Pesquisar

2 de mai de 2010

O verdadeiro amor é assunto para os fracos e oprimidos.

Pablo Picasso - Amizade
O verdadeiro amor é...
dormir no chão, esparramar-se e sonhar de olhos acordados, encaixar-se perfeitamente e abstrair a outra metade.
Não caretear enquanto sóbrio e viver em constante ressaca.
Viver sobressaltado pensando que se entregou demasiado e descobrir que nada sobrou daquilo que era simples troca.
Quando você está neste estado intransitivo, conceitua o nada e permeia o tempo feito esfera ou ameba, já que amar é para os fracos e oprimidos, aqueles que a tudo perdem.
Assim, experimentá-Lo é extraviar, rastejar, renunciar e expor as entranhas e levantar-se novamente e sentir  a plenitude daquele instante.
Para Eles... é infindo enquanto dura – vísceras que se expõem, posto que se amalgamam. Ninguém entende os apaixonados porque eles se somem engalfinhados, você os percebe como clichê de 5ª categoria, gente nojenta que se toca cumplicemente mesmo dormindo.
Em todo o universo só há duas criaturas a quem é dado o poder de conhecer a perfeição de Deus, aos amantes, pois enquanto se aniquilam, sentem esvaírem-se no Nada.
Assim, amar intransitivamente deveria ser a missão de cada ser na terra, nem que fosse por um instante, que eterno seria. Logo, neste negócio não há ateus, só crentes fervorosos depois que passam a acreditar no pós lucidez sonhada de olhos acordados.
Você que não experimentou esta sensação, considere-se um ateu consumado e reze para que consiga trocar toda a sua vida por um instante apenas que valha a pena.

3 comentários:

  1. Os amores ardem com grande intensidade, mas também podem acabar da pior maneira:insultos, discussões,cobranças e ressentimentos começam a vir ao de cima quais cogumelos selvagens em prado fértil;quando damos por isso já existe uma lista infindável de coisas que nos irritam e não sabemos onde as arrumar.
    Porém, quem faz striptease em público não vai conseguir apagar essa imagem e vai ter que a carregar por muito tempo.
    A grande diferença entre os desabafos e confidências a psiquiatras de carne e osso e as redes sociais é que os médicos têm a obrigação de confidencialidade, enquanto na net fica tudo exposto aos olhares indiscretos de quem tenha acesso à página da vida dos utilizadores.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria usar palavras assim para descrever eu posso por que amo e entendo o escrito e o que ficou para reflexão, então, posso afirmar que o texto é amável

    ResponderExcluir
  3. Minha amada declarou que este é um poema cubista, cheio de partes arestosas espalhadas no plano, que permite a visão por dentro e por fora, visceralmente candente, segundo ela.

    ResponderExcluir