo que já virou epidemia global, pois nos locais onde o estilo de vida dominante da dobradinha McDonalds e Coca-Cola chegam, fica decretado o aparecimento dos primeiros gordos, que formarão a futura legião gordalha, resultante da cultura da gordice tristemente afamada por fartos indícios.



17 de fev de 2012

Afinal, o que os homens devem/podem fazer na cama?


Se você se pegar na internet procurando pela frase “o que os homens não devem fazer na cama”, vai se deparar com inúmeros códices de atos proibidos; o que nos leva à forçosa conclusão: se dormir o bicho pega e se ficar acordado o bicho come.

Através das listas, aprendemos que avançar muito é fatal, tanto quanto o conservadorismo. Carícias engajadas nem pensar, assim como as etéreas demais. Roncar é um pecado e peidar é uma afronta, assim como virar para o lado e dormir como um porco é um crime lesa majestade.

Mas o que fazer para nos portarmos civilizadoramente se pesam sobre a nossa cabeça quarenta pecados mortais que nos transformam num passe de mágica em ogros fedorentos? No momento em que não podemos espremer, sugar, girar, apertar, bater, forçar, ignorar, apressar, esperar, ir direto ao ponto, perder o ponto, dormir, falhar, demorar, o que nos resta de permitido?

Durma-se com este barulho! Tenho pena dos casais novos(*) que dão importância a tais coisas e começo a entender porque os parceiros optam cada vez mais por não dividirem a mesma cama e nem o mesmo quarto. (Quiçá a mesma casa!)

Será que a pressão dos estereótipos está falseando o nosso caráter naturalmente torpe? Sei não... num mundo dominado de pretensões politicamente corretas e rejeição crescente a quaisquer atavismos naturais, está cada vez mais difícil ser homem com cabelo no peito e hospedeiro de todos aqueles barulhos mal interpretados gerados pela nossa especificidade. Quem entender este processo, que atire a primeira pedra.

(*) não necessariamente os novos de idade, mas os “novos” constituídos de solteirões; aqueles compostos de indivíduos portadores de graves sequelas oriundas de relacionamentos terminados dramaticamente.

12 de fev de 2012

Como eles veem as principais imperfeições femininas?


90% do tempo de vida das mulheres é consumido matutando sobre as famosas imperfeições contingenciadas pela natureza, tudo culpa do onipotente estrogênio.

No entanto, mesmo que elas esquadrinhem cada milímetro do seu corpo como seu fosse um mapa, os olhos dos homens quase nunca se afastam dos mesmos e escassos lugares, sem precisão milimétrica e sem com o olhar crítico com o qual elas se submetem impiedosamente.

Culotes
O que é? É o acúmulo de gordura nas laterais dos quadris.
Na visão deles: culotes são uma das coisas mais sutis de se entender! Realmente, poucos homens sabem o que é culote e eu mesmo, para escrever esta matéria, tive que pesquisar um bocado.
Pelo pouco que pude entender, são aquelas “asinhas” laterais que costumam se formar na parte lateral superior das coxas. Naturalmente, longe de denegrir, isto pode servir para aguçar ainda mais o olhar masculino.

Celulite
O que é? Inflamações subcutâneas que conferem às coxas aparência de casca de laranja.
Na visão deles: tudo é uma questão de foco – como a testosterona nos impede o funcionamento multitarefa (todo e detalhe), se realmente estamos interessados numa mulher, a topologia da celulite é simplesmente ignorada e, melhor, pode até se tornar um elemento picante na relação porque introduz tons de privacidade. Afinal, uma mulher somente expõe as suas celulites para quem ela confia, deseja, ama... e por aí vai.

Estrias
O que é? São linhas brancas paralelas que podem ocorrer na pele dos seios, pernas, barrigas e quaisquer porções anatômicas que tenham sido submetidas a processos de estiramento.
Na visão deles: só consultando a internet para descobrir o que é isto. Algo tão nefasto na visão delas, na nossa, não passa de um assunto praticamente abstrato.

Gordurinhas
O que é? Aumento progressivo da massa corporal gorda em detrimento da massa magra.
Será que os homens preferem as gordinhas? Pelo menos antigamente isto era uma verdade, num cenário em que a escassez de alimentos era a grande preocupação, uma mulher procriadora gorda tinha muito mais chances de gerar uma prole sadia.
Na visão deles: quem ama releva e quem não ama suficientemente, acaba enchendo tanto o saco com pressões do tipo vigilância do peso, que o amor acaba se desvanecendo.
No entanto, como em tudo há que se ter equilíbrio, quem ama cuida.

Seios caídos
O que é? Diz-se que os seios estão caídos quando as auréolas apontam enviesadamente para baixo.
Anatomicamente, as mamas são glândulas basicamente compostas de tecido conjuntivo e gordura. Ora, seria demais esperar que a natureza mantivesse tais estruturas duras e eretas para o resto da vida além da puberdade, exceto nos travestis... Portanto, exigir que uma mulher adulta tenha seios grandes, duros e empinados, ou é uma manifestação enrustida de pedofilia, ou traços bastante claros de preferência homossexual.
Na visão deles: um homem heterossexual portador de níveis de testosterona normais prefere um seio natural à borracha dura de traveco.

Despencamento
O que é? Efeito inevitável da passagem do tempo.
Na visão deles: nem todos os homens convivem pacificamente com este sintoma. Para estes, a melhor saída é trocar um modelo de 40 por dois de 20.
Felizmente, o homem que ama verdadeiramente não se deixa levar pelos sortilégios do tempo, uma vez que o amor é eterna até que a morte os separe. Isto é um pensamento utópico? É bom lembrar que o mundo é construído em cima de utopias.

Aviso aos navegantes: homens com "h" minúsculo que se preocupam demasiadamente com as imperfeições acima:
Tenha muito medo da classe de homens sem cabelo no peito, no suvaco, no saco, nas coxas, que pinta o cabelo, faz pilling, lipo e carrega resoluto a sua própria necessaire, pois sem testosterona navegar não é preciso.

11 de fev de 2012

Checar compulsivamente é o fim último da geração smartphone?


Nem vou me dar ao luxo de falar do vício em internet, porque tais informações já são sobejamente batidas na própria internet e nos meios de comunicação tradicionais. Neste caso, a coisa mais importante é a constatação dos fatos que estão acontecendo ao meu redor.

E a situação não está nada boa, veja, por exemplo, o cinema. Pô, aqueles minutinhos preciosos que poderíamos usar para nos desligarmos do mundo lá fora, são torrados freneticamente por compulsivos checando seus smartphones. Mesmo que o incômodo não seja audível, o distrativo rastro luminoso dos aparelhos sendo manuseados acaba irritando quem deseja tão somente imergir na experiência por qual está pagando. Será pedir demais?

E a coisa não para aí, pois recentemente numa petshop aconteceu algo que dá o que pensar sobre a queda de qualidade dos serviços prestados por compulsivos. Quando chegamos na loja o atendente estava vidrado no seu smartphone e a muito custo levantou o rosto para ouvir o pedido da minha mulher. Com um olho na freguesa e outro no aparelho, ele chegou a repetir mecanicamente o produto solicitado, como forma de memorizar algo que deveria o seu objetivo primeiro: atender eficazmente os clientes. Ao longo do atendimento, na passagem ele sempre esticava os olhos para o smarphone e posso dizer que o atendimento se alongou somente devido à sua desatenção. Uma cartela de vermífugos que ele havia partido foi reposta indevidamente à gaveta onde estavam armazenadas as demais caixas. Enquanto esperávamos pacientemente que o camarada “reachasse” a caixa perdida, fiquei matutando sobre as perdas de produtividade que os checadores impõem aos negócios.

Acho que os selecionadores de mão de obra devem começar a se preocupar em evitar a contratação de possíveis checadores de smartphones (através de testes psicológicos?). Suspeito que o vôo 447 da Air France tenha acabado no fundo do oceano Atlântico graças às decisões imbecis tomadas por integrantes da geração smartphone. Afinal, quem nunca consegue se desgrudar das minúsculas telinhas, acaba transformando seu cérebro numa pasta gosmenta e inútil incapaz de se concentrar em coisíssima nenhuma.

Pense nisso e comece a ficar com medo da próxima vez em que avistar um checador compulsivo ao volante de um carro vindo na sua direção.

5 de fev de 2012

Todos os Tipos de Pianos Acústicos e seus tamanhos


PH Piano designed by Poul Henningsen now manufactured by Blüthner
Infelizmente, em língua portuguesa existe pouco material sobre os tipos de pianos e seus tamanhos e as poucas informações são dispersas. Assim, no intuito de munir estudantes e pianistas de dados imprescindíveis na hora de eleger um piano para ser amado, compilei todos os tipos de modelos segundo os tamanhos (acompanhados das medidas imperiais, porque elas são usadas nos pianos importados), juntamente com os prós e contras de cada um.