Pesquisar

14 de nov de 2012

Balada, convulsão e fotoepilepsia

por Isaias Malta
Minha mulher foi convidada para uma festa a fantasia. Ela arranjou as fantasias e me convocou, uma vez que de meu próprio motto não vou a festas. Chegado o dia, lá fomos nós fantasiados de palhaça e zorro. Tão logo adentramos ao recinto, constatamos os dois ingredientes fundamentais das baladas: música ruim em volume insuportável e luz estroboscópica feérica piscando o tempo inteiro.

Como sofro somente com ruídos (e graças à isso atulhei os ouvidos com bolinhas de papel higiênico, pois tinha esquecido em casa os atenuadores), não levei a sério quando 5 minutos depois a mulher disse que não estava se sentido bem e precisava sair. Vale lembrar que não tomamos nenhum gole de bebida alcoólica e nem fizemos uso de qualquer droga!

A realidade é que depois que saímos, não voltamos mais para o olho do furacão. Depois de uns 20 minutos sentados num banco em baixo de umas árvores sob o sossego noturno, acabamos indo embora.

Em casa, depois de matutar um pouco, fui na internet e pesquisei sobre o fenômeno ocorrido e me deparei com uma enxurrada de depoimentos de pessoas que têm convulsões sob o efeito de luzes estroboscópicas, jogando videogame, vendo animações no computador, etc.

Descobri que a pessoa que passa mal com luzes piscantes padece de fotoepilepsia que pode redundar em convulsão fotoepilética, ou seja, se a pessoa não cessa a exposição ao elemento desencadeador, ela começa a ficar tonta e chega a tombar no chão desacordada.

Os relatos de desmaios achados na internet foram muitos, quando pesquisei no Google os termos "balada convulsão".

A cura que a minha mulher vai aplicar doravante é abstenção completa de baladas. Da minha parte, fico feliz por isso, porque odeio música excessivamente alta que costumam tocar nas baladas, mais ainda quando o conteúdo alterna entre três gêneros odiosos: Techno, pagode e funk.

Aos padecedores de fotoepilepsia um aviso; não brinquem com o assunto, pois a cada episódio convulsivo uma pequena área do seu cérebro dá adeus à vida.

Saiba mais sobre fotoepilepsia:

2 comentários:

  1. Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no site agregador de conteúdo dos Blogueiros do Brasil (( http://omelhordos.blogueirosdobrasil.com/ )).

    Será publicado em 19/11/12 , no decorrer do dia.

    IMPORTANTE : As visitas aparecerão no
    Google Analytics e em outras ferramentas
    similares como originadas na URL
    http://ads.tt/ .


    Abraços cordiais.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse post, ajudara muitas pessoas que possum este terrivel problema!

    ResponderExcluir