Pesquisar

31 de mai de 2015

Jogo dos 7 erros dos Espaços Vida Saudável da Herbalife



Desde meados de agosto de 2010 frequentamos eu e a minha esposa os Espaços, também chamados de EVS. De lá para cá, além dos muitos quilos a menos, acumulamos experiências que quero dividir com vocês, pois neste meio tempo acompanhamos de perto o fechamento de 7 EVS.

- Um espaço desses, ao contrário do que os novatos pensam, se estabelece através da tradição e do ganho de confiança ao longo dos anos. Vimos alguns exemplos de EVS que queriam estourar a boca do balão em poucos meses e se deram mal, os resultados não vieram com a presteza esperada e eles se desiludiram. Esses tipos fecham as portas me menos de 6 meses.

- Aumentar muito os custos do EVS é contraproducente, colocar Zumba, Wi-fi, TV, poltronas confortáveis, Split e outros confortos, apesar de agradar aos frequentadores, onera demasiadamente o negócio e acaba inviabilizando-o.

- Começar a agir fora das diretrizes deter,omadas pela Herbalife, além de deformar o objetivo do EVS, costuma gerar antipatias de outros Distribuidores Independentes. Uma dessas condutas é estabelecer no EVS um serviço de delivery, por exemplo.

- A concentração dos chás é um assunto muito pessoal. Alguns clientes gostam de um ou outro mais diluído, enquanto outros gostam deles mais concentrado. Como o antepasto dos chás é um passo decisivo para a satisfação com o shake, os EVS deveriam dar mais atenção na customização dos chás para cada cliente, inclusive alguns preferem com meio copo de água. Por ser um assunto delicado, vejo com reservas a prática de servir em bombonas, conforme você verá a seguir.

- A questão das bombonas para os chás é muito controversa. Eu pessoalmente não gosto de chá feito em grandes quantidades e deixado lá por horas. Acho que o gosto não fica bom e normalmente a concentração fica abaixo do chá servido individualmente. O ideal é oferecer sempre ao cliente a alternativa do chá misturado na hora.

- O EVS que começa a aumentar a proporção de gelo em detrimento do shake e proteína está assinando a sua sentença de morte, pois os clientes começarão a sentir fome lá pelas 3 ou 4 horas da tarde, quando o certo seria sentirem fome às 6 da tarde. Outrossim, a diminuição da qualidade sempre implica em perda de movimento no espaço.

- Oferecer produtos alheios à Herbalife pode acontecer no interior dos EVS. Pode ter certeza que nesses casos o EVS não chega a durar 6 meses.

- A longevidade de um EVS está diretamente ligada à sua regularidade. Todos os EVS com atendimento intermitente, porque TODOS os seus operadores decidem que deve ir aos treinamentos nos mesmos dias, estão com os dias contados. O frequentador que dá com a cara na porta normalmente não tem todo do tempo do mundo para se reprogramar e ir a um outro EVS. Isso é muito importante! EVS que não está aberto nos dias anunciados, que atrasa a abertura, que fecha mais cedo, está repetindo a mesmíssima fórmula do fracasso de tantos outros.

- Convidar comedores compulsivos em fase de recuperação para uma pizzaria é extremamente contraproducente. Vimos isso num EVS, que organizava jantares de confraternização com cardápio totalmente destoante dos menus sugeridos pela Herbalife. É o mesmo que convidar ex-alcoólatras para confraternizar numa cachaçaria. Naturalmente a experiência foi um desastre, pois os obesos se perderam depois da recaída patrocinada pelo próprio espaço que tinha obrigação de zelar pelos bons hábitos alimentares.

- Panfletar na entrada o elevador de um edifício que já tem um EVS é no mínimo falta de ética. Além disso, demonstra uma vontade insaciável de aliciar clientes a qualquer preço, mesmo ao custo das regras de boa convivência e respeito mútuo. Logicamente que um EVS com práticas tão agressivas tem vida curta.

- Contrair um exército de dívidas (que acabam se tornando impagáveis) junto aos clientes e outros distribuidores independentes da Herbalife é a fórmula certeira do fracasso, mesmo que o EVS esteja momentaneamente vivendo uma fase de sucesso.

- Localizar o EVS em cima ou ao lado de um restaurante, lancheria ou padaria não dá bom resultados por dois motivos: os clientes novos, que ainda não se acostumaram com o tempo de saciedade, provavelmente vão sair do Espaço e se dirigir diretamente ao local de alimentação convencional para "calibrar as calorias". Já os frequentadores habituais, que mudaram seus parâmetros alimentares, se sentem incomodados com os fortes odores oriundos dos estabelecimentos mencionados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário