Pesquisar

25 de set de 2011

Como escolhi a minha cadeira Geek dos sonhos


Chegou um dia em que a minha mulher não aguentou mais o meu padecimento na frente do computador em cima de uma cadeira murrinha toda gambiarrada, aquela mesma que foi registrada no post “Minhas Gambiarras pessoais favoritas. Ela já tinha deixado de ser favorita e estava provocando dores nas costas.

Então, minha esposa querida apareceu com a seguinte proposta altamente decorosa: “teu presente de aniversário/natal será uma cadeira decente, portanto, mãos à obra para escolher a tua cadeira dos sonhos”. Tudo isto, para a felicidade geral da nação, sem precisar me intimidar pelos custos exorbitantes envolvidos neste tipo de aquisição. Isto porque, se é que você não sabe, todas as cadeiras giratórias premium são extremamente caras, porque envolvem pesquisa, design e materiais da mais alta estirpe.

Como sou dado a extravagâncias perdulárias, a primeira ideia que me veio à cabeça foi a cadeira dos sonhos de qualquer geek que se preza: a Embody Chair fabricada pela empresa americana HermanMiller, abordada no post: A cadeira Geek dos sonhos!

Uma vez travado o alvo, o próximo passo foi procurar um Show Room onde eu pudesse ir para experimentar os modelos mais avançados que a tecnologia da ergonomia conceber. Conforme informação publicada no post citado acima, o importador brasileiro da HermanMiller é a Atec sediada em São Paulo. Felizmente, o site menciona que eles têm um representante aqui no Rio Grande do Sul localizado na cidade de Santa Cruz do Sul. Com isto, se tornou bastante viável ir ao local, pois o Show Room da ErgoClass dista apenas 150 km de onde moro (Bento Gonçalves).

Combinamos ir à Meca no último sábado e partimos de manhã com muita expectativa para sentar numa Embody Chair, pois a moça da ErgoClass me garantiu que tinha na loja todos os modelos HermanMiller e também os modelos Giroflex.

O que aconteceu na loja foi uma epopeia ilustradora da necessidade imperiosa de se experimentar pessoalmente a cadeira dos sonhos e não se deixar levar por informações e imagens de internet, pois afinal, são produtos que custam ao redor de 2 mil dólares e seria uma lástima gastar um dinheirão para se dar mal.

Então perfizemos uma longa maratona de experimentações, diferentes modelos e regulagens, tudo acompanhado de muitas informações. Além dos modelos da HermanMiller, também passeamos pela coleção da Okamura e HumanScale, ambas marcas de cadeiras Top de linha comercializadas pela Giroflex no Brasil:
- Cadeiras HumanScale – origem: EUA.

A experiência com a Embody Chair foi interessante, mas não foi matadora como deve ser quando você tem que dispender 2.499,65 doletas. O modelo Aeron disponível em 3 tamanhos, com seus 2.087,79 dólares também não chegou a me empolgar. Claro, também experimentei vários modelos Okamura e HumanScale, sem contudo chegar ao “tchan” arrebatador, o cheque-mate fatal que me faria levar a cadeira para casa.

Cabe aqui ressaltar que a empresa ErgoClass de Santa Cruz tem um Show Room maravilhoso e repleto de possibilidades, ou seja, você só sai de lá com as mãos abanando se não gostar realmente de nenhum dos melhores designs existentes no planeta Terra. Na função de experimentar aqui e ali, a minha mulher se interessou por uma cadeira esquisita que estava em cima de uma prateleira e mandou baixar. A vendedora já havia me falado por telefone sobre a política da Herman Miller de desenvolver modelos que se baseiam no conceito de cadeiras mais caras, mas que utilizam materiais mais baratos.

Eu estava diante da Celle, cujo conceito segue a linha Aeron e Mirra, conforme informações publicadas no site da Atec, porém, com o custo final bem mais acessível: 1591,60 dólares.

Admito que a Celle me atraiu mesmo antes de saber do preço e também tenho que a admitir que ela não agrada todos os perfis de pessoas. Tenho preferência por assentos de consistência mais rígida, que não sejam duros e esta cadeira atendeu totalmente a minha necessidade de conforto, com seu assento e espaldar preenchidos por uma trama celular forjada no próprio polímero flexível constituinte.

Para chegar a tal “mágica” de redução de custos, a Herman Miller optou por empregar plástico (polímero), ao invés de tecido na constituição do assento e espaldar, e aço, ao invés de alumínio na estrutura. Certamente, o resultado final é uma cadeira pesada de carregar por um lado, e por outro, não fornece conforto térmico nos dias frios (já nos dias quentes, ela não esquenta o corpo). Contudo, ela é tão bem balanceada, que permite deslocamentos extremamente suaves.

Comprei a Celle e não me arrependi, pois as células da sua textura massageiam permanentemente as costas, lombar, glúteos e pernas, o que mitiga a sensação de “chá de cadeira” que sentimos quando ficamos longos períodos sentados em assentos inadequados.

Aviso aos portadores de problemas cervicais: dores lombares, artrose, cervicalgia, desvio na coluna, dores nas costas, hérnia de disco, etc.
A melhor opção para você é, sem dúvida, a cadeira modelo Embody Chair da HermanMiller porque quando você senta, o espaldar praticamente abraça a sua coluna e alivia todas as tensões.

6 comentários:

  1. Isso tudo por uma cadeira. Agora você entende quando uma mulher passa uma tarde inteira numa sapataria ou numa loja de roupas! Viu como é difícil, Sr. Isaías?

    ResponderExcluir
  2. "Tudo isto" gasto em sapatos e roupas nem chega a espantar não é mesmo? Por isso fiz questão de frisar que foi a minha esposa que se condoeu com o meu sofrimento a propor o presente.
    Perguntei para ela o que a fez concluir que a minha antiga cadeira estava matando as minhas costas e ele respondeu: a cara que tu fazias cada vez que levantava. Certamente era um ato inconsciente, pois não foi a minha intenção de me passar por vítima.

    ResponderExcluir
  3. Não, não chega. Quem sofre com a Síndrome de Centopéia não se satisfaz nunca, meu senhor!

    Parabéns à sua esposa, mais uma mulher sábia que edifica a sua casa.

    ResponderExcluir
  4. Por um acaso a Luciana é esposa do Isaías?

    ResponderExcluir
  5. Olá! Após esses anos de uso da "cadeira celle", favor responder às perguntas abaixo, estou querendo comprá-la também:
    1) Esse material do assento é confortável, ele não machuca a pele ao ficar horas sentado nela? Ao ficar com as coxas diretamente encostadas no assento, não incomoda?
    2) As costas ficam satisfatoriamente ajustadas nela? As regulagens são adequadas? É possível regular o espaldar bem pra frente para ficar bem encostado nas costas?
    3) O tamanho do assento não é grande?
    4) Esse material do assento é realmente confortável, agradável? Por ser um material diferente, tenho medo de comprar e não gostar do material, favor falar suas opiniões.

    Enfim, diga, também, suas opiniões (pontos positivos e negativos) após esses anos de uso.

    Desde já, muito obrigado.

    ResponderExcluir