Pesquisar

19 de mai de 2011

11 indícios que te fazem um vampiro.

Por que os Vampiros nunca somos nós e sempre os outros? Você pode ser um sugador de energia psíquica alheia e não suspeitar minimamente desta condição maldita. Portanto, vamos contar a mesma história do post anterior* sob o ponto de vista dos olhos avermelhados do outro lado.

A temática vampira nunca esteve tão em moda, na arte e nos papos psicológicos coloquiais. No entanto, há um tabu enraizado neste assunto: o pronome mais ouvido quando se fala “deles” são sempre “eles” e nunca nós.

A principal causa da inexistência de vampiros confessos provém de um misto de orgulho e inconsciência. Orgulho, porque pensamos sempre o melhor de nós mesmos e inconsciência, porque quase nunca vislumbramos os reais efeitos dos nossos atos.

Contudo, nada poderá mudar o fato de que muitos leitores deste texto são vampiros psíquicos consumados e nunca sequer desconfiaram disto. Assim, para acabar com o véu de cegueira, enumerarei alguns sinais inequívocos que te denunciam aos quatro ventos:

1- você vive frequentemente situações em que tem certeza que está sendo sugado: esta é uma das principais características dos vampiros, a paranoia constante de perder energia para os outros, portanto, faça uma retrospectiva dos seus medos mais recorrentes;

2- as pessoas se queixam do seu baixo astral: se a voz do povo é a voz de Deus, preste atenção nas brincadeiras dos seus amigos e nos motivos que os levam a abandoná-lo;

3- você gosta de levar uma “lembrancinha” da casa dos outros: vampiros adoram se apossar de objetos de poder. Se você, quando chega na casa de alguém, se sente atraído irresistivelmente por alguma coisinha e acaba pedindo-a, cuidado! Isto exemplifica a capacidade dos vampiros de alimentarem com a intimidade embebida nos objetos pessoais doados ou extraídos das suas vítimas;

4- você costuma ser pivô de separações: se a sua vida é marcada por um histórico de roubos de parceiros amorosos alheios e depois você se desinteressa por eles sem mais nem menos, não há dúvidas, você é vampiro!

5- você tem a tendência de ficar “forever alone”: você é aparentemente interessante e bacana, mas acaba levando um belo chute na bunda de todo mundo. A pergunta a ser feita é porque os seus parceiros amorosos e amigos terminam fugindo da sua convivência;

6- você aluga as pessoas: a simples característica de ser um chato já fornece por si mesma um forte indício de que há algo de podre no reino da Dinamarca;

7- você é carente, demasiadamente carente: vampiros são TODOS extremamente carentes. Portanto, é um sério indício quando você se fixa na aura dos outros até deixá-los com mal estar – eis a verdadeira sina dos carentes crônicos – que pedem conselhos eternamente e nunca adotam nenhum deles;

8- você se apega desesperadamente a determinadas pessoas: neste caso, observe o tipo de relação doentia de dependência que você desenvolve com algumas pessoas. Se uma delas eventualmente para de lhe ligar, ou passa a evitá-lo e você sofre terrivelmente, então é hora de acender a luzinha vermelha;

9- você é um poço de problemas e vive descarregando-os em cima dos seus confidentes: imaginemos o cenário em que você procura as pessoas só para desfiar as suas confusões, com se elas não tivessem seus próprios problemas.

10- você lança mau-olhado com extrema facilidade: todas as pessoas consideradas “olho grande” são vampiros psíquicos – observe o seu impulso de desejar o mal para as pessoas que não dão o que você se acha merecedor;

11- ciclicamente você troca de parceiro(a) amoroso(a) e o fato que se repete com os(as) “ex” é que eles(as) entram na relação lindo(s) e exuberantes, mas saem desmazelados(as) e envelhecidos(as): quando isto acontece com as mulheres, fala-se em síndrome do Anjo Azul (em homenagem ao filme alemão que conta a história de um professor que se apaixona perdidamente por uma prostituta e entra numa rota descendente de decadência e desgraça). Quando acontece com homens, fala-se em complexo de Dom Juan, em homenagem ao personagem romanesco que abandonava as suas amantes à desgraça, depois de tê-las usado e se lambuzado sexualmente.

A conclusão óbvia é que, não obstante sermos todos mais ou menos vampiros, alguns tem o vampirismo como linha psicológica mestra, sem que seja preciso incorrer em todos os itens apontados acima, pois o enquadramento marcante em um deles já é elemento suficiente forte para disparar o alarme. As dicas foram dadas e se você é um vampiro e se recusa a cair na real, que Deus tenha piedade da sua alma.
Eu não tenho certeza, você tem?

*Cuidados com os Vampiros Psíquicos e como escapar das suas garras.

5 comentários:

  1. Ola, tudo bem??

    Você já conhece o Griloo? O único Agregador de links com Top Ranking da Web? Pois é, agora você tem mais um meio para divulgar seu blog e acompanhar diariamente o seu desempenho, é bastante fácil e simples, basta você se cadastrar, e preencher as informações do seu blog, e enviar seus links diariamente.

    Você está convidado para conhecer o Griloo, nos aguardando você!

    MSN: msn@griloo.com.br
    E-Mail: contato@griloo.com.br

    http://www.Griloo.com.br

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Super me identifiquei com o post, nunca tinha prestado atenção nas minhas tendências vampirísticas.
    Parabéns pelo blog, beijo.

    ResponderExcluir
  3. Omg sou uma vampira rsrs me identifiquei com todas !!

    ResponderExcluir
  4. quando eu li isso senti uma coisa estranha...

    ResponderExcluir