Pesquisar

29 de jan de 2014

Split, o nome da desgraça

Até bem pouco tempo, quando as pessoas ainda baseavam suas climatizações nos velhos aparelhos quadrados que atravessavam as paredes, era fácil fugir dos climas glaciais no verão se posicionando de maneira correta na topografia do ambiente. Ou seja, bastava achar um lugarzinho cego nos estabelecimentos comerciais e casas para usufruir um pouco de conforto em ambientes absurdamente gelificados.

Hoje tal manobra ficou impossível, pois onde os Splits reinam onipotentes e onipresentes, não há escapatória possível e só resta ao vivente resistir bravamente ao mergulho vertiginoso dos 36 graus de temperatura externa para os pretensos 25 graus marcados no frio display verde dessas máquinas infernais.

Noto que as pessoas têm renunciado ao raro privilégio de possuir o sistema de regulação de temperatura mais sofisticado da natureza. Saem dos seus automóveis refrigerados e se enfiam rapidamente em ambientes refrigerados como se seus corpos fossem incapazes de acionar uma extensa maquinaria que torna as torna infensas até aos calores mais extremos.


Minha esposa afirma que estudos recentes dão conta de que os genes implicados na regulagem da temperatura corporal são os mesmos responsáveis pela longevidade. Estaremos renunciando à vida longa em benefício de uma vida de ameba? Pense nisso.

17 de jan de 2014

Tempos modernos do "não se pode mais"

Não se pode mais ficar bêbado, tem os energéticos.
Não se pode mais ficar sozinho, tem os messengers.
Não se pode mais ficar infeliz, tem o metilfenidato.
Não se pode mais ter fome, tem as comidas rápidas.
Não se pode mais ficar em silêncio, tem os headphones.
Não se pode mais suportar os contatos presenciais, tem a imersão nos celulares.
Não se pode mais engendrar contato sexual físico, tem o sexo virtual.
Não se pode mais dormir, tem os entretenimentos infinitos que tornam o sono coisa para os fracos.
Não se pode mais somente estar aí, tem os inumeráveis afazeres criados por coisas que foram
inventadas para que tivéssemos mais tempo livre.
Não se pode mais envelhecer sossegadamente, tem os anti-aging prometendo o elixir
da eterna juventude.
Não se pode mais ser menos do que melhor, aliás, não se pode estar simplesmente alegre, tem que estar exultantemente alegre, praticamente beirando o paroxismo.

13 de jan de 2014

5 testes simples de flexibilidade denunciam o estado da sua saúde

por
A elasticidade do corpo é crucial para o bem estar do indivíduo, podemos até dizer que se confunde com vitalidade e saúde. É só observar as crianças para vermos o quanto nascemos com a flexibilidade tinindo e, na medida em que passa o tempo e caímos nos maus hábitos, vamos enrijecendo e adentrando a idade do condor, com dor aqui, com dor ali, tudo fruto de um modo de vida pautado pelo sedentarismo.

Para aquilatarmos o nosso estado atual de enrijecimento, trago aqui as seguintes posturas, algumas delas preconizadas pela Yoga e artes marciais.

Encostar as mãos cruzadas nas costas
Tente fazer as duas posições possíveis. Se não consegue fazer é porque há problemas de sobrepeso ou obesidade. Também pode haver problemas nas articulações, ou tratar-se simplesmente de um corpo não afeito a rotina de exercícios.
Foto: getahead

Sentar sobre os pés
Posição que confere grande bem estar e sensação de vitalidade. Pessoas bastante sedentárias tendem a sentir muita dor nos pés e pernas devido ao grande dobramento dos membros inferiores. A falta de sucesso nessa posição denuncia problemas de retenção de líquidos (inchaço), má circulação sanguínea, afecções articulares, etc.
Foto: Yogiebunny

Encostar a testa no joelho
Apesar de ser uma posição extremamente simples de se fazer, os possuidores de abdômen avantajado (barrigudos) não conseguem alcançar o joelho com a testa, portanto, é um sério indicador de síndrome metabólica.

Tocar a ponta dos pés com os dedos sem dobrar as pernas
Possuir uma coluna plenamente saudável é um dos requisitos básicos para a felicidade! Essa posição denuncia o estado da coluna do indivíduo. O insucesso pode denunciar desvios, hérnias, desgastes, o famoso bico de papagaio, etc.

Ficar de cócoras com os pés retos no chão
Conseguir ficar de cócoras por tempo indeterminado é um grande indicador de boa saúde. Os sujeitos que não conseguem deveriam se preocupar mais com a folha corrida de exercícios e menos em tentar virar batata enraizada na frente da TV. Além dos orientais, as crianças dão provas de que essa posição é a mais naturalmente descansante.

Há solução para quem descobriu que está mais calcificado do que cavalo marinho?
Sabe-se que uma parte do que podemos batalhar em prol da nossa saúde provém do exercício físico.
Portanto, abandone o máximo que puder o carro e a motinho, troque as maratonas na frente da TV nos fins de semana por passeios no parque, abandone elevadores e escadas rolantes, ande mais a pé ou de ônibus, pratique Tai Chi Chuan, Yoga, Pilates, artes marciais ou outro exercício organizado, etc.


Porque um dom maravilhoso que o corpo tem é o de recuperar rapidamente o tempo perdido, basta colocá-lo na "pilha" que ele reage na medida em que é tratado com carinho e respeito.