Pesquisar

2 de set de 2011

O adoçante artificial Sucralose é totalmente seguro ou é perigoso à saúde?

Na qualidade de natureba convicto, frequento as lojinhas de produtos naturais à cata de produtos integrais, saudáveis, orgânicos. O que ressalta ao longo dos anos é a adoção do adoçante artificial sucralose como substituto do aspartame, ciclamato monossódico e, infelizmente, do adoçante natural estévia em alguns itens.


Considero uma grande perda a modificação da fórmula dos chás instantâneos branco e verde com colágeno fabricados pelo Laboratório Tiaraju, que até 2010 era adoçado exclusivamente com estévia, passou a receber adicionalmente o edulcorante sucralose.
Digo uma perda porque costumávamos misturar estes chás com o Kefir que tomamos diariamente.

 Baseado no caso do aspartame,  cujos efeitos colaterais foram cair na mídia somente depois que a patente da sua fórmula se tornou de domínio público, sempre mantenho um pé atrás com relação aos adoçantes artificiais, mesmo que a sua segurança alimentar seja apregoada aos quatro ventos.

 Anos atrás, quando a minha mulher ainda consumia shakes adoçados com sucralose, resolvi pesquisar a literatura existente sobre o assunto na internet e os achados não foram animadores, pois os efeitos relatados eram: retenção de gases, estufamento abdominal, diarreia, náusea, irritações de pele, dores no peito, palpitações, ansiedade, variações de humor, e outros sintomas mais graves. Em português dificilmente se acha artigos abordando os contras do sucralose, só textos exaltando as suas qualidades. A saída então foi procurar bibliografia em inglês:
Sucralose: What are the pros? Sucralose Dangers

 Por outro lado, há na internet textos bastante duvidosos que são provavelmente forjados para bagunçar a procura por informações fidedignas, a exemplo deste abaixo, escrito por um tal de Dr. Joseph Mercola. Entre os sintomas listados há coisas bastante bizarras de tipo “hiperplasia pélvica”, aumento de peso do apêndice, alargamento do fígado e rins.
The Potential Dangers of Sucralose

 Um fato reacendeu o meu interesse pelo assunto sucralose. Na última vez que fui ao Espaço Vida Saudável tomar uma refeição celular da Herbalife, o rapaz me ofereceu os novos sabores de shakes ditos “cremosos” “criados para atenderem melhor o gosto do brasileiro por alimentos mais doces”. Ora, o diferencial desse novos sabores é justamente a adição de sucralose. Pois bem, resolvi experimentar a novidade tomando um shake de chocolate com morango e constatei realmente o seu maior dulçor em relação aos sabores tradicionais. Horas depois, já em casa, começaram a aparecer uns sintomas: senti a barriga estufada, ou seja, os clássicos sintomas de prisão de ventre que perduraram pela tarde inteira.

Depois de uma boa pesquisa na internet, descobri o óbvio; a sucralose tinha produzido um dos seus efeitos. A minha mulher, que experimentara os mesmos sabores, teve os mesmos sintomas e foi mais além: disse que não gostou dos sabores cremosos porque os achou doces demais.

 Menos pior que a nossa experiência com a sucralose tenha se encerrado por aqui, uma vez que não temos nenhuma intenção de nos tornarmos consumidores crônicos deste produto. Para matar a curiosidade sobre a existência de algum escrito em português que não defendesse incondicionalmente as virtudes da sucralose, fiz uma pesquisa mais detalhada e acabei encontrando um texto bastante esmiuçado sobre o assunto, que não deixa dúvidas nas suas conclusões:
 Ainda que se mostre segura em termos toxicológicos, o consumo de sucralose não deve (ou pelo menos, não deveria) ser alardeada como “sem restrições”. Os resultados dos estudos mostraram que há sim riscos associados ao seu consumo e que podem contribuir, ao longo de anos, para problemas renais, hematológicos e mesmo câncer (ainda que este último não seja conclusivo). Como também não há estudos de toxicologia comparada, isto é, a comparação dos efeitos toxicológicos nas mesmas concentrações dos adoçantes no mercado, também deveria ser questionada a prática clínica de substituir os já existentes no mercado por um suposto adoçante mais seguro. Os riscos podem não ser compensadores frente aos efeitos adversos vindos do consumo durante de um período de tempo longo, e então se recomenda cautela quanto ao seu uso.
Sucralose: Consumir sem restrições?

3 comentários:

  1. debora horn26/03/2012 11:14

    Bom dia,

    Vc sabe algum shake SEM suralose? eu tb acho eles mtoooo doce e sim, fica com sabor diferente por causa dessa "toxina" .....(por onde anda as coisas REALMENTE naturais?)

    obrigada

    ResponderExcluir
  2. Conforme falei no post http://www.blogpaedia.com.br/2012/03/efeitos-colaterais-do-adocante.html
    a Herbalife adicionou sucralose na maioria dos seus Shakes.
    Felizmente, dois sabores permanecem sem este edulcorante: baunilha e frutas, que são os que eu consumo. Todos os outros sabores de shakes da Herbalife produzidos no Brasil contém sucralose, sob a alegação de que o povo brasileiro prefere alimentos mais doces.
    Se por um lado reconheço que isto é verdade, por outro acho imprescindível termos como optar.

    ResponderExcluir