Pesquisar

13 de nov de 2011

Guia de entendimento geral do Manual para Entender as Mulheres


As mulheres não são complicadas, nós e que somos simples demais. Para você saber com quem está lidando, basta ver que se não for piriguete, uma mulher jamais te convida para a cama à queima roupa, ao invés disso, lança charminho e prepara a cena para que você acabe entrando triunfalmente com os seus dotes essencialmente masculinos... na certeza de que planejou e controlou tudo.

Por isso, não basta traduzir minimalisticamente algumas pérolas do glossário feminino, como faz o Manual que circula profusamente na internet, mas avançar um pouco no pensamento da mulher e na sua forma bastante peculiar de dizer tudo falando coisa alguma palpavelmente inteligível.

Hum... = ciúmes pintando na área
Se a interjeição for acompanhada de um discreto olhar de esguelha para você, tenha certeza que estará ferrado nos próximos minutos ou horas.

Sei... = não acredito numa palavra do que você disse
Homens jamais foram especialistas em desculpas esfarrapadas porque, enquanto as suas bocas mentem falando, seus poros tremem, seus tiques denunciam e seus olhos gritam a verdade.

Tá... = você já falou demais
É a velha história: quando você está indo, ela já está voltando. É impressionante a capacidade das mulheres de lerem nas entrelinhas as sutilezas subtendidas no diálogo. Portanto manolo pulador de cerca, saiba que só continua mulher traída quem escolhe casar com a ignorância, pois elas farejam a verdade até nas piscadelas que você dá enquanto apunhala a verdade.

Não é nada... = é tudo!
Preocupe-se quando o tom de voz fala coisa diferente do que os seus ouvidos decodificam. Aqui cabe uma dica; preste mais atenção no que as mulheres falam com a respiração, olhar, gestual, do que nas palavras propriamente, ou impropriamente ditas.

Não fale comigo! = fale imediatamente
Peça desculpas, dê um beijinho. Sob manifestações sinceras de humildade e arrependimento, elas sempre acabam cedendo. Por essas e outras é que você nunca entenderá o grande sucesso dos cafajestes.

Esquece... = não adianta, você nunca vai entender
O problema é que obedecemos cegamente às leis rígidas do universo semântico, enquanto elas vivem literalmente no mundo da lua das emoções pulsantes (o rigorismo semântico só funciona na discussão da relação, como será visto abaixo). Então, este pequeno verbo significa que você não captou a essência daquilo que ela quis dizer sem realmente dizer, não sei se você está me entendendo...

Então vai... = ela não quer de jeito nenhum que você vá
Maneira 100% eficiente de quebrar os pratos, principalmente se a coisa foi pronunciada em tom de voz elevado terminada com exalação profunda.

Tá bem... = a coisa nunca esteve tão mal
Tudo depende do tom de voz, neste caso, até o pior mané tem à disposição todas as pistas para entender, afinal, dizem que só é cego quem não quer ver.

Saia daqui agora! = você só sai se for louco
Saiba de uma vez por todas que isto é a senha da famosa e temida discussão da relação. Então, encare, relaxe e goze, pois se você sair, talvez não encontre pedra sobre pedra quando voltar.

Não venha aqui! = vá imediatamente
Outra senha que quer dizer justamente o contrário, que você tem alguma chance de se safar se comparecer no ato de quatro, provavelmente para discutir os seus reiterados erros, que serão apontados um a um.

Faça o que quiser! = é justamente o que você não deve fazer
Quando todas as suas argumentações falham, significa que você tem duas opções: ou faz exatamente o que quer e corre o risco de consequências catastróficas, ou desiste da ação maledeta e tudo volta a reinar na santa paz celestial.

Não = sim
Famosa inversão que as mulheres costumam perpetrar, por viverem sob os signos arquetipais anteriores ao adensamento semântico (uma criação tipicamente masculina), elas podem se dar ao luxo de dizer uma coisa com a boca e falar com o corpo outra. Os amantes sabem perfeitamente do que estou falando, pois um “não” dado com reticências pode significar justamente “vai em frente” e avance todos os sinais vermelhos.

Sim = não
Não sejamos reducionistas, pois não é sempre que isto ocorre.  A coisa do falso “sim” pode acontecer quando a mulher concorda com algo com o único fim de satisfazer o parceiro.

Talvez = às vezes pode significar um não
O “talvez” até pode significar talvez, mas acautele-se, pois não necessariamente vocês estão falando a mesma linguagem. Eis a maldição masculina: levar as palavras demasiadamente ao pé da letra, enquanto uma simples respiração ou levantar de sobrancelha pode denunciar mais do que mil palavras.

2 comentários: