Pesquisar

22 de set de 2009

Chegou a Primavera, tempo de exultar... ou chorar.

No dia 23 de Setembro de 2009 o sol ilumina de maneira igual os dois hemisférios do planeta Terra. É chegado o evento astronômico do Equinócio, que marca um dos dois dias do ano onde noite e dia tem durações iguais – que marca o balanceamento perfeito entre a bem-aventurança e a desgraça.
Equinócio de primavera 2009 foto1
A maneira como as conjunções planetárias afetam o coração dos homens depende do seu conteúdo. “A quem tem, lhe será dado”, portanto, o vazio será mais vazio e sobejante transbordará. Quem caminha nas manhãs perfumadas ao longo das alamedas fecundadas de polem e algazarras da passarinhada, pode colher o bendito fruto ou rechaçar as emanações da natureza profícua.

Tudo depende do tipo de matéria prima que cada um carrega no seu coração, já que qualquer coisa lá existente fecundará, para o bem... ou o mal.
Equinócio de primavera 2009 foto 2
A arte exprime melhor a ambiguidade latente da mais libidinosa das estações, mais precisamente a música para o balé “A Sagração da Primavera” de Igor Stravinsky, que é a representação de um ritual pagão de vida e morte.

A segunda parte, denominada “O Sacrifício”, ambienta musicalmente o ritual bárbaro da imolação de uma virgem. Repleta de harmonias profanas e avassaladoras, Stravinsky reproduz em música o que os odores primaveris nos provocarão ao longo dessa estação, que paradoxalmente tanto poderão estimular paixões, quanto ódios adormecidos.

O poder despertado no Equinócio primaveril não pode ser contido, pois uma vez liberado, se espalha por toda a terra abrasando e desestabilizando. Assista o Sacrifício de “O Rito da Primavera” (Le sacre du printemps) de Igor Stravinsky e depois não me acuse de não ter avisado!


Informações programáticas sobre a "Sagração da Primavera" [O Canto da Filosofia]

Foto 1: Montagem em foto publicada em [фото на fotokritik.ru]
Foto 2: Montagem em foto do Monumento aos Judeus em Berlim de [pricher]

Nenhum comentário:

Postar um comentário