Pesquisar

20 de fev de 2013

Travestização feminina finaliza o ideal grego do corpo perfeito

por
Num dia desses, eu e minha mulher atravessávamos o centro de carro e avistamos uma loira de parar o trânsito caminhando bamboleando toda bombada. Logo falei que "ela" tinha um "abacaxi" entre as pernas, entretanto, minha esposa entendeu que eu me referia aos músculos hipertrofiados que a obrigavam a andar de pernas abertas, crente que contemplava uma criatura originada das costelas de Adão.
- Não, minha querida, ela não é bem "ela" porque tem até um fio de cavanhaque.
Então a querida retrucou:
- É que agora as mulheres do carnaval estão exatamente assim, bombadas e siliconadas, impossíveis de distinguir dos seus ancestrais travestis.

Então meu bem a conclusão é que, se por um lado ao longo dos anos os travestis gastaram fortunas para parecerem mulheres, as mulheres hoje investem mundos e fundos para se tornarem cada vez mais parecidas com travestis.

Destarte, a moça saudável da foto, por mais condizente que seja com o ideal grego, jamais seria convidada para o posto de rainha de bateria de escola de samba.

Não me interessa o destino das rainhas de bateria, mas interessa muitíssimo o rumo da espécie humana, que está trilhando a passos largos o caminho da inversão sexual. Será que algum profeta predisse que nos tempos do fim as mulheres se masculinizariam e os homens pareceriam cada vez mais com mulheres (depilados, meigos e pilotando cuecas justíssimas que mais parecem calcinhas)?

Quando o estado da arte estético somente é alcançável via operações plásticas, próteses, anabolizantes e anfetaminas e horas intermináveis de maromba, conclui-se que a energia sexual das pessoas está no ponto de esgotamento, quando a tendência à inversão se transforma em imperativo categórico.

5 comentários:

  1. Ha ha ha. muito boa Isaias. Mas pode ficar tranquilo que a humanidade não está ameaçada. São um ínfima minoria que estão assim, só que aparecem muito, exatamente pelo forte apelo exótico que fazem.
    Não entendi o que quisesse dizer com "...ancestrais travestis" Espero que os meus não tenham sido assim.
    Abraço.
    Mello

    ResponderExcluir
  2. Ancestrais travestis... auhahuauhahuauhahuuahhuaa! Boa essa!

    E não é assim, mesmo? Sim é, para o desgosto dos mais apegados a um estado padrão de sexualidade, imperativo ao seu próprio tempo, contudo, é preciso reciclar a aceitação das diferenças e, principalmente, o surgimento de cada vez mais delas, estando seguro de si e procurando por seus iguais ou menos desiguais. ;-)

    Agora, convenhamos; que tristeza isso...vergonha alheia.

    ResponderExcluir
  3. O século 21 está sendo marcado por bizarrices. Mulheres parecidas com homens, seios falsos do tipo "quanto mais empedrados, melhor", músicas descartáveis, falta de talento nas composições, filmes ruins, decadência de filmes hollywoodianos, programação de TV de baixíssima qualidade, invasão de protestantes na TV aberta.

    ResponderExcluir
  4. Explicação sobre "ancestrais travestis": ironia sobre o antigo objetivo dos homens que se travestiam de mulheres para parecerem mulheres.

    ResponderExcluir
  5. Penso que mulheres musculosas perdem a feminilidade. A mulher já é bela por si só, que digam as pinturas renascentistas onde não se sabia o que era celulite. As pessoas tem que parar de cultuar um único padrão de beleza, devem pensar em ser saudáveis, e não massa de manobra da mídia. Penso que as pessoas deveriam se preocupar em ser melhores,nos relacionamentos sociais, no humanismo e na cultura.

    ResponderExcluir