Pesquisar

30 de jan de 2013

Tragédia de jovens choca mais porque é a idade certa de se morrer estupidamente

 por
- Santa Maria!
Nunca nos últimos tempos essa santa esteve tão em evidência. Centenas de jovens que morrem amontoados, pisoteados, asfixiados e queimados atraem as atenções dos "especialistas" de ocasião que acorrem para fazer análises superficiais e condenações precipitadas. No entanto, prefiro me ater a questões mais ontológicas.

Algum tempo antes da ocorrência da tragédia da Boate Kiss da cidade de Santa Maria, minha esposa desenvolvia nas suas aulas a tese de que os jovens atuais estão sofregamente sedentos por festas. Segundo ela, o corpo humano não tem estrutura suficiente para aguentar o repuxo de tantas baladas, por isso torna-se imperativa a recorrência massiva aos energéticos, álcool e aos mais variados tipos de drogas.

Os jovens vivem no período da vida caracterizado pela sensação de imortalidade onde tudo é permissível, possível, cabível e desfrutável, sem nenhuma preocupação com as consequências futuras. Por isso há uma idade certa de se morrer estupidamente e o trânsito nos faz lembrar o quanto essa lição é real.

Mesmo reconhecendo que os jovens apresentam tendências imanentes à autodestruição, a sociedade se choca profundamente quando os rebentos do seu futuro são ceifados às centenas ao mesmo tempo, no mesmo lugar. Alguns se perguntam, que anjos do Senhor lançaram com tanta indiferença o raio da morte sobre tantos jovens em pleno gozo das suas máximas capacidades físicas e mentais? Também me pergunto sobre os desígnios de Deus e só me ocorre a resposta de que eles são imperscrutáveis pela nossa vã filosofia.

Talvez essa tragédia sirva para que os pais reassumam um pouco o seu autêntico papel de refreadores de desejos. Todos sabem que é chato controlar, proibir, cercear, mas o jovem quando se vê entregue fatalmente à sua própria mercê, acaba agindo com a cabeça prevaricadora do diabo.

Talvez os pais tenham se tornado amigões e companheiros demais e educadores de menos, tudo para não se passarem por velhos rabugentos, assim como eles viam os seus próprios pais. Contudo, eles foram sobreviventes num mundo cão, enquanto seus filhos, usufruidores de todos os desejos e fantasias, talvez não tenham chance de ultrapassar a idade certa de se morrer estupidamente.

3 comentários:

  1. Gostei do texto Isaias, mesmo discordando quando generaliza. Não concordo que os jovens tenham tendências imanentes à autodestruição, e sim uma parcela pequena deles, também não acredito que para aguentar o repuxo de tantas baladas, como se fosse todos os dias, eles recorram aos energéticos, álcool e outras drogas. Concordaria se fosse dito que isto ocorre com ALGUNS jovens.
    Tenho tres filhos de 34 a 17 anos, e todos sempre foram nas baladas, e junto com os amigos e amigas de colégio, cursinho, etc, são uma amostragem grande. E nunca nós e os pais dos demais filhos tivemos qualquer problema com drogas. Mas sempre comentavam que viam alguns que se drogavam, fumavam, etc, mas eram MINORIAS.
    O titulo está perfeito, realmente esta idade é exatamente a perfeita para se morrer estupidamente, não existe qualquer justificativa para morrer jovem.

    Muito bom texto, manda mais.

    ResponderExcluir
  2. Assunto já desgastado e devidamente explorado pelos jornalistas. Como sempre, eles adoram explorar sofrimento alheio. Não se conformam enquanto não tiram a última gota de uma matança, crime bárbaro...

    ResponderExcluir
  3. Enquanto os jovens viverem em busca do prazer, vão estar à beira da morte, seja por doenças ou acidental, porque a mídia diz que eles podem beijar e transar com quem quiserem, mesmo sendo proibido por Deus, afinal quem se importa com o que Deus pensa? Deus nos proíbe para nos proteger e não para nos fazer sofrer, então alguns me dizem: mas porque Deus nos coloca desejos e nos impede de satisfazê-los? Deus não põe desejos em ninguém, cada um é tentado pela sua própria cobiça quando esta o atrai e seduz Tiago 1.14. Então a cobiça, depois de haver concebido, dá a luz o pecado; e o pecado; uma vez consumado, gera a morte. Tiago 1.15. Neste sentido a bíblia fala de morte espiritual, quando Adão e Eva pecaram, receberam o bem e o mal em seus corpos, por isso todo ser humano não regenerado tem a morte inerente em si, e deseja o pecado, e seu corpo é infestado por desejos de todos os tipos e categorias, e um desejo satisfeito gera outro desejo, é infinito, o ser humano não pode parar de pecar sem a presença de Deus, sem a regeneração por meio de crer em Jesus como seu salvador, todos irão pro inferno, porque são filhos do diabo, veja o que a bíblia diz:Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio.Para isto se manifestou o filho de Deus, para destruir as obras do diabo. 1º João 3.8 Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, também aquele que não ama a seu irmão 1º João 3.10

    ResponderExcluir