Pesquisar

29 de dez de 2010

13 vídeos de Profissões em extinção.

Mesmo que não notemos no nosso dia a dia, vários profissionais que nos prestam serviços direta ou indiretamente tem seus dias contados. Isto, que sempre aconteceu na história da humanidade, tem se aprofundado desde que foi deflagrada a revolução industrial e tecnológica e uma das primeiras vítimas a cair foi o acendedor de lampiões, no apagar das luzes do século XIX.


1) Cobrador de ônibus.
A gradativa implantação da bilhetagem eletrônica está riscando da face da terra tal profissão.


2) Estenógrafo.
Provavelmente você nem sabe o que é um estenógrafo! É o sujeito que transcreve instantaneamente as falas de diálogos que estão acontecendo naquele momento. Com a automatização dos processos de transcrição através de computador, é impressionante que a justiça ainda empregue tais profissionais tão à moda século XIX.


3) Jornalista.
No momento em que eles viraram plagiadores de coisas encontradas "boiando na rede", ou simples reprodutores do material comprado das agências de notícias, qualquer um pode ser jornalista, mais ainda com a banalização do ato de publicar proporcionado pela Internet.

Jornalismo, profissão em extinção.

4) Fotógrafo.
Quando viram fotógrafos, ninguém é fotógrafo. Devido à banalização das câmeras fotográficas digitais, fica difícil esperar algum futuro desta profissão.


5) Jornaleiro.
Enquanto os últimos jornais resistem lá estão eles, de bicicleta ou moto entregando as notícias do dia, que cada vez mais as pessoas preferem obter na Internet.


6) Sapateiro.
Cada vez mais raros, os últimos espécimes teimam em resistir nas derradeiras sapatarias, hoje entregue aos velhos. Note que não estão legando o seu conhecimento a aprendizes.


7) Operador de cinema.
Brevemente, quando for implantada a digitalização do filme de cinema, os velhos operadores irão para casa definitivamente e, talvez, das nossas memórias. Aliás, os próprios cinemas não podem ter certeza se terão um lugar garantido no futuro.


8) Amolador de facas.
Os últimos afiadores de faca ainda percorrem algumas cidades ressonando as suas flautas de Pan.


9) Realejo.
Em algumas cidades eles ainda uns raros realejos continuam lá alegrando as pessoas com as suas caixas de música ao antigo estilo.


10) Controlador de voo.
Devido ao aprimoramento dos sistemas de GPS e balizamento eletrônico, os especialistas estimam que brevemente os controladores de voo serão coisa do passado.


11) Técnico eletrônico.
Com o barateamento dos equipamentos eletrônicos, os técnicos se tornaram sucateiros e recicladores, trabalhando em porões lotados e úmidos da Santa Efigênia.


12) Professor.
Jogue no Google "professor morto" ou "professor assassinado" e descobrirá porque esta é uma profissão sem futuro no nosso país. Além da insolvência social, o professor está se tornando carta fora do baralho em consequência das novas tecnologias.
A título de corroboração do esboroamento da profissão de professor, aqui vai o desabafo de um deles que está combatendo no front, onde a lâmina rasga e a bala finca:
Ainda vou morrer dentro de uma sala de aula, podem apostar nisso!

Professor: Espécie em extinção?

13) Fotógrafo Lambe-Lambe.
O último exemplar dessa espécie pode ser observada (e fotografada) no largo da praça XV em Porto Alegre.

43 comentários:

  1. #feeliberato29/12/2010 22:21

    Só tem 12 -mm

    ResponderExcluir
  2. A ideia de extinção de cobrador de ônibus é boa, mas a reportagem se esquece do perigo do motorista ficar recebendo o dinheiro. Isso já existe na minha cidade há anos. Não sei se aconteceram acidentes, mas o risco é enorme. Enquanto os passageiros têm que aguardar o troco, o motorista se impacienta e começa a dirigir. A função dele é e deveria ser essa, exclusivamente.

    ResponderExcluir
  3. Professor(a) também?
    Tô ferrada!
    Para alento, poste agora as "Profissões do Futuro", rs.
    "Blogueiro(a)" consta? Kkkkk
    Mil beijos e um Feliz 2011 Isaias.
    lu.

    ResponderExcluir
  4. Izabel Baptista30/12/2010 10:29

    Triste é saber que a minha profissão está entre as 13.

    ResponderExcluir
  5. Luciene,
    mantenho uma posição crítica com relação ao papel do professor. Está morto o professor conteudista, porém o magistério na sua dimensão educadora, nunca terá fim enquanto houver o ser social.
    Isto acontece porque as coisas mudaram drasticamente com o advento das novas tecnologias; o acesso ao conhecimento deixou de ser o foco do problema, mas a formação de redes de apreensão continua sendo a grande questão que deveria pautar os professores de vocação.
    Falo em vocação, porque perante o descaso com que a gestão pública encara a profissão de professor, certamente ela já deveria estar erradicada do nosso país. Só persistem na carreira os visionários, temerários, ou imbecis, que aguentam salários de fome, falta de condições de trabalho e que se tornam vítimas nas mãos dos alunos desajustados. Quando matam um juiz, é um Deus nos acuda, quando matam mil professores, são os ossos do ofício.
    Com os 3 bilhões que o nosso congresso de tiriricas está extirpando do orçamento da educação e ciência & tecnologia, fica claro o plano maquiavélico para substituir o professor por máquinas - e de acordo com o caos atual, não fará muita diferença.

    ResponderExcluir
  6. Eu não to extinta não *-*
    fessora aqui pow, bote respeito nessa joça XD

    ResponderExcluir
  7. O prefácio é objectivo, em termos genéricos é inquestionável. Porém, não subscrevo “ Jornalista e Professor “

    O jornalismo na sua essência é uma actividade nobre e indispensável. O poder quer esconder, a imprensa quer revelar. É este antagonismo que gera o equilíbrio, digamos, virtuoso.
    Por outro lado, é bom relembrar, os que arriscam e perdem a vida para nos manterem informados.

    Quanto aos professores, na minha opinião, não existe qualquer tecnologia que os substitua. Reside neles, a base do desenvolvimento cultural. Sem eles, a sociedade tal como a conhecemos extinguia-se.
    Claro, que não duvido que são mal pagos e mal tratados. Os exemplos são mais que muitos.
    Há jornalistas, professores, óptimos e outros menos bons, é assim em todas as profissões.
    Não creio que estejam em vias de extinção.

    Finalmente, a título de curiosidade, lembrei-me entre várias, de duas que já estão mesmo extintas, pelo menos em Portugal.
    “Tanoeiro e Calafate”, em tempos idos eram muito valorizadas.

    ResponderExcluir
  8. Mario, jornalista e professor foram elencados a título de provocação, devido ao fato de que tais atividades estão sendo tratoradas pelas tecnologias emergentes.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Penso que professor, dentro do contexto antigo, daquele que passa matéria no quadro fazendo seus alunos repetirem conceitos, acredito estar em extinção mesmo. Hoje, o professor, digo, o bom professor é aquele que orienta atividades, para que os discentes possam desenvolver potencialidades. Mas pelo que me parece, pouca gente tem interesse que isto aconteça, pois para pensar e mudar tem que sair de uma inércia. Muita gente tem preguiça de pensar. Para o governo quanto mais ignorante seu povo mais fácil pode manipulá-lo. Outro ponto é o seguinte, falta comprometimento dos pais dos alunos, e aí ficaria discorrendo n-motivos. Se os pais e a sociedade não dão o devido valor e importância aos professores e nos vêem como massacradores inescrupulosos, como seus filhos os darão? Acredito sim, que a carreira de professor está em extinção, pois estamos deixando de ver sua importância, pois estamos cegos frente a bens de consumo que trariam uma felicidade imediata e não a simples contemplação do belo e de valores sociais.

    ResponderExcluir
  10. Giordana,
    é isto aí, botou as mazelas para fora. O engraçado é que as greves de professores neste pais causam tanto impacto quanto as dos aposentados. Outrossim, quando os petroleiros param, o governo faz todas a concessões possíveis e impossíveis.

    ResponderExcluir
  11. Assistindo ao vídeo dos jornalistas, só pude comprovar que esses "profissionais" são, na sua maioria, uns filhos-da-puta egocentricos, burguesinhos preconceituosos e lambe-saco das elites. O falecido Paulo Francis, o "venerável", a "referência" em jornalismo, metido a "cidadão de primiro mundo", revela o quanto é vulgar e gentinha. Gente assim não merece respeito. Não é a toa que o jornalismo perdeu e perde credibilidade

    ResponderExcluir
  12. Ficou louco? Professor não existir mais? Isso não existe...
    Não existem midias e nem tecnologias que substiruam a educação. Ou por acaso vc deixaria que um médico de internet operasse vc ou seus familiares?
    Essa decéda agora será a década da educação, tenha certeza.
    Nada substituirá o professor...

    ResponderExcluir
  13. Pessoas são realmente burras, ônibus sem cobrador? viagem em tempo dobredo, alem de prerigo de acidentes.
    bando de burro do caralho!

    ResponderExcluir
  14. Totalmente fail. De todas essas profissoes somente 3-4 tem alguma chance de extinguir.
    Justificativas fraquissimas para extincao das demais.

    ResponderExcluir
  15. Jornalista e fotográfo? O bom é ver que tem gente que acredita que uma boa fotografia é tirada com uma tecpix e uma boa matéria é escrita assim como este post horroroso. Assim jornalistas, fotografos e outros ainda tem muito tempo pela frente, ja que a concorrência pelo jeito...

    ResponderExcluir
  16. Discordo sobre o professor.

    ResponderExcluir
  17. Professor??? Cara, você deve ter algum trauma com algum professor seu pra tecer este tipo de comentário... Estamos em uma época que quanto menos tempo demorarmos para assimilar coisas, melhor. Imagine você aprendendo a ser engenheiro civil pela internet... Conseguiria apenas tendo video - aulas, sem poder perguntar algo na hora? Sem o contato visual que uma sala de aula lhe proporciona? Mesmo que você não entenda algo, pode questioná - lo no mesmo instante. Além disso, ele pode indicar o material ideal para consulta, além de futuramente indicá - lo para algum cargo em algum tipo de empresa... Ao meu ver, é uma profissão fundamental... Desprezo esses cursos a distância, que servem apenas de caça-níquel par as instituições que os oferecem...

    ResponderExcluir
  18. Quem defende o professor, defende com justeza. O problema é que tal profissão precisa ser reinventada.
    Quem se coloca na pele do pobre coitado que está na linha de frente do campo de batalha, dando aula na periferia para marginais armados até os dentes?
    Dos que defendem o professor, quem acredita piamente que o Estado dá todas as condições para o sujeito voltar inteiro para a sua família após um duríssimo dia de trabalho.
    Ora, por favor, vamos deixar de ser hipócritas! Temos que abrir os olhos para a trágica realidade no nosso país, onde o próprio governo está fazendo de tudo para extinguir a profissão.
    Desde o Fernando Henrique Cardoso, o governo quer substituir o professor por aparelhos, TV, Internet e o escambal e deixar na sala de aula um monitor salário mínimo para sufocar os tumultos e os motins e retirar armas e drogas das "crianças".
    Então quem vier me falar de professor, por favor, fale antes com um destes sobreviventes e pergunte que tipo de vida ele tem, pelo menos o que sobrou dela.

    ResponderExcluir
  19. Concordo plenamente!

    1.000 acessos diários!

    Ranking de blog.

    Já viu se o seu está lá?

    Divulgue seus links aqui!

    http://migre.me/31T3R

    ResponderExcluir
  20. Hobbes, os últimos espécimes vivos de jornalistas estão morrendo sem possibilidade de reprodução.
    O que vejo por aí é um bando de retardados mentais que nem sequer sabem escrever. Meu Deus! A profissão que requer como aptidão sine qua non o dom da escrita, povoada de gente que não sabe escrever. Sim, os novos jornalistas de araque inventaram uma redação própria que representa o assassinato da língua.
    Doi na alma ler qualquer texto na Folha de São Paulo, Estadão, Globo, Veja, Isto É, etc, tamanho é o grau de decrepitude e erros crassos. Eles não sabem mais conjugar verbos, apor artigos definidos e indefinidos, inserir proposições, esquecem regras básicas de pontuação, etc.
    Quando você vê um texto bem escrito neste cenário de decadência linguística, certamente é de um daqueles do antigo time, que já está com o cartão da aposentadoria no bolso.
    Então, por ora, não me venho falar de jornalistas porque isto NON ECZISTE mais!

    ResponderExcluir
  21. Duvido q apenas uma delas acabe??!! é só pensar, sempre vai existir, cada vez menos mas vai existir e para extinção pode jogar 2 décadas ao menos.

    ResponderExcluir
  22. O fotografo Lambe-Lambe de Porto Alegre já se aposentou.

    ResponderExcluir
  23. nunca que a profisão de controlador de voo vai se extinguir, sou piloto e vai por mim esses caras organizam o espaço aero perfeitamente

    ResponderExcluir
  24. O post esta ótimo, mas jornaleiro e quem trabalha por jornada. Não e quem vende jornal.

    ResponderExcluir
  25. Não acho que professor, fotógrafo e jornalista são profissões que vão se acabar. Tem muito farofeiro que tira onda com estas profissões mas um verdadeiro profissional destas áreas estudam por anos. Um fotógrafo não ve uma velha na praça e tira foto em preto e branco só, existe enquadramento, luz, foco, uma diversidade de ações que devem ser pensadas antes de tirar a foto. O que falta na galera é preguiça de estudar e achar que tem o dom de coisa que não tem.

    ResponderExcluir
  26. Concordo com tudo que o blogpaedia.com.br disse sobre o professor aqui no Brasil.
    Esta profissão pelo aqui no Brasil é sinônimo de risos e gozações e infelizmente o governo não da mínima pra isso,pois se analfabeto pode ser deputado e também presidente porque não professor?!
    Errei,professor ganha razoável se dar aula em ''cursinhos'' mas mesmo assim risco é o mesmo.

    ResponderExcluir
  27. Em relação o cobrador de ônibus, no Japão só tem o motorista e os passageiros pagão na saída de acordo o quanto que andou;; de qualquer forma aqui não daria certo....

    ResponderExcluir
  28. Você citou em vários momentos que cada vez mais se vende tecnologia certo? Agora me diz, como se compra algo tecnológico se não tiver ninguém para construir? Com relação ao Técnico em Eletrônica você está enganado. Eu como Técnico em Eletrônica ganho mais que muita gente formada com doutorado e mestrado nas costas OK!

    ResponderExcluir
  29. Gostei do Post! Já pensou em divulgar também no www.plik.com.br ?

    ResponderExcluir
  30. Na moral axei bem fulerinha esse post -.- .... Técnico em Eletrônica vai ter cada vez mais espaço daqui pra frente, Professor??? cara sempre vai ter alguem que queira aprender e precise de um =P...enfim POST SEM SENTIDO =D

    ResponderExcluir
  31. motorista tambem tera seu fim

    ResponderExcluir
  32. Professor jamais hein
    essa é uma que não vai deixar de existir

    ResponderExcluir
  33. Se depender do Google, o motorista estará morto, pois está investindo no protótipo do carro que anda sozinho:
    http://tecnologia.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2010/10/11/google-testa-carro-que-dirige-sozinho.jhtm

    ResponderExcluir
  34. Faltou cameraman,qualquer um filma flagrantes com celulares,preferem filmar o "incidente" do que prestar ajuda a um acidentado ou separar uma briga na escola ou melhor ainda fazer um filminho porno que sera o hit da internet

    ResponderExcluir
  35. Hey man ! Sinto lhe informar que técnicos em eletrônica não estão em extinção.Porque mto dificilmente tecnologias de ultima geração baratearão a ponto de torna desvantajoso o conserto.

    ResponderExcluir
  36. Como já disse, técnicos eletrônicos em geral se transformaram em sucateiros, pois dificilmente a indústria mantém linhas de peças de reposição, devido ao alto grau de obsolecência dos equipamentos. Se trabalhar em porões infectos e úmidos lutando contra ratos é profissão, então tudo bem.
    Já os técnicos de informática simplesmente se limitam a formatar HDs, reinstalar o sistema/programas e trocar placas, consertar que é bom, necas de pitibriba.

    ResponderExcluir
  37. Professor eh uma profissao que nunca vai desaparecer...

    ResponderExcluir
  38. Prezado que tecnologias se refere para a substituição de um professor uma vez que até para o ensino da utilizaçao delas é necessário de um? Um tanto quato equivocado hein?

    ResponderExcluir
  39. FALTOU FALAR DOS BANCARIOS.
    POIS OAS CAIXA ELETRONICOS E O TELEATENDIMENTO JÁ REVOLVEM BOA PARTE

    ResponderExcluir
  40. Professor???? Ah vá!

    ResponderExcluir
  41. Uma vez a profissão de professor era sinônimo de status social. Isso não está mais acontecendo.

    Mesmo que sejam reconhecidas as qualidades e a importância destes profissionais, as condições de trabalho e o salário não estimulam os jovens a buscar esta profissão.

    Todos os cursos de licenciaturas das universidades pagas estão com inscrições no vestibular abaixo do número de vagas oferecidas.

    Esta é uma profissão digna que está sendo tratada sem dignidade.

    Apesar disso os profissionais são, geralmente, apaixonados pelo que fazem, assim a educação ganharia muito se fossem oferecidas condições de trabalho adequadas, mas isso requer maiores investimentos na estrutura escolar e nas equipes diretivas.

    Quando a escola como um todo muda o trabalho dos professores melhora.

    As escolas muito grandes com turmas muito cheias são muito difíceis de gerenciar porque a equipe diretiva é proporcionalmente pequena.

    As melhores escolas são, geralmente, as pequenas. Em Bento Gonçalves há uma escola que é modelo de inclusão de alunos com deficiência e em parte se deve ao fato de ser pequena e todos se conhecerem.

    Na serra gaúcha há outras escolas que são modelo e se tornaram assim porque houve empenho da direção e, em alguns casos, participação da sociedade. Este é o caso de uma escola estadual que foi "adotada" pela Tramontina em Carlos Barbosa.

    Em Bento a escola estadual Bom Retiro também se tornou excelente desde que o atual diretor, Márcio, assumiu a direção há 8 ou 9 anos.

    Estas duas escolas optaram pela a intolerância com "travessuras" mínimas e o resultado é que são limpas, seguras e podem instalar equipamentos para uso em laboratórios ou biblioteca.

    Uma vez, durante a supervisão de uma estagiária assisti a uma bronca que o Márcio deu numa turma porque havia sido feita uma brincadeira com um balão. Ele não gritou, nem desrespeitou os alunos em nenhum momento, apenas foi firme e sem qualquer sorriso disse que aquele tipo de brincadeira não seria mais tolerado e ponto. No final da sua fala salientou que confiava não se incomodar mais, pois sabia que a turma teria responsabilidade. Mesmo assim, despediu-se e retirou-se sério. Ele tem fama de brabo, mas é adorado pelos alunos.

    Como faço supervisão de estagiários visito várias escolas em diferentes anos e vejo que as coisas mudam de acordo com a equipe diretiva.

    Diretores e supervisores que tentam tratar os alunos como "iguais" costumam tornar a escola insuportável. Diretores que respeitam os alunos, mas mantém clara a noção de hierarquia escolar tornam as escolas melhores.

    Para não deixar morrer esta profissão tão fundamental é necessário que a equipe diretiva seja comprometida, preserve a noção de hierarquia e promova atitudes de disciplina e respeito no ambiente escolar.

    ResponderExcluir
  42. Não creio que uma "tecnologia emergente" venha a substituir o professor.

    A maioria das matérias é demasiadamente complexa para ser aprendida através de uma "video-aula" ou algo do gênero.

    Quanto aos jornalistas, também duvido muito que a profissão va acabar. As agências de notícias mais respeitadas sempre contratarão pessoal capacitado pra escrever as notícias.

    ResponderExcluir
  43. Tecnico em eletronica acabou de acabar.Aparelhos baratos chineses e outros, nao fornecem mais componentes apos o tempo de garantia
    tvs lcd, led programa das memorias apenas as fabricas possuem algumas nao passam para as autorizadas nao dao apoio nessessario.
    Dificuldade enorme em achar placas das tvs lcd, led ,plasma.

    Engraçado que ninguem procons do brasil governo nao faz nada.

    ResponderExcluir