Pesquisar

15 de jul de 2014

Se chegamos ao piano definitivo para quê precisamos de outras sonoridades?


As inovações de hardware e projeto de escala introduzidas pela firma Steinway foram tão tremendas e definitivas, que podemos afirmar que TODOS os pianos são mais ou menos steinways. Graças aos aprimoramentos técnicos, hoje podemos afirmar com certeza que o piano é o rei dos instrumentos! No entanto, quando se pensava que todos se contentariam com a sonoridade definitiva, surge uma tendência revisionista no século XX de retorno às raízes. Então, imperiosamente a presença do cravo se fez necessária, assim como diversos outros instrumentos de teclas que veremos abaixo, nem todos vêm para atender à demanda de peças do passado, mas também para se prestar à exploração de sonoridades exóticas por autores contemporâneos.

E isso é muito bom, pois se toda a unanimidade é burra, todo o monopólio é péssimo para os nossos sentidos tão achincalhados pela institucionalização do volume de som abusivo. Como a indústria descontinuou ao longo da história a fabricação dos instrumentos aqui elencados, eles vão sendo reconstruídos artesanalmente com base nos exemplares existentes e nos projetos remanescentes dos tempos em que o barulho ainda não era interpretado como música. A propósito, há alguns luthiers trabalhando incansavelmente por esse Brasil afora, justamente construindo instrumento esquecidos através da história.

Fortepiano
O antecessor do piano moderno tem um som delicado, cristalino e intimista, devido à o seu quadro feito em madeira e aos martelos revestidos de camurça, mais estreitos do que o recobrimento de feltro grosso adotado hoje. Como soa no fortepiano uma sonata expressiva como a Appassionata de Beethoven? Para os meus ouvidos acostumados a trovões e relâmpagos, otimamente!

Cravo
Quem se interessaria pelo volume débil do cravo e sua inexistência de dinâmica? Acredite que não são só os revisionistas estão a revalorizá-lo, como também compositores atuais do porte de um Philip Glass (ouça seus consertos para cravo e orquestra) e outros.

Cravo-pedal
O cravo-pedal foi usado nos tempos áureos do período barroco como uma alternativa para se estudar órgão em casa, ou por indisponibilidade, ou pelo desconforto causado pelo frio dos longos invernos europeus. Atualmente, estão aparecendo álbuns executados nesse instrumento extinto e o bacana disso é o ganho em nitidez de conhecidas peças de órgão ecoadas nesse aparato menos ressonante.

Piano una corda
A maioria das notas do piano moderno é composta de três ou duas cordas. Como soa um piano que tem apenas uma corda por nota? Há um nicho garantido para este piano reduzido, feito sob medida para quem precisa de um piano acústico portátil.

Lautenwerk (cravo-alaúde)
Um instrumento extinto dotado de sonoridade mágica é esse! Ainda bem que ele ressurgiu nos dias de hoje para atender peças como esta, que foi escrita originalmente para alaúde e transcrita para cravo.

Claviorganum
Você não vai acreditar na combinação deliciosa de sonoridades que um claviorganum pode dar! Nascido da mescla dos projetos de um órgão reduzido e um cravo, o que permite inúmeras combinações,  é difícil entender porque  tamanha preciosidade foi esquecida pelo gosto estético da civilização. O mais famoso cravista do século XX Gustav Leonhardt gravou um álbum inteiro executando peças de vários compositores nesse instrumento.

Piano-Pedal
Um propugnador deste instrumento é Roberto Prosseda. Imaginemos empilhar dois Steinways de concerto modelo D, destinando a um deles os graves profundos, enquanto o outro se encarrega das demais tessituras! É um instrumento “simples” conceitualmente (desde que você tenha dinheiro suficiente para comprar dois grand pianos) que pode desempenhar perfeitamente a literatura para órgão sem recorrência a transcrições.

Clavicórdio
Único instrumento de tecla capaz de produzir vibrato. Apesar do débil volume sonoro, emite uma sonoridade transparente e agradável.

2 comentários:

  1. Excelente matéria, para mim que sou afinador de pianos muito me acrescentou quanto o processo evolutivo no aspecto estrutural e sonoro ao longo do tempo e os antecessores do piano que ai acima, foram exibidos, com sonoridades peculiares bastante interessantes. O parecer e o tema sugestivo do autor acima é de suma importância. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que a mentalidade moderna tenha simplesmente abandonado linhagens de instrumentos tão ricas!

      Excluir