Pesquisar

6 de jun de 2011

Sintomas de crianças intoxicadas com açúcar branco refinado.

Nossa pequena homenagem às nossas mães-monstro de cada dia
Não há mãe que não queira os seus filhos alegres e confortáveis, e para conseguir este intento, elas sempre estão dispostas a fornecer uma droga simples e de fácil obtenção, no entanto, com efeitos devastadores sobre o organismo dos petites.

A popularização do açúcar branco na dieta infantil veio como corolário das mudanças sociais ocorridas ao longo do século XX, quando as mães, cada vez mais ausentes dos lares devido à sua inserção no mercado de trabalho, desenvolveram o sentimento de culpa devido ao déficit afetivo. Criou-se assim um círculo vicioso de compensações que começam na grande oferta de guloseimas e terminam no provimento ilimitado de presentes, achando que todos os esforços valem a pena quando se trata de justificar a crônica falta de tempo.

Ora, as mães deveriam saber que a introdução prematura do açúcar na dieta infantil, se por um lado acarreta “n” alterações metabólicas nocivas, por outro, provoca nas crianças os mesmos estágios experimentados no consumo de drogas pesadas. Ou seja, no jogo do toma-lá-dá-ca das sensações que vão desde o onírico à depressão, os pais são os vetores introdutórios de um vício que nunca mais será remediado na vida do sujeito. Por ora, nem vamos especular sobre o adágio popular: as drogas leves levam necessariamente às mais pesadas, talvez, um dos motivos de termos um aumento vertiginoso na legião de drogados e prostituídos.

Fases emocionais da dependência ao doce veneno:

Excitação.
Tão logo ingeridos os alimentos adocicados tais como balas, sorvetes, bolos, refrigerantes, bolachinhas, pirulitos, mamadeiras, etc, uma sensação deliciosa de prazer, conforto e plenitude toma conta do cérebro da criança, provocando uma sensação de bem-aventurança que premia as mães e as incentiva a renovarem as sessões de drogadição

Languidez.
Passado algum tempo, sobrevém o estado de letargia, que continua agradando às mães, pois as crianças ficam sonolentas e apáticas, sem muita vontade de aprontarem e se sujarem em brincadeiras vigorosas e barulhentas.

Choro inconsolável.
O famoso vídeo que circulou na internet do menino que chora pela morte da formiguinha é um típico exemplo do efeito da ressaca provocada pelo efeito pós-ingestão de açúcar branco. Logo, TODAS as crianças viciadas em açúcar mergulham em alguns períodos do dia em choros incontroláveis e soluçantes. É quando começa a escassear nos centros de prazer do cérebro as fortes emanações de dopamina e opioides gerados pela farta ingestão de sacarose.


Melancolia.
Uma vez superado o choro, se a mãe não socorre imediatamente o pequeno infeliz com uma nova dose da sua droga favorita, ele sucumbe a uma crise de melancolia e letargia, que pode levar à depressão. Infelizmente, as famílias são terrivelmente más e acorrem prontamente para prover aos pequenos viciados as doses necessárias para atravessarem o dia de humor mais ou menos bom, ou seja, pouco reativos e pouco reclamadores da indispensável presença da mãe ao seu lado.

O futuro legado pela irresponsabilidade das mães-monstro.
Uma pessoa criada dentro do doce círculo vicioso apresentará sequelas pelo resto da vida. Para não nos restringirmos aos efeitos imediatos das cáries, acne, obesidade infantil, triglicerídios elevados, hipertensão, projetaremos a coisa para o futuro: a farta ingestão de guloseimas nos primeiros anos de vida predispõe e “programa” os centros de prazer cerebrais a exigirem cada vez mais. Isto quer dizer que as mães-monstro programam seus filhinhos queridos para serem adultos portadores de volúpia incontrolável pelos prazeres da mesa, cama, festas, orgias, dinheiro e... das substâncias químicas legais e ilegais.

Por isto, não fica difícil entendermos porque estamos na era das compulsões dos mais diversos tipos, afinal fomos formados para sermos drogados por natureza.

PS: enquanto a caravana passa, os nossos “especialistas” em nutrição vaticinam que o açúcar branco é essencial na alimentação infantil. Ora, isto é a quintessência da burrice, pois sabendo-se que os pequenos necessitam de energia, ela pode ser obtida perfeitamente nas fontes naturais de frutose disponíveis nas frutas, mel, açúcar de cana mascavo, cereais integrais, etc. Melhor ainda, se a sobrevivência da nossa espécie dependesse do açúcar refinado, a nossa civilização já deveria ter sucumbido ao longo dos milhares de anos de história pela falta deste produto, que só foi introduzido na dieta no início da revolução industrial, já adentrando o século XX.

Aprenda mais sobre os efeitos do doce veneno:
Açúcar branco veneno branco!!!
O que é o Sugar Blues?

7 comentários:

  1. É meio exagerado se pensarmos de forma imediatista, porém é real e assustador. Já sabia que o açúcar refinado fazia mal, mas depois que li o link “Açúcar branco veneno branco!!!”, a coisa é bem pior do que eu pensava.
    Myself.

    ResponderExcluir
  2. Isaías, se você tem filhos deve saber o quão difícil é evitar que o açúcar branco seja consumido por eles. No meu caso, particularmente, não sinto a menor culpa em trabalhar fora e deixar meu filho na creche. Compenso minha ausência em forma de carinho e atenção nos parcos momentos que temos durante a semana. Não o compenso com balas ou doces, mas também não o furto de consumir uma vez ou outra na vidinha dele. Creio que o importante é equilibrar - e isso é uma arte a ser aprendida - de forma a não quebrar uma rotina de alimentação saudável. Criança que não come doce, pelo menos as ocidentais, só se forem doentes. Então, que elas sejam ensinadas de forma moderada, porque há casos de castrações na infância que debandam em glutões na fase adulta.

    Quem não come balas e doces é Sportacus do Lazytown. E ele é um saco (veja meu post a respeito lá no amadavi.blogspot.com).

    ResponderExcluir
  3. minha filha está com um ano e três meses e até agora conseguimos mantê-la longe do açucar e seus veículos, e vamos levar assim até os dois anos e depois tentar fazer o melhor, será o melhor presente que poderemos dar pois levará para a vida toda, e também mais tarde será mais fácil para sair do vício, e se mantiver assim até os dois anos já considero uma vitória, pois é uma luta contra todos, nossa sociedade é super ignorante ainda em relação principalmente ao açucar branco. E agora também temos a legião dos papais discursos, que possuem informação são ótimos nos discursos, mas na hora de lutar contra o capeta, preferem fazer o que dá menos trabalho.
    Bom seria não ter que ter esse tal de equlíbrio com o açucar não, porém é claro que não se pode proibir, pois as cosequências são piores, mas o que acontece mesmo é que usam isso como justificativa porca para dar todo tipo de doces para as crianças desde os primeiros dias de vida.
    p.s. Oi Isaias, só estou coseguindo postar como anônimo, toda vez que entro pede para que eu abra um blog, não entendi se mudou alguma coisa, abraço, Cesar

    ResponderExcluir
  4. Isaias Malta10/06/2011 09:24

    Cesar, você está legando à sua vida o maior dos tesouros que ela vai agradecer o resto da vida.
    Os pais caem na tentação do açúcar branco porque é mais fácil e a satisfação dos seus filhos é infinitamente maior do que fazer o contrário.
    Então, numa vida marcada pela falta de tempo e carência afetiva, fornecer a heroína infantil chega a ser um caminho imperativo.
    Não sei o que está acontecendo com os comentários, por exemplo, estou comentado usando a opção Nome/URL e está funcionando bem no Chrome.

    ResponderExcluir
  5. Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no site agregador de conteúdo dos Blogueiros do Brasil (( http://omelhordos.blogueirosdobrasil.com/ )).

    Será publicado em 20/11/12 , no decorrer do dia.

    IMPORTANTE : As visitas aparecerão no
    Google Analytics e em outras ferramentas
    similares como originadas na URL
    http://ads.tt/ .


    Abraços cordiais.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom e interessante o post obrigado!!

    ResponderExcluir