Pesquisar

23 de jun de 2011

Prefeitura de Bento Gonçalves afunda o projeto "Música Brasileira Concertos"

A rica cidade turística de Bento Gonçalves, localizada na encosta da serra do nordeste do Rio Grande do Sul, conseguiu atingir os píncaros da mediocridade em termos de incentivo à música erudita.
Bento Gonçalves acha que isto é um piano digital.
Fomos agraciados pelo projeto "Música Brasileira Concertos" com a presença da emérita pianista Loraine Balen Tatto, uma notável intérprete e estudiosa do acervo pianístico de autores nacionais. O que gerou uma grande expectativa em assistir um recital em que uma pianista de carreira internacional iria trazer ao palco alguns nossos autores clássicos, tais como Heitor Villa-Lobos, Alberto Nepomuceno, Lorenzo Fernandez, Francisco Mignone, etc.

Contudo, sabedor que a administração da nossa cidade sempre foi um zero à esquerda em questões culturais, temia pelo pior. Esta cidade, apesar de rica e jactante da sua pujança industrial, é tão pobre pobre de marré deci, que o único piano público está localizado coincidentemente no prédio da Casa das Artes onde foi dado o recital. Trata-se de um alquebrado piano de armário Fritz Dobert doado por uma alma caridosa no tempo do onça, que jaz num canto qualquer em estado sujo e empoeirado, sem investimentos de qualquer espécie.

Por isto, pensamos eu e a minha professora de piano que os digníssimos arautos da Casa das Artes demandariam um pequeno investimento em limpeza, regulagem e afinação no Fritz Dobert para receber uma intérprete do porte da Loraine Tatto.

Estávamos no Hall da sala do concerto quando o terror se materializou diante dos nossos olhos sob a forma de um rapaz que entrou na sala carregando um teclado eletrônico... aí começamos a temer pelo pior.

Quando adentramos a sala de cinema, onde o concerto se realizaria, nos deparamos com uma cena dantesca: o maldito tecladinho montado, tendo na sua frente a cadeira que eles tiveram a gentileza de surripiar do Fritz Dobert lá de cima. Em cima do alto-falante esquerdo do teclado havia um microfone conectado a uma caixa amplificada multiuso. Compreendi que eles usaram um microfone para captar o som terrível gerado pelo teclado, ao invés de conectar diretamente na saída, porque senão a pianista teria ficado sem retorno, pois a caixa amplificada estava virada para o público.

Como era de se esperar, o recital proporcionou uma tortura interminável para os ouvidos. O teclado murrinha da marca Casio, modelo Privia, que qualquer mané compra a preço de banana numa loja Multisom da vida, não aguentou o tranco. A sua amplificação medonha engasgou e a caixa amplificada multiuso Watisom (pertencente à Casa das Artes) deu o toque final abrindo as pernas numa cacofonia infernal.

Ora, qualquer ser minimamente versado em música deveria saber que NENHUMA caixa amplificada multiuso se presta para amplificar o som de piano. Para pianos digitais existem modelos específicos de caixas, logicamente mais caros. Confesso que pensei que aquela porcaria toda fosse vir abaixo durante a execução em fortissimo da “Dança Africana – Jongo” de Lorenzo Fernandez, tamanha era a ruideira.

A grande piada da noite foi saber que o Projeto Música Concertos aceita, nas cidades que não possuem piano, que o recital seja realizado num piano eletrônico. Ora, conforme você pode conferir no material de divulgação de algumas cidades nos links abaixo, por sinal a maioria delas muito mais pobres do que Bento Gonçalves, todas elas disponibilizaram um piano acústico. Neste quesito, Bento Gonçalves fez questão de baixar além do sofrível, já que alocou à guisa de “piano eletrônico”, um teclado de quinta categoria, praticamente um brinquedo, para brindar a plateia com um misto de chiadeira e ruídos.

Até quando algumas cidades brasileiras confundirão cultura com coisa das elites? Para você ter uma ideia do concerto que NÃO tivemos, trago aqui a performance da pianista Loraine feita num piano de verdade numa cidade de verdade.


Releases dos receitais dados dentro do ciclo “Música Brasileira Concertos”
Bento Gonçalves – RS. (Engana que eu gosto!)

Sânto Ângelo – RS.
Concerto de piano com Loraine Balen Tatto será no dia 29 de março. 

Videira - SC
Videira recebe o projeto Música Brasileira Concertos.

Blumenau - SC
Concertos de Outono apresenta Recital de Piano pelo Projeto Música Brasileira. 

Pomerode- SC
Pianista Loraine Balen Tatto estará no Teatro Municipal

Passo Fundo - RS
Projeto “Música Brasileira Concertos”

São Miguel do Oeste - SC.
Pianista Gaúcha de renome internacional se apresenta em recital.

3 comentários:

  1. que lástima, fiquei realmente decepcionado com tal relato... eu não imaginaria que algo desse tipo poderia ocorrer em alguma cidade, mas infelizmente aconteceu...

    ResponderExcluir
  2. Participei de um Master-Class em P.Alegre ministrado pela pianista e já conhecia sua perfeita técnica e brilhante interpretação da música erudita brasileira. Passando o feriadão em Bento, fui ao concerto. Sem dúvida o instrumento deveria ser outro, mas... assim mesmo ela conseguiu realizar o concerto e transmitir todo seu talento.
    V.S.-Profa- piano- P.Alegre

    ResponderExcluir
  3. Professora,
    nós, sabedores que a Casa das Artes possui um piano de verdade, lamentamos profundamente que a entidade não tenha disponibilizado verba para afiná-lo. Não, a administração preferiu alugar um brinquedo de plástico de algum camaradinha do Partido (PT), a pagar um afinador profissional.
    A outra opção teria sido alugar um piano digital de verdade, no mínimo um Clavinova da Yamaha e contratar pessoal especializado para fazer a amplificação.

    ResponderExcluir