Pesquisar

24 de mar de 2015

Piano de cauda ou vertical qual é o melhor? Depende do tamanho das cordas



Não se pode absolutamente falar que um é melhor a priori do que outro. Sabemos que os pianos de cauda pequenos enfrentam problemas na área das leis da física que são insolucionáveis (leia aqui  sobre isso).

Também sabemos que a qualidade acústica de um piano depende do comprimento das suas cordas. Ora, para um piano de cauda bater o comprimento de cauda dos pianos de armário ele deve ser bastante grande. Porém, praticamente não vemos informações sobre a equivalência de tamanhos entre pianos de cauda e verticais baseada no comprimento das suas cordas.

Felizmente, o projetista de escala Delwin D. Fandrich publicou no fórum Piano World uma tabelinha de equivalência que cai como uma luva nas nossas dúvidas!

Tabela de equivalência de tamanhos de pianos de cauda e verticais baseada no comprimento das cordas:

¼ de Cauda tipo crapô até 150 cm de comprimento equivale a um vertical tipo espineta até 91 cm de altura
Tanto os pianos de cauda muito pequenos, quanto os verticais espineta não são mais muito vistos por aí. Por apresentarem diversas deficiências acústicas e mecânicas, caíram no desgosto dos usuários. Tais modelos acústicos de pequeno porte foram abandonados porque as pessoas com pouco espaço em suas casas passaram a optar por teclados eletrônicos.

¼ de Cauda Baby Grand 150 cm até 160 cm equivale a um vertical tipo apartamento de 107 cm a 114 cm
Veja que um piano pequeno de 109 cm, classificado como de entrada nos portfólios das fábricas, já “dá banho” em um de ¼ de cauda!

½ de Cauda Médio de 170 cm equivale a um vertical tipo estúdio de 121 cm
A diferença de preços entre os dois tipos é assustadora, no entanto, em termos acústicos a coisa é muito mais equivalente do que supomos. Logicamente, um fator que conta, e muito, em favor dos pianos de cauda é a sua mecânica disposta horizontalmente, quesito que aumenta a tocabilidade exponencialmente!

½ de Cauda tipo parlour de 180 cm equivale a um vertical tipo profissional de 132 cm
Então concluímos que só a partir de 180 cm de profundidade o piano de cauda passa a se diferenciar e superar seus congêneres de armário em termos de extensão de cordas e potência acústica.

Por isso vemos muita gente afirmar que não troca o seu bom (grande) piano vertical por qualquer piano de cauda, pois quando as pessoas comparam com pianos de cauda menores do que o seu (de acordo com a tabela de equivalência), acabam descobrindo empiricamente que são instrumentos de menor envergadura acústica.

Concluindo, se um sério estudante de piano opta em investir bem menos num piano vertical profissional, ele será servido muito bem por longos anos até que ele tenha necessidade real de partir para um piano de cauda que realmente faça a diferença. Neste caso, a tendência dele ao fazer o upgrade será partir para um piano de cauda semi-concerto de 220 cm (7 pés).

Nenhum comentário:

Postar um comentário