Pesquisar

26 de out de 2012

Pianos de aglomerado?

por Isaias Malta
A fartura de madeiras nobres se esgotou há anos no planeta. Como a manufatura de pianos depende umbilicalmente da farta oferta de madeiras de excelente qualidade*, os fabricantes buscaram alternativas para enfrentar o problema. E o uso de diferentes tipos de aglomerados tem sido a solução. Assim, o maior ou menor uso desses materiais extremamente abundantes e baratos é um dos ditadores do abismo nos preços existente entre os pianos de baixo custo fabricados em massa no oriente e os caríssimos instrumentos tipo high-end feitos artesanalmente.

Além de definir o preço, o uso de LDF, MDF e HDF influi também, como não poderia deixar de ser, na qualidade sonora do piano. Por isso, na hora de comprar um instrumento, não podemos deduzir que um piano de barbada só tem esse preço porque o dono da loja está sendo bonzinho.

Tampo de piano de cauda
Até os caríssimos pianos europeus de alto pedigree utilizam aglomerados na confecção dos tampos. Tal procedimento se justifica diante da grande pressão exercida por entidades ambientalistas em nome da preservação dos recursos naturais. Diga-se de passagem, o tampo feito de MDF em nada afeta a projeção do som, exceto ser bem mais pesado de manusear. Portanto, não estranhe se você descobrir esse material no seu dispendiosíssimo piano de cauda (naturalmente, o fabricante jamais mencionará tais pormenores nas especificações).

Teclas
Curiosamente, um afinador encontrou teclas confeccionadas em HDF (High-density fiber) num piano vertical Kawai. Tradicionalmente num piano bem construído, as teclas são feitas de abeto (spruce) alpino. Seria catastrófico se sobre o teclado fosse derramado qualquer líquido, acidente que não é difícil de se imaginar em pianos domésticos e de bares.

Tabuleiro do teclado
Pelo mesmo motivo exposto acima, não é recomendável que a madeira que serve como fundo do teclado seja de aglomerado, contudo, alguns pianos baratos usam MDF nesse lugar crítico para a longevidade do piano.

Tampo harmônico
Segundo as palavras do afinador Francisco Motta: Em alguns pianos de baixo custo foram utilizados compensados especiais no próprio Tampo Harmônico, por exemplo: Yamaha e Baldwin. No Brasil foram utilizados até compensados comuns de Virola, como se pode observar no M. Schwartzmann.
Fiz uma pequena manutenção num Schwartzmann desses que ainda andam por aí e garanto que aquela coisa foi uma das puras enganações aplicadas pela antiga e famigerada indústria nacional de pianos.

Estrutura
Principalmente nos pianos verticais, os fabricantes cada vez mais ousam (eventualmente abusam) nos aglomerados, especialmente no fabrico de peças curvas. Contudo, as partes responsáveis pela integridade estrutural (exemplo: colunas), e aquelas que contribuem para sonoridade (caixa) não deveriam ser de aglomerado.

Resumindo, se você verificar nos sites dos fabricantes, não verá nenhuma menção ao uso de aglomerados, simplesmente encontrará omissão onde porventura houver. Por outro lado, em relação aos componentes confeccionados em madeira, o fabricante ostenta em letras bem destacadas "madeira maciça" nas especificações, fato que o mercado percebe como um sério indicador de alta qualidade.

Num dia qualquer vi numa loja de instrumentos musicais da minha cidade um pianinho de armário Suzuki (nome que tenta ganhar uma certa respeitabilidade na carona do método de ensino musical japonês, quando na realidade integra o time dos pianos chineses da mais pura ralé). E o pouco que vi é impressionante em termos de baixa qualidade e fragilidade.  Como seria esperável, na sua estrutura pululavam componentes de aglomerado, fato que nos fornece um paradigma de avaliação bastante objetivo: no estado da arte atual, a proliferação de componentes feitos de aglomerado é sintoma gritante de baixa qualidade.

* Por causa de determinados pianistas não aceitarem a sonoridade empobrecida dos pianos novos, uma vez que as suas entranhas desconhecem as antigas castas de madeiras nobres, o mercado de pianos usados continua a florescer e a praticar preços absurdos até por pianos cuja capacidade de produzir som decente já se extinguiu devido ao término da vida útil das suas partes acústicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário