Pesquisar

1 de ago de 2011

Escândalos de Sexo Virtual, condenáveis ou doentes carentes de tratamento?

Os rumorosos casos de vazamento de imagens eróticas de figuras públicas praticando sexo virtual sempre ensejam reações prós e contras no seio da sociedade. Avançando além do fato de tais protagonistas malsucedidos perderem o bem mais precioso, a reputação, cabe-nos discutir o mérito da questão: a patologia mental envolvida por trás desses atos tresloucados.

Para famosos e anônimos, o sexo virtual representa um furo mais embaixo. Ora, todos deveríamos saber que privacidade é um conceito nulo na internet, mais ainda porque não temos certeza sobre o que está acontecendo do outro lado da linha. Além das dúvidas saudáveis que se deveria ter sobre a verdadeira identidade do parceiro(a), ninguém pode garantir se alguém não está gravando as imagens comprometedoras. Assim, devido ao alto risco envolvido num simples chat de sexo virtual, forçosamente somos levados a concluir que esta atividade é, necessariamente, perpetrada por doentes, ou seja, compulsivos por sexo – aqueles que não medem as consequências dos seus atos.
Top 10 Sintomas para você descobrir se é viciado em sexo.

A patologia envolvida no sexo virtual é tão patente, que o congressista americano Anthony Weiner renunciou ao cargo de Deputado Federal dos EUA com uma declaração de culpa: "Primeiro quero pedir perdão por todos os erros pessoais que cometi e pela vergonha que fiz meus vizinhos e eleitores passarem, mas especialmente a minha esposa Huma".
Pivô de escândalo, congressista americano Anthony Weiner renuncia.

Por aqui as coisas não são tão confessáveis e claras assim, conforme você poderá constatar no vídeo do recente caso do prefeito de uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul. Depois de "pego com as cuecas na mão" na webcam, ele ainda teve o topete de denunciar o responsável pela divulgação das imagens do seu "pênis falante".


Como em todos os casos deste tipo, a imprensa põe panos quentes sobre os atos de indivíduos explicitamente viciados em sexo, sob a argumentação espúria de que ninguém tem algo a ver com as suas vidas particulares. Ora, desde quando figuras públicas não tem um patrimônio moral a zelar e não representam um modelo de comportamento social? Por isto, enquanto os gringos, quando pegos em pecadilhos vexatórios, se retratam e somem de cena, os nossos viciadões, além de recusarem tratamento, lutam eternamente contra a verdade da sua condição miserável.

10 Depoimentos Reais de quem perdeu tudo para a pornografia.

Um comentário:

  1. O artigo está incompleto.


    Diz que masturbação com outra pessoa via internet é coisa de doente mental. Mas nem todo mundo pratica com o uso de webcam.

    ResponderExcluir