Pesquisar

2 de abr de 2012

Calendário do gordo: a cronologia do fracasso anunciado


Na qualidade de cumpridor de um rigoroso e sem prazo determinado programa de redução de peso, me sinto à vontade para falar sobre as idas e vindas de gordos e gordas ao longo do ano. De acordo com as minhas observações, ou somos culpados, ou as guloseimas criam vida e nos coagem às orgias! 

O excesso de peso é o maior problema que contemplamos nas ruas e nos círculos íntimos de amizade.  
Todos os meus amigos e conhecidos adentrantes à casa dos 40 enfrentam em menor ou maior grau o grave problema da obesidade que está devastando a urbe moderna.

Janeiro: as promessas
Já aconteceram as piores tragédias alimentares nos 2 meses anteriores, então o gordo se propõe a começar vida nova na busca de corpo novo. Então no dia 31 de dezembro ele começa a pensar em dieta, reeducação alimentar, academia, etc.
O diabo é que este mês tem imensos 31 dias e com eles as malditas férias e viagens, ruína de todo o gordo que se preze.

Fevereiro: férias e carnaval é hora de mandar tudo às favas!
Passado o impulso inicial do ano novo, ninguém vai iniciar dieta no mês de cair na folia. Sorte que, por ser um mês “magro” por excelência, dá menor chance ao gordo de anarquizar a balança.

Março: esperança de recomeço
Opa, opa, dizem que o ano novo começa em março, logo, o gordo se imbui novamente de abstrair as pirações alimentares e se concentrar na famosa “vida nova” que foi esquecida em janeiro. Então, ele paga adiantado 3 meses de academia, marca consulta com o nutricionista... de fato, aparentemente começa a encarar a realidade dos fatos dos muitos quilos a mais.

No entanto, na medida em que março se aprofunda, as energias do gordo vão ralo abaixo. Em primeiro lugar ele nunca foi visto na academia. Pode ser até que tenha aparecido um dia, mas fugiu espavorido quando viu que lá só tinha magros malhando alucinadamente. O papelzinho que a nutricionista lhe deu jaz esquecido n'alguma gaveta do criado mudo e ele não fala mais sobre o assunto. Além do mais, o gordo já começa a se preparar para a grande efeméride da gordice universal: a páscoa, afinal pensa ele, ninguém é de ferro!

Abril: você já viu alguém iniciar um programa de emagrecimento antes da páscoa?
A páscoa é a maior data, despois do natal, tributária da gordura. Observe qualquer gordo e descobrirá que ele NUNCA manifesta grandes intenções de emagrecer antes do coelhinho botar os ovos adocicados.
Para os habitantes dos estados sulistas começam as primeiras friagens e com elas o esmorecimento de qualquer plano sério de emagrecimento. Jantas com amigos, pizzas gordas e outras distrações tornam este mês curto para o grande arranque lipídico rumo ao inverno.

Maio: não é levando a mãe para se empanturrar que você emagrece!
O próprio fato do dia das mães é sintomático: o gordo leva a mãe a um restaurante para comer, comer, comer. É um presente tão arraigado que, que no 2º dia de maio nunca há restaurante disponíveis nas cidades. (Em tempo: minha mulher já avisou que se a minha mãe resolvesse aparecer neste mês fatídico, certamente ela seria levada zelosamente ao espaço vida saudável da Herbalife para tomar 2 copões de chá e 1 shake!)

Junho: em pleno frio, dieta, que dieta?
Entre fondues de chocolate, creps, pizzas, batatas fritas, lazanhas, vinhos e outras iguarias, quem viu um gordo ainda honrando os compromissos assumidos na virada do ano? Qual nada, ele está de olho lá na frente quando setembro chegar!

Julho: nos sonhos calientes de inverno não cabem restrições e privações
Não é no auge do inverno que o gordo botará a cara na rua para suar numa academia. Enquanto isso, as jantas fartas caseiras e nos restaurantes (porque se é para comer, o gordo sai pra rua mesmo que seja embaixo de chuva de canivete) amealham os quilos que farão os olhos do gordo esbugalhar de pavor na frente do espelho em plena entrada da primavera.

Agosto: só depois que o frio acabar...
O gordo pensa que ainda não é tempo de encarar uma vida de sacrifícios e privações e continua deixando o barco correr, se deixando aproveitar intensamente as estada hipercalóricas nas praças de alimentação, restaurantes, churrascos caseiros, etc.

Setembro: mês de ouro de gordo atleta ocasional da perda de peso
É o mês oficial do gordo arrependido.  Ele(ela) começa a ver que a primavera é uma realidade e com ela começa a pressão do corpo desnudo, preparação para a tortura da praia. Naturalmente o gordo se matricula na academia e paga mais 3 meses adiantados, eventualmente se interna num SPA por 10 dias e promete esquecer a cerveja para o resto da vida, elimina o açúcar branco da sua vida, começa a comer frutas e saladas, etc*.

Engana-se quem pensa que gente gorda consegue ser mantida a ferros durante um mês inteirinho, pois decorridas 2 semanas deste fatídico período, começa no ar o cheirinho das primeiras confraternizações que infestarão novembro.

Outubro: começam as oktoberfests e com elas as maratonas glutônicas do fim de ano
O mês da criança não é da criança à toa, já que em meados de outubro reiniciam as comilanças que darão o ar da graça até ao final do ano. Talvez a academia tenha sido frequentada algumas vezes no 1º mês proposto, todavia os 2 meses pagos restantes ficam para as calendas gregas.

Novembro: tempo de se acabar devorando iguarias em jantares festivos
Os ares da primavera já estão mais quentes e com eles vem uma fome danada e o gradual arrefecimento das lembranças do SPA, academia, dieta, espelho, etc. Nesta fase o gordo mergulha de corpo e alma nos jantares de confraternização, aniversários, formaturas, casamentos (não sei porque todo mundo casa em novembro).
Sabemos que gente gorda é muito sociável, logo, este povo não perde a chance de estreitar laços sociais (leia-se fazer uma boquinha). Isto porque, mesmo de dieta, o gordo é o animal bípede mais devorador numa festa.

Dezembro: o mês negro que todo o gordo deveria esquecer
O problema é que o gordo nunca se acautela antecipadamente contra os dois terrores da pessoa gorda: natal e réveillon. Caro gordo, se você está realmente imbuído com um programa de redução de peso, é melhor começar a pensar seriamente em fazer um planejamento com 1 ano de antecedência, que deve necessariamente incluir a ELIMINAÇÃO completa das orgias perpetradas no natal e ano novo.
Contudo, todo o gordo que se preze nunca quer se passar pelo gordo chato que faz bico de passarinho em festa, por medo das pessoas acharem que ele faz o tipinho comportado em sociedade e arrasa a geladeira na intimidade.

* Um sujeito do Facebook fez isto mesmo, cumpriu religiosamente nos finalmentes de outubro um programa de 600 calorias/dia num SPA, do qual saiu munido de todas as boas intenções do mundo. Lá pelo finzinho do ano o cara posta uma foto do porta-malas do seu carro com a provisões para o fim de semana de viagem: um pacote de latinhas de cerveja. Certamente, se escancarava mais uma crônica do fracasso anunciado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário