Pesquisar

2 de ago de 2013

Quadros de uma exposição de Mussorgsky com piano afinado em lá=432 hz

por
Através do grupo do Facebook Pianos e Teclas tomei conhecimento de uma particularidade sobre o assunto diapasão, assunto recorrente entre os apreciadores de música clássica. O vídeo a seguir foi postado sem maiores explicações e acho que ele ilustra o quanto o padrão de afinação atual do Lá em 440 hz se distancia da nossa percepção orgânica de harmonia.

Vamos dizer assim, com o vídeo tornei-me um "crente" à primeira reza e saí correndo à cata de mais informações sobre os benefícios do antigo sistema de afinação que foi abandonado justamente em meados do mais conturbado século da história humana.

Há softwares que permitem o rebaixamento da frequência de referência de músicas já gravadas, tais como o Foobar2000 e o Audacity, ambos gratuitos. Porém, no arquivo processado com esses algoritmos, dificilmente é recriada a sutil ressonância das frequências harmônicas.
A melhor solução seria afinar o instrumento em 432 hz, um piano no nosso caso, que requer a intervenção do afinador. Por ora, enquanto não vem o afinador aqui em casa para proceder o rebaixamento do nosso piano, decidi buscar outro caminho para ouvir conhecidas músicas de outra maneira.

Uma alternativa bacana é usar um piano virtual afinado em 432 hz para reproduzir arquivos MIDI tocados em tempo real por pianistas humanos. Contudo, a solução não foi simples assim, já que o sistema operacional Vista vem com suporte MIDI. Então, consegui um imenso soundfont de 30 Gb do piano Fazoli produzido pela Imperfect Samples. A seguir, fui atrás de um motor VST para carregar o soundfont, no caso, o plugin Kontakt.

Só que como o plugin não funciona em modo "stand-alone", tive que ir atrás de um sequenciador reprodutor de mídias que fosse compatível com o plugin acima mencionado da Native Instruments. Primeiro testei o Reaper, mas não gostei. Depois de testar outros, acabei simpatizando com o Cantabile Performer.

No fim, a coisa de afinar o piano em A=432 hz foi a tarefa mais simples, pois bastou configurar no plugin Kontact a "Master Tune" de 440 para 432.

Os arquivos midis originais foram baixados do excelente repositório de música clássica Kunst der Fuge. Interessante notar que neste site há as execuções ao vivo de midi que são assinaladas com o selo "STANDING MIDI LIVE COLLECTION". Ou seja, não foram produzidos por sequencialmente automatizado e sim por pianistas humanos. Há inclusive arquivos MIDI preciosos que foram transcritos dos antigos rolos usados pelas Pianolas. Pianistas de renome tais como Paderewski, Busoni, Glenn Gould, Rachmaninov, Arthur Rubinstein, Josef Hofmann, Vladimir Horowitz, Ossip Gabrilowitsch e muitos outros deixaram suas gravações imortalizadas em arquivos cujas execuções podem ser "vestidas" com o piano que você quiser, bastando possuir no seu computador a estrutura adequada de reprodução. Tais gravações se encontram no diretório: Piano Rolls – Historical recordings scanned into MIDI support

Minha grande curiosidade sobre os alardeados benefícios dos 432 hz recaiu sobre a peça Quadros de uma Exposição de Modest Mussogsky, executada brilhantemente pelo premiado pianista japonês Katsuhiro Oguri, devido à complexidade harmônica, grandes contrastes e uso intenso de todas as possibilidades dos pedais.
Nem falarei sobre o meu maravilhamento resultante do padrão A=432 hz, deixo a seguir o testemunho vivo da minha experiência.



Link direto parte 4

Quem quiser fazer o download dos MP3 pode usar a facilidade do site DownGoEar usando os links diretos.

A execução do último movimento "O Grande Portão de Kiev" me foi dado como presente de aniversário pela professora de piano em 2012, tocado num piano de 1/2 cauda Bösendorfer - link aqui.

Um comentário:

  1. Conheci essa obra através de uma versão do "Emerson, Lake and Palmer"...

    ResponderExcluir