Pesquisar

9 de nov de 2011

Qual é o misterioso ingrediente que faz a Coca-cola viciar como droga?


Todas as gerações ao longo de mais de um século tem nascido e crescido bombardeada pelos seguintes slogans: "Coca-cola é isso aí",  "Coca-cola dá mais vida a tudo", " Tudo vai melhor com Coca-cola", " Viva o lado Coca-cola da vida", etc. Com isto, o ato de beber o líquido escuro foi extrapolado a algo muito maior do que a simples alimentação, hoje ele é um hábito culturalmente estabelecido e uma maneira da pessoa se sentir colada às tendências do seu tempo.

Por isso mesmo uma viciada me confessou que a sua avó lhe dava Coca-cola na mamadeira quando era pequena. Claro, hoje ela é uma mega-viciada, obesa e cardíaca que luta desesperadamente para abandonar a compulsão cocacólatra. Muitos sintomas aqui elencados foram descritos por ela e por outro viciado pesado que faz questão de se dizer livre (mas que suspeito ter recaído), pois não existe ex-gordo, ex-gay, ex-chocólatra, ex-fumante, ex-bêbado, ex-cocainômano e muito menos ex-cocacólatra, só ex-doentes se controlando dia-a-dia para não ceder à tentação de cada dia.

Componentes tidos tradicionalmente como viciantes na fórmula da Coca-Cola:
Açúcar
- pessoas viciadas em alimentos adoçados com açúcar branco refinado não sentem os famosos sintomas de abstinência;
- se o açúcar fosse o principal fator viciante, então a Coca Zero/Diet/Light não viciaria, o que não é verdade.

Cafeína
- mesmo que existam adoradores de café, não é verdade que eles tenha sintomas de abstinência de drogas pesadas quando cessam o consumo.

Ácido fosfórico H3PO4
- algumas fontes alegam que o ácido fosfórico vicia, mas eu nunca vi alguém viciado em ácido, exceto LSD (ácido lisérgico = substância alucinógena).

Cloreto de sódio
- esta substância é o prosaico sal de cozinha. Você já viu um viciadão neste pó branco?

Principais sintomas de abstinência de Coca-Cola:
- insônia: sim, os viciados arrependidos que tentam largar a bebida tem que enfrentar o demônio da falta de sono;

- tremedeira: delirium tremens é somente coisa de bêbados? É mais ou menos isso que os viciados abstinentes relatam. Você ficaria assustado com a semelhança entre este sintoma e àqueles sofridos por dependentes de álcool e cocaína;

- dor de cabeça: normal, quando você em conta que está renunciando a doses cavalares de cafeína por dia;

- retenção de líquidos: há pessoas que ficam com as pernas tão inchadas em consequência do excesso de sódio presente na Coca-Cola, que são obrigadas a tomarem diuréticos;

- nervosismo e irritabilidade: sintomas comumente manifestados em todas as abstenções de drogas;

- impulso desesperado ao consumo: alguns viciados relatam que se veem obrigados a sair no meio da noite quando se acham desprovidos de estoque do refrigerante.
Relato: um dia inventei de tentar parar, fiquei o dia todo sem tomar, mas à noite já estava em desespero. Tive que sair no meio da madrugada para achar algum lugar aberto para comprar Coca, porque se eu não tomasse não iria conseguir dormir. O dia que não tomo, fico até de mau humor.

“Recompensas” dadas pela ingestão de Coca-Cola:
- alegria – não é a toa que muitas campanhas publicitárias do refrigerante usam como mote a alegria e a felicidade;
- sensação de bem estar – é uma plenitude de se alcançar sem o auxílio de uma droga pesada;
Relato: em compensação quando tomo, sou invadida por uma sensação de bem estar e satisfação tão gratificantes! Não posso deixar de tomar. Sinto-me completamente dependente dela.
- refrescância – que dura muito pouco por causa das grandes quantidades de sal diluído;
- calma;
- satisfação.

Problemas acarretados pela ingestão crônica de Coca-Cola:
- osteoporose, desgaste dos dentes, gastrite, retenção de líquidos, diabetes, obesidade mórbida, hipertensão, cegueira, falência renal, problemas hepáticos, etc. Portanto, você que é jovem tenha certeza que se continuar no vício, terá longos e tenebrosos anos de sofrimento pela frente, quando a sua juventude se esvair e sobrevir a fase da doença após a outra - tudo culpa da sua atual sensação de imortalidade e despreocupação com o futuro.

Por que a Coca-Cola vicia tanto quanto as drogas pesadas?
Podemos tentar explicar por duas abordagens diferentes:
1) apesar dos componentes conhecidos não causarem vício individualmente (conforme visto acima), pode ser que o elemento viciante esteja no balanceamento perfeito dos ingredientes da sua fórmula;

2) no entanto, como a fórmula da Coca-Cola é um dos segredos industriais mais bem guardados do mundo, ninguém pode descartar a existência de substâncias viciantes na fórmula, o que explicaria o delirium tremens, agitação, perda de memória, desconcentração, insônia, irritabilidade, mal humor, etc., quando o dependente se vê privado do precioso líquido negro.

19 comentários:

  1. Eu amo Coca Cola! Sou dependente dela,e sei que vou morrer disso! :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade a coca cola vicia sim,depois de 45 minutos que vc bebel - Seu corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do seu cérebro. Fisicamente, é exatamente isso que acontece se você tomar uma dose de heroína.

      Excluir
  2. Eu consegui dar um tempo da Coca Cola, era viciante mesmo, chegava a acordar na madrugada e tomar 2 copos. Aqui em casa tive que colocar um freio pq tomávamos 5 litros todos os dias. Agora cortei, mas morro de vontade.

    Abraços

    Andreia

    ResponderExcluir
  3. isso só pode ser besteira, bebo coca cola desde a infância e nunca me viciei, he, he, he,
    mas falando sério, com a quantidade de açucar que se consegue colocar dentro dessa porcaria só tem que viciar mesmo, sem contar a quantidade de sal, o segredo está aí, conseguir colocar tanta quantidade de porcarias em pouco volume, isso é próprio das drogas, outra parte, é a questão psicológica, o investimento em propagar a coisa é sistemático, massivo, e cuidadoso, veja como estão trabalhando hoje com a questão da sustentabilidade por exemplo, e pra quem nunca se deu conta, só a coca possui aquela forma de garrafa, que é a de uma mulher,
    por que será?
    ótimo post, abraço, Cesar

    ResponderExcluir
  4. Várias são as lendas urbanas acerca da Coca-Cola: o segredo em torno de sua fórmula, mensagens subliminares maçons em seu rótulo, suas origens, os perigos de consumi-la, cocaína em sua composição, etc., etc., etc. A maior que eu já ouvi foi, sem dúvida, a associação da Coca-Cola ao nazismo envolvendo a marca Fanta. Refrigerante inventado pelas engarrafadoras alemãs durante a II Guerra Mundial, quando a falta dos ingredientes para fazer Coca-Cola forçou a produção de um refrigerante com qualquer matéria-prima disponível, não necessariamente laranja. Seu nome foi escolhido por meio de um concurso realizado entre os funcionários das engarrafadoras, tendo Fanta sido escolhido por conta de sua boa sonoridade. Com a cada vez mais crítica situação da Alemanha durante o conflito, a composição do refrigerante mudou muito e, com o fim da Guerra, ele desapareceu. Em 1955, a marca só foi revivida pela Coca-Cola, já com o característico sabor laranja, como um refrigerante para o mercado internacional.
    Agora a lenda urbana. Quando Hitler assumiu o poder na Alemanha em 1933, ele odiava tudo o que era proveniente de raças ou países considerados “inferiores”, inclusive os Estados Unidos que, apesar de sua maioria branca, era acusado pelo líder nazi-fascista de aceitar a convivência com negros, hispânicos e principalmente judeus. Por isso a Coca-Cola teria sido banida da Alemanha, uma vez que representava um símbolo dessa sociedade corrompida física e moralmente aos olhos do nazismo. Tratamento similar foi dado a outros produtos tipicamente norte-americanos como, por exemplo, os personagens dos estúdios Disney. Enfim, para que o povo alemão não ficasse chateado pelo banimento do querido refrigerante, Hitler ordenou ao seu ministro de propaganda, o infame Josef Goebbels, que providenciasse a criação de um novo produto.
    Assim teria surgido a Fanta, cujo slogan era “É coisa do Reich!” (que coisa absurda! Só em lenda urbana mesmo...), e teria seus anúncios elaborados a partir do padrão Coca-Cola. Um deles, por exemplo, mostrava uma criança triste por ter tido sua avó presa pelas forças de segurança pegando uma Fanta para se alegrar, tudo acompanhado do slogan “tome uma Fanta e um sorriso” (Essa é para rir mesmo!). A idéia era convencer a população que a Coca-Cola apenas tinha mudado de nome e não banida por ordem do Führer. Alguns filmes de propaganda também teriam sido produzidos, bem ao estilo anti-semita de Veit Halan (O Judeu Süss, 1940), mostrando judeus altamente estereotipados consumindo Coca-Cola como uma forma de corromper “a juventude ariana”. Agora o gran-finale: após a Guerra, a Coca-Cola teria adquirido a Fanta com a única intenção de tornar algo ruim em uma coisa boa. Tanto que, a época, um porta-voz da Coca-Cola teria afirmado que “é claro que os alemães nos trataram mal, mas poderia ter sido pior – nós poderíamos ser judeus”.
    Antes de mais nada, sou terminantemente contra o nazismo e contra qualquer tipo de preconceito racial. Nem poderia ser diferente sendo eu professor de História. Como qualquer grande coorporação, a Coca-Cola é associada a teorias da conspiração, mas ao nazismo, a pior ideologia de todos os tempos, é demais! Para terminar, admito que sou um cocacólatra e não consigo passar pelo menos uma semana sem tomar uma. Quando fico muito tempo sem tomar, começo a sonhar acordado com um copo de Coca-Cola borbulhante cheio de gelo. Esse hábito, junto a seus conhecidos malefícios, dão até briga em casa... Mas não consigo parar, pois Coca-Cola é bom demais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Eu não sou viciado em absolutamente nada, tanto que hoje enjoei de coca cola e tomo menos da metade de um copo no almoço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toma menos da metade mas não parou.

      Excluir
  6. Adorei os seus posts, viciei, kk, estão de parabéns! :)

    ResponderExcluir
  7. Bebo coca-cola de vez em quando. Não sou viciada. E agora, o que eu faço?

    ResponderExcluir
  8. Luciana, quem bebe de vez em quando não é o público-alvo do texto. Quem de direito sabe onde aperta o calo.

    ResponderExcluir
  9. Mas, Isaías, a maneira como foi colocado - a meu ver, claro - parece uma condenação eterna àqueles que, mesmo não sendo viciados, bebem do refrigerante.

    Todo mundo sabe perfeitamente que não só coca-cola, mas QUALQUER refrigerante não faz bem à saúde por serem simplesmente bebidas industrializadas e, portanto, cheias de fórmulas macabras que só prejudicam a saúde.

    Eu conheço algumas pessoas que são sim, viciadas em coca-cola, principalmente a tal da coca zero, que me parece ser o pior do pior nesse sentido.

    Mas uma coca-cola com gelo e limão num dia calorento de 47º ou um guaraná acompanhado de um punhado de pipoca - a meu ver, novamente - não mata ninguém, muito menos leva ao vício.

    É o que eu acho, mas claro que posso estar totalmente errada.

    ResponderExcluir
  10. Este é o tipo de depoimento que me oportuniza o compartilhamento da vivência com as duas faces da moeda: tanto convivo com viciados em coca-cola, quanto com tomadores recreativos. Por outro lado, tenho amigos viciados em maconha ou cocaína, enquanto outros consomem drogas apenas ocasionalmente e recreativamente. A existência de pessoas que não se viciam na droga exime tal substância do seu efeito deletério sobre outras?
    É uma pergunta quase de cunho filosófico para o qual não tenho resposta.

    ResponderExcluir
  11. prefiro cheirar maconha

    ResponderExcluir
  12. Por óbvio, Isaías, que o fato de existirem consumidores não viciados não exime a substância de seus efeitos deletérios, pois se tal acontecesse as substâncias não seriam viciantes!

    Bom, mas para não se alongar na discussão, em relação ao vício de drogas ilícitas, creio que a comparação não se aplica, pois me parece que - ainda, não sei - não existem casos de pessoas que matam, roubam a família ou quebram a casa toda para comprarem coca-cola ou por conta de alguma crise de abstinência. Pode ser que se um dia o refrigerante se tornar mais uma droga ilícita, passemos a testemunhar tais ou quais fatos.

    ResponderExcluir
  13. Luciana,
    esta discussão vem no rol de uma profunda mudança de visão de mundo que sofri ultimamente. Hoje concordo com a ideia de que o maior fracasso da modernidade é justamente o combate às chamadas drogas ilícitas. É uma guerra perdida porque não deveria haver haver drogas proibidas, já que ninguém tem o poder de eliminar a demanda, o desejo compulsivo ou não pelo consumo, que pode ser provocado uma doença mental ou simplesmente uma vontade ocasional de desfrutar momentos de lazer.
    Em Amsterdã TODAS as drogas são permitidas, além da Coca-Cola, e você não vê o caos absoluto reinando.
    Parece uma tese contraditória ao texto, pois se do ponto de vista social defendo que as drogas tenham que ter o seu consumo regulamentado, do ponto de vista individual, nada me impede de continuar alertando as pessoas para os riscos do seu consumo, principalmente às personalidades compulsivas, que devido ao uso abusivo, terminam diabéticas, hipertensas, obesas, cardiopatas, etc.

    ResponderExcluir
  14. Amo!!! Coca Cola junto com chocolate e Fandangos....só porcaria que eu sei....quem conseguir diminuir as porcarias,que diminua pois principalmente refrigerantes fazem muito mal.Boa Sorte!!!

    ResponderExcluir
  15. Coca-cola felizmente ja faz 1 semana que nao tomo, abstinencia terrível, nunca mais quero tomar.

    ResponderExcluir
  16. Nada a ver o texto. Gosto mesmo de Coca-Cola, já tomo há 30 anos e não sofri nenhuma das doenças citadas, não me considero viciada. Posso viver tranquilamente tomando sucos, já fiz isso e não tive abstinência, nem insonia, nem nada. O problema é que suco é muito caro e pelo preço de 1 litro eu levo 3 de coca. Só tomo nas refeições ou no lanche. Já passei dias sem tomar.

    ResponderExcluir