Pesquisar

1 de dez de 2010

5 coisas prosaicas mais brochantes na hora H.

Por ora, vamos esquecer dos eventos epicamente notórios, tais como surpresa com a documentação reduzida, sogra adentrando a porta, criança chata, telefone tocando, titular irrompendo aos berros, etc, e vamos nos concentrar nas partes pequenas que já aconteceram com todo mundo e que, nem por isto mesmo, deixam de ter relevância na hierarquia de motivos naufragadores de qualquer transa.

5) Acessos de riso.

O que nunca acontece em relacionamentos estreantes, pode se suceder naqueles em que os parceiros já se conhecem e, por alguma piadinha infame bem colocada, se botam a rir desembestadamente. Pronto, lá se foi a tesão ladeira abaixo!

4) Parar tudo na hora de colocar a casca na bala.
No auge da empolgação, muita gente sente brochar o clima quando tem que parar tudo para entrar no ritmo de sexo seguro. Porém, quem não dança de acordo com o ritmo dessa música, tem grandes chances de se arrepender para o resto da vida.
"Chupar bala com casca" é o único meio para evitar o risco de contrair DST e HIV.

3) Papo cabeça.
Quando o assunto começa a empolgar muito e a tergiversar para coisas do tipo “complexidades dos dispositivos propulsores de anti-matéria da estrela da morte”, então, muito sangue jorrando na cabeça significa pouca disponibilidade de irrigação para outras partes menos nobremente racionais.

2) Sono.
O sono é o maior inimigo do sexo, capaz de aniquilar qualquer clima romântico e o problema é que você não consegue disfarçar quando começam os tremelicos.

1) Mau hálito.
Mentira, não é o sono, mas o mau hálito o agente mais destruidoramente anti-erótico já inventado. Pergunte isto para qualquer mulher e ela confirmará, pois na maioria dos casos são ELES que apresentam um belo bafo-de-onça.
Dica nº 1: tome mais água ao longo do dia e um copão antes de deitar, que é um santo remédio contra o mau hálito, o inimigo número um do sexo.
Dica nº 2: outro santo remédio e criar o hábito de raspar a língua com um desses arcos raspadores vendidos nas farmácias.
Acredite, quem tem mau hálito, vive um inferno em vida!

Bonus Track: necessidades fisiológicas emergentes.
Apesar delas se situarem equidistantemente na região do lusco fusco entre o épico e o prosaico, sem dúvida alguma, esmorecem até o cio mais impetuoso.

10 comentários:

  1. O último com certeza ganha de todos...

    E sem essa dew falar que é nojinho...

    ResponderExcluir
  2. Tema muito interessante.

    " Situações recorrentes "

    Homens e mulheres "procuram-no", esquecendo-se muitas vezes de saborear o percurso, de inovar e de encontrar novos caminhos para lá chegar. Talvez não saibam que os percursos mais longos aumentam a intensidade sexual e a hipótese de "o" encontrar.

    Muitas pessoas, e em especial as mulheres, deixam de ter interesse pela sexualidade porque precisam de "tempo" para chegar ao êxtase, e por vezes esse tempo é ignorado.

    Convencidas de que o problema é seu acabam por se resignar. A dificuldade pode acontecer por múltiplas razões.

    Há mulheres muito controladas, que têm dificuldade em se envolver sexualmente e não se conseguem deixar ir de forma espontânea e livre. Por outro lado, existem muitos homens que não estimulam convenientemente as suas parceiras, e que por isso mesmo não permitem que elas cheguem a um ponto de excitação suficientemente.
    A ausência de estimulação durante os preliminares vai impedir que a mulher aumente a sua excitação e se prepare física e psicologicamente.

    Egoísmo masculino? Ou outra coisa?

    ResponderExcluir
  3. Saquei: é preciso esquentar o motor para depois pisar fundo hahahhahha

    ResponderExcluir
  4. Paulo Santos04/12/2010 14:42

    para....a coisa mais broxante é qndo tu vai colocar a cabeca entre as pernas da mina e sai akele cheio escroto...pior q bacalhau....medonho...

    ResponderExcluir
  5. Donde que pôr camisinha tira o tesão?

    ResponderExcluir
  6. Meu querido Isaias...a palavra "emergente",deriva do verbo "emergir",ou seja,erguer-se,levantar-se,surgir...portanto...desculpe-me,mas vc se equivocou um pouco ao usar essa palavra...sugiro à vc que use "de emergencia" ou "emergencial"...

    ResponderExcluir
  7. Caro Giovani, o significado diz tudo, e qualquer escritor pode se dar ao direito lançar mão de usos oblíquos.

    ResponderExcluir
  8. rsrsrs...

    ótimo post!!!

    por acaso o blog é de portugal???

    beijão!!!!

    ResponderExcluir
  9. Por acaso não é de Porgutal, é brazuca mermo, com ares de além-mar.

    ResponderExcluir