Pesquisar

22 de nov de 2011

10 Dicas de compra de piano para iniciantes


Meu primeiro piano foi um de armário da marca J. Hoelzl, brasileiro do Paraná, desprezado pelos afinadores, mas cujo tom me apaixonou, adquirido quando eu recém adentrara na iniciação do curso de piano. Como depois de 8 anos estou partindo para um piano de cauda, resolvi compartilhar com você alguns conhecimentos acumulados que podem ter alguma valia para os marinheiros de primeira viagem nesse troço maravilhoso de tocar piano

1) Não confunda piano digital com piano acústico, pois são instrumentos completamente diferentes, exceto as teclas brancas e pretas. Piano digital, mesmo que tenha teclas com peso de piano, é um instrumento morto que emite sons pobres e distorcidos e cuja responsividade do teclado é, para dizer o mínimo, ridícula.

2) Aprenda a distinguer o tom dos pianos e defina exatamente qual você mais prefere: som lírico (mais abafado), aveludado, brilhante, bastante estridente. Os pianos Yamaha são especialistas em produzir sons metálicos e abertos com menor riqueza timbrística, enquanto os Steinways são reconhecidos pelo seu timbre encorpado e os seus grandes pulmões.
Se você não se apaixonar pelo timbre do piano, não compre, pois os nossos ouvidos nos traem no longo prazo e acabamos pegando nojo pelo instrumento.

3) Reconheça o tipo de peso que você prefere sentir no mecanismo do piano: leve, médio ou pesado. Este pequeno detalhe lhe trará felicidade futura ou arrependimento eterno. Caso você tenha uma pegada punk, prefira um pesado, porém se o seu jeito de tocar é delicado, escolha um mecanismo leve.

4) Tenha sempre em mente que pianos de armário foram um enjambração criada para caber nos lares de Paris do início do século XX, que encolhiam a olhos vistos. Como toda a gambiarra, ele apresenta deficiências insuperáveis, que vão se aprofundando na medida em que o sujeito avança na técnica pianística.

5) Pianos de armário produzem som abafado de caixão, pianos de ¼ de cauda (baby grand - até 1,60 m de profundidade) tem som de caixinha e somente nos pianos de meia cauda em diante você ouvirá o verdadeiro som de piano.
Por isso, a recomendação quando você quiser fazer qualquer gravação com um piano de armário é: retire as tampas frontal e inferior, para eliminar o componente de som de caixão.

6) Evite os pianos de cauda de até 1,60, pois todos eles são problemáticos. Dizem os experts que um excelente piano de armário é sempre melhor do que um de cauda pequeno, além do mais, eles afirmam que o mecanismo dos pianos de cauda pequeno se comporta praticamente como o dos pianos verticais.
Por outro lado, evite comprar pianos de armário muito pequenos, tamanho tipo apartamento de 109 cm de altura, pois eles tem a mecânica muito compactada e as cordas demasiadamente curtas, o que tende a produzir notas que soam artificiais e de pouca profundidade. Portanto, prefira os pianos verticais de 123 cm para cima.

7) Você nunca desenvolverá agilidade plena tocando num piano de armário, pois ele carece do recurso presente nos pianos de cauda chamado “duplo escape”. Quando você aperta numa tecla do piano de cauda, percebe que num determinado ponto do curso há uma certa resistência. Pois justamente quando o dedo vence esta resistência, o martelo é liberado da corda a tecla pode ser acionada e a corda percutida novamente. O ponto de resistência é chamado de “degrau” e ele torna a velocidade do mecanismo do piano de cauda no mínimo 100% mais veloz do que no piano de armário, principalmente nas passagens de trinados e repetições velozes.

8) Saiba que a tessitura do piano se divide em três regiões principais: graves, médios e agudos. Na prática, quando você examina um piano, tem que avaliar três pianos diferentes convivendo num só instrumento. Uns pianos são muito bons de graves e razoáveis nos médios, mas pecam nos agudos. Outros mandam bem nos agudos e médios, mas tem baixos pouco profundos. Outros têm as duas oitavas mais agudas quase que totalmente afônicas. Portanto, a escolha deve recair sobre aquele que possui maior equilíbrio tonal.
Outro detalhe que você deve prestar atenção é às "zonas de corte" entre as regiões, pois se há zonas de transição muito bruscas, a interpretação perderá a fluidez.

9) Os preços dos pianos de armário costumam ficar numa faixa confortável ao redor da metade do preço de um novo. Por outro lado, os preços dos pianos de cauda são assustadoramente enlouquecidos, pois você vê por aí verdadeiras sucatas custando mais do que um piano novo. No mercado de usados, os pianos de cauda na faixa da “pechincha” dos 30 mil entram normalmente na categoria do “bom estado”, ou seja, instrumentos apresentando machucaduras, surrados e detonados pelo uso, que talvez exijam sucessivas reformas, mesmo assim, para nunca ficarem 100% bons.

10) Não permita que o afinador escolha o piano por você, pois se ele conhece bastante a parte estrutural, não entende nada da questão subjetiva relacionada à sua apreciação musical.
Até quando a opinião do Afinador é confiável na compra do piano?

Compramos o nosso novo piano de cauda, que chega amanhã. Por ora, isto é tudo o que posso dizer, mas brevemente você terá as primeiras impressões e mais apreciações sobre o louco comércio de pianos usados.
Próximo capítulo: Belíssimas impressões sobre o piano de cauda Palatino PGD-59

9 comentários:

  1. Excelente a matéria. Apesar das fortes restrições sobre o piano de cauda baby, qual marca você recomendaria o YAMAHA ou KAWAI?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há restrições quando o pianista sabe antecipadamente o que está comprando. Entre o Yamaha e o Kawai ambas são marcas excelentes, assim, o critério de escolha deve ficar exclusivamente por conta da sua percepção.

      Excluir
  2. Muito valiosas as informações do blog. Estou pesquisando por piano novo ou semi-novo de 1/4 de cauda acima para comprar. Se souber de algum e puder me dar informações à respeito, agradecerei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica sempre de olho no preço dos pianos novos em relação aos usados. Vejo por aí o pessoal pedindo mais pelo usado do que vale um novo. Dá uma olhada no Palatino novo http://www.milsons.com.br/pianodecauda,dept,83.aspx pois é um instrumento que apresenta uma excelente construção e ótimo custo/benefício.

      Excluir
  3. Qual sua opinião sobre os pianos da J. Hoelzl?

    Um abraço e muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive um durante 8 anos. São de construção bem robusta, porém no meu os agudos deixavam a desejar e os graves extrapolavam. Contudo, gostávamos muito da sonoridade mais doce.

      Excluir
  4. Muito interessante artigo. Qual sua opinião sobre os pianos de parede Fritz Robbert para uma criança de 9 anos iniciante? abs

    ResponderExcluir
  5. Olá,estou querendo começar aprender tocar piano,li a postagem aqui achei ótima e gostaria de saber qual piano comprar,estava pensando em um piano de cauda,apesar de ser iniciante tenho bastante habilidade para aprender rápido. Onde encontro um preço acessível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procuro por um piano de ótima sonoridade,para tocar melodias de músicas como esta ---> https://youtu.be/lBWsGYrSLQQ
      e temas de aberturas de songs japoneses como ---> https://youtu.be/nnlSmnNZDyI
      também sons como deste aqui --> https://youtu.be/0tZvUyV2cNQ
      e por curiosidade queria saber sobre que marca e modelo é este aqui,
      https://youtu.be/W_rlwKoXpCo
      me identifiquei nesses sons de piano nos links citados. Agradeceria muito a essa ajuda nessa escolha.

      Excluir