Pesquisar

11 de out de 2012

O efeito-alavanca das teclas determina a tocabilidade nos pianos de cauda Baby

Encontramos na internet textos que dão conta do quanto um piano de cauda pequeno pode ser pior do que um piano vertical grande, tanto em termos de sonoridade quanto em responsividade do mecanismo. Não entendi esta premissa até o momento em que achei este elucidador artigo no site Piano Buyer que faço uma versão abaixo, que aborda a questão da variável profundidade nos mecanismos dos pianos pequenos. Só aí as coisas se clarearam e pude compreender porque as pessoas podem pagar três vezes a mais por um piano de cauda e levar para casa um resultado acústico bem aquém do que seria esperável por tamanho valor*.
Comparação da força necessária para o acionamento da tecla nos 2 tamanhos nas regiões anterior e posterior
O conforto proporcionado pelo teclado do piano é diretamente proporcional ao comprimento total das teclas, ou seja, a distância entre a sua extremidade frontal e o final da peça localizado no interior do piano. Quem brincou nas aulas de física com alavancas do tipo gangorra, sabe que quanto maior é o seu comprimento, menor força será necessária para movimentar a gangorra.
No caso dessa distância ser curta, que ocorre devido à limitação de espaço característica dos pianos de ¼ de cauda de comprimento abaixo dos 1,55 m, dependendo do projeto, há uma degradação no controle do toque quando a tecla é acionada perto do tampo do teclado (posição necessária para tocar acordes).

Os fabricantes resolvem de maneiras diferentes a questão do estabelecimento do comprimento total das teclas nos seus projetos, decisão que pode afetar sensivelmente a tocabilidade dos pianos pequenos. Em relação aos instrumentos com teclas dotadas de menor efeito alavanca, a falta de controle das teclas, quando tocadas na sua parte posterior, deficiência que já representa um entrave para pianistas iniciantes e eventuais, torna-se um problemão para pianistas avançados e desejosos de expressar nas músicas todo o seu potencial interpretativo.

Por isso, na hora de adquirir um piano de cauda pequeno, é extremamente recomendável que você teste exaustivamente a sua capacidade de controlar as teclas tocando acordes cromáticos com os dedos posicionados entre as teclas. Quando for a uma loja, não fique com vergonha e leve consigo a sua pasta de partituras e não se iniba de tocar trechos de peças que você esteja estudando. Às vezes, justamente essas passagens trôpegas podem ser decisivas na hora de definir qual é o seu piano ideal, aquele que realmente irá atender as suas necessidades.

Referências:

*  Não podemos generalizar, pois cada fabricante adota o seu método particular para contornar as limitações de tamanho dos pianos de cauda tamanho baby. Cabe ao usuário escolher a melhor solução.

Um comentário:

  1. Amigo, por favor diga o seu endereço e eu levo um médico até aí prá cuidar de você. Essa sua fixação com pianos já é doentia demais.

    ResponderExcluir