Pesquisar

19 de jun de 2012

Afinação rosa: sonho de estudante de piano


Um estudante de piano dormia embaixo de uma árvore, quando o seu espírito protetor viu vagueando por aquelas regiões astrais o vulto de J. S. Bach. Então, num ato de ousadia chamou-o a si e lhe perguntou se poderia dar um presente musical àquele estudante que jazia relaxado na relva macia.

O velho Bach pensou longamente por alguns momentos e disse:
- Não tenho o poder de dar-lhe ouvido absoluto ou o virtuosismo supremo com as teclas, mas posso lhe conceder a "afinação rosa".
- Afinação rosa? Exclamou o espírito protetor intrigado.

Sim, a capacidade de sentir alegria com a música, não importando o quão árduos forem os estudos e tão duras as dificuldades. Veja bem, a maioria dos grandes músicos, dotados de plenos dons inatos concedidos por Deus, consomem suas vidas na ânsia descomunal de atingirem a perfeição. Contudo, não a buscam para servirem de melhores veículos à vontade Dele e sim para se sobressaírem diante dos bajuladores, ou seja, para alimentarem ainda mais os seus egos inflados.

Então o bom velhinho olhou lá para baixo e, se compadecendo com a figura inerte, disse:
- Provavelmente daqui para frente ele sofrerá alguns efeitos colaterais, tais como marejar os olhos de lágrimas ao ouvir alguns trechos dos Grandes Mestres, sentirá uma reverência profunda pelos píncaros que a humanidade atingiu num Beethoven, Mozart, Vivaldi, Hendel, Chopin, Scarlatti... (aqui se nota a máxima modéstia do Mestre de não ter citado o próprio nome, pois, como ele próprio esclareceu, considera a sua contribuição bem singela, haja vista que havia composto coagido pela obrigação do seu ofício de mestre Kantor e  as outras milhares de peças que compôs foram com fins unicamente didáticos).  Isso não impede que a humanidade o tenha como realmente o Maior e de julgar que não haverá outro compositor capaz de iguala-lo e muito menos supera-lo.

No mesmo instante em que Bach concedeu o Dom, o estudante de piano se mexeu num ato involuntário e sorriu, enquanto a sua cabeça se inundava com os acordes solenes da cantata 178 (Wo Gott der Herr nicht bei uns hält), que é musicalização do Salmos de David nº 124:
Se não fora o Senhor, que esteve ao nosso lado, (Wo Gott der Herr nicht bei uns hält)
quando os homens se levantaram contra nós;
Eles então nos teriam engolido vivos, quando a sua ira se acendeu contra nós;
Então as águas teriam transbordado sobre nós, e a corrente teria passado sobre a nossa alma;
Então as águas altivas teriam passado sobre a nossa alma.
Bendito seja o Senhor, que não nos deu por presa aos seus dentes.
A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos.
O nosso socorro está com o nome do Senhor, que fez o céu e a terra.

Doravante, o estudante de piano passou a usufruir do dom da alegria de escutar, reverenciar, estudar, fuçar, respirar e comer música todos os dias da sua vida. Mais do que possuir ouvido absoluto e virtuosismo consumado, o seu grande tesouro foi não se deixar abater pela frustração de não conseguir, de não ser melhor do que os outros ou até de ser o pior de todos. Na sua qualidade subalterna de servo da música ele viverá assim o resto da vida e, provavelmente, colha o derradeiro fruto através do privilégio de morrer escutando a meditativa melodia do coral Alle Menschen müssen sterben (todos os homens devem morrer).

3 comentários:

  1. Cara! De novo falando de pianos!
    Véi na boa... Cê tá com problema! E é muito sério!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não falo só de pianos, falo de MÚSICA, um valor praticamente destruído neste país de merda, que prefere gastar bilhões, talvez trilhões de dólares com futebol, mas investe zero em educação e menos ainda em artes. Então, sim, continuarei batendo na mesma tecla e isso me torna imensamente feliz, por aproveitar a oportunidade de falar para gerações de surdos de nascença, portadores de amusia - a pior deficiência que uma pessoa pode padecer na vida.

      Excluir
  2. Como eu fiquei feliz de ter lido esse texto!!

    '' Mais do que possuir ouvido absoluto e virtuosismo consumado, o seu grande tesouro foi não se deixar abater pela frustração de não conseguir, de não ser melhor do que os outros ou até de ser o pior de todos.''

    Estava triste por saber que nunca seria um virtuose e muito menos um grande compositor. Por isso esse texto foi consolador para mim. Acredito que essa alegria que senti ao ler essa mensagem seja um passo para a obtenção da Afinação Rosa na minha mente e no meu coração.

    Obrigado.

    ResponderExcluir