Pesquisar

14 de out de 2011

Qual será o Controle Remoto do Futuro?

Muita coisa mudou desde o lançamento dispositivo universal de auxílio aos preguiçosos, estamos falando do prosaico controle remoto, que começou com um fio e logo depois incorporou a tecnologia do infravermelho na qual estamos até os dias de hoje.

Todavia, assim como a vida do mouse está prestes a findar, o controle remoto tradicional está com os dias contados, uma vez que existem várias alternativas tecnológicas em prontidão para substituir o nosso velho companheiro de cada dia. E... reparem, que cada uma delas promete ser mais camarada com o sedentarismo do que as outras.

Integração via dispositivo comunicacional
As pessoas já não largam os seus smartphones nem para ca*** e vão largar menos ainda quando os aplicativos de controle remoto se popularizarem.

Controle Gestual
Uma dos conceitos é usar inteligentemente a imensa gama de possibilidades oferecida pela nova interface gestual da Microsoft, o Kinect, e transformá-lo em controle remoto. Já existem alguns hacks, alguns toscos e outros criativos. Este aqui é meio inimigo da ociosidade, pois obriga o cidadão a levantar o bundão da poltrona. Posso garantir que, por enquanto, tal traquitana não pega entre os blogueiros gordos.

Controle gestual de aspirador de pó: o sonho realizado de aprendiz de feiticeiro
Já pensou se o famoso aspirador robótico chamado Roomba inventa de enlouquecer?

Voz
O verdadeiro visionarismo está plasmado no filme Blade Runner de 1982, onde a máquina analisadora de fotos (Esper Machine) é comandada por voz! De lá para cá pouca coisa mudou, pois as interfaces fonéticas nunca saíram do papel, apesar de termos tecnologia para tanto – talvez os ociosos tenham preguiça até de abrir a boca.

Pensamento
A verdadeira revolução na arte de controlar artefatos tecnológicos à distância é aproveitar a força do pensamento. A possibilidade mais espetacular contida nesta alternativa está no fato dela conseguir libertar da cadeira de rodas os paraplégicos e os totalmente desabilitados, através da implementação de exoesqueletos controlados pelo pensamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário