Pesquisar

12 de set de 2009

Diferenças sociais bizarras entre Homens e Mulheres.

É de senso comum pensar que as principais diferenças entre mulheres e homens são de fundo genotípico e fenotípico. Contudo, como uma das missões deste Blog é levantar a bandeira da contestação e induzir desta forma a reflexão filosófica, propugno que a diferenciação entre os sexos se dá mais dramaticamente ao nível sócio-cultural, do que em qualquer outra instância.

Tradicionalmente as culturas tratam de maneira desigual os sexos, e apesar de hoje dezenas de gêneros sexuais lutarem pelo reconhecimento, as sociedades os reduzem implacavelmente a tão somente dois estereótipos de Homem e Mulher.

A prova de que, não obstante a modernidade, quase tudo continua como dantes no quartel de Abrantes é que os mesmos qualificativos, quando aplicados a homens e mulheres adquirem significados completamente diferentes e às vezes, até mesmo antagônicos.

Mulher peituda X Homem peitudo.

Adjetivar uma mulher de peituda claramente é uma referência às suas glândulas mamárias avantajadas, enquanto qualificar um homem de peitudo é um reconhecimento à sua coragem.

Mulher vagabunda X Homem vagabundo.
Quando o adjetivo “vagabunda” é aplicado a uma mulher sugere uma conotação pejorativa, pois se refere à sua suposta promiscuidade sexual, enquanto um vagabundo significa um homem que manifesta pouca inclinação ao trabalho.

Mulher da vida X Homem da vida.
Chamar uma mulher da “vida” é sinônimo de prostituta, quenga, enquanto um “Homem da vida” é simplesmente um ser do sexo masculino com muita experiência na vida.

Mulher atrasada X Homem atrasado.
Quando aplicado à mulher, o qualificativo “atraso” é uma censura à tendência natural que elas têm de chegar depois da hora aos compromissos. Nos homens a coisa muda de figura, pois esse adjetivo mormente deprecia capacidades mentais reduzidas, tendo pouco a ver com postergação.

Mulher galinha X Homem galinha.
Aqui se encontra uma diferença crucial de diferenciação sócio-cultural: o termo "galinha" é tradicionalmente empregado às mulheres altamente desfrutáveis sexualmente, sendo portanto uma pejoração que confere à elas um baixo prestígio social, aos homens a mesma metáfora enaltece a sua condição de garanhões, o que potencializa a sua aceitação na comunidade.

Mulher boa X Homem bom.
Qualificar uma mulher de “boa” é sinal de enaltecimento à excelência dos seus dotes femininos, enquanto chamar um homem de “bom” exalta suas ótimas virtudes.

Mulher perfeita X Homem perfeito.
Perfeição na mulher qualifica normalmente curvas, seios, bunda, cabelos, pele aveludada, em suma, um corpo de parar o trânsito, enquanto o homem perfeito é aquele que tem condições de dar à mulher casa, cama e cartão de crédito.

Mulher meiga X Homem meigo.
Enquanto uma mulher meiga é tudo de bom, cativante, o mesmo não se pode dizer do homem “meigo”, pois normalmente o termo é empregado como depreciativo da sua masculinidade, ou seja, ele está sendo chamado de emo, bicha, gay, baitola, afeminado, boiola, peroba, biroba, veado, chibungo, queima-rosca, etc.

Moral das diferenças sexuais: elas provém majortariamente de convenções sociais que julgam usando dois pesos e duas medidas.

Ao contrário dos animais, cuja diferenciação sexual se dá segundo leis estritamente biológicas, entre os humanos estas são suplantadas pela força dos estereótipos, dos costumes e das tradições. Então, o que salta à primeira vista é a verdadeira camisa de força coercitiva que pesa sobre as mulheres, decididamente julgadas com pesos e medidas diferentes àqueles aplicados aos homens.

Para um homem ser execrado publicamente é necessário que cometa crimes insanos e na área sexual, por muito poucas coisas ele será repudiado radicalmente. Assim, a antiga luta a favor da igualdade sexual continuará esbarrando no muro dos rituais sacramentados, que condena a priori os mínimos deslizes femininos e inocenta até os mais bárbaros cometimentos masculinos. Um exemplo inequívoco e presente é o da Pedofilia, um crime tolerado por muitas culturas e perpetrado principalmente por homens, que normalmente recebem o beneplácito da absolvição.

Moral da História.
Qual teria sido o destino da professora baiana Jaqueline Carvalho que rebolou sob os acordes ousados da música "Todo Enfiado" se ela fosse homem? Um homem no seu lugar não teria sido demitido.

Glossário:
Estereótipo - são imagens esquemáticas desenvolvidas no seio da sociedade sobre grupos de pessoas, raças e etnias. É partindo de estereótipos que se formam vários tipos de preconceitos e discriminações.

Fenótipo - é o conjunto de caracteres sexuais secundários, tais como pelos, mamas, curvas, órgãos genitais, etc.

Genótipo - é a diferença mais fundamental existente entre homens e mulheres, encontrável ao nível genético – homens têm um cromossomo X e um Y, e a mulher tem dois cromossomos X.

Metáfora - é uma comparação entre coisas diferentes em que há uma transposição das qualidades de uma coisa à outra. Exemplo: quando se chama uma mulher de gata, faz-se uma transposição das qualidades sensuais felinas para a fêmea humana.

10 comentários:

  1. Ta, todo mundo sabe disso... e ai?

    ResponderExcluir
  2. é verdade...mas ela vacilou, naum? ate tenho pena...

    ResponderExcluir
  3. Dezenas de gêneros sexuais? Os relacionamentos devem ser REALMENTE complicados no planeta de onde vc veio...

    ResponderExcluir
  4. Bruno, caso você não saiba, no ser humano o gênero sexual não é uma questão biológica e sim um assunto comportamental.
    Sob este viés é possível a coexistência de muitos gêneros/opções sexuais. Este blog cita alguns matizes da diversidade sexual http://juliosevero.wordpress.com/2007/08/16/todos-os-tipos-de-genero-diversidade-sexual-provocada-pelo-aumento-do-paganismo/
    • intersexuais ou hermafroditas (pessoas com ambos os órgãos sexuais, masculino e feminino);
    • transexuais (operação de mudança de sexo);
    • drag queens e kings (travestis);
    • transgêneros ou bigêneros (travestis de tempo integral ou parcial);
    • andróginos (ambos papéis de gênero masculino e feminino ao mesmo tempo);
    • heterossexuais;
    • homossexuais;
    • bissexuais;
    • Aqueles que têm prazer sexual por meios anormais (oral ou anal, sexo grupal, sexo sadomasoquista, que é mencionado sem julgar)
    • auto-eróticos (exemplo famoso, falecido David Carradine);
    • assexuais (exemplo famoso, Sarah Sheeva filha da Baby Consuelo);
    • pansexuais;
    • pedófilos.

    ResponderExcluir
  5. Nossa que postagem nada a ver!!

    ResponderExcluir
  6. aÊ. foi legal isso ser falado aki.. é isso mesmo.. mulher ñ pode fazer pohha nenhuma q ja é chingada e olhada com espantooo.. a q sacoo!!

    ResponderExcluir
  7. contudo vale apena ser mulher, porque se ela não conseguir trabalhar e for bonita, pode tornar uma dona de casa ($), já o homem não tem nada disso.

    ResponderExcluir
  8. para o anonimo que disse: que mulher ñ pode fazer pohha nenhuma.
    Ela pode trabalhar será que ela quer

    ResponderExcluir
  9. É mesmo verdade que as mulheres aprendem a viver melhor com a idade?
    Conheço algumas mulheres cuja forma de olhar para a vida e de a viver mudou depois dos 35. Ficaram mais fáceis, mais brandas, menos complicadas, mais seguras, mais fortes. E, por isso, muito mais atraentes.
    São mulheres que conseguiram aprender a desligar o ‘complicómetro’, esse dispositivo invisível e misterioso que nasce com elas e que tantas vezes as metem em grandes embrulhadas, existenciais e não só.
    O complicómetro é o que as faz exigir mais dos homens do que eles podem dar.
    Uma mulher que aprende a desligar o complicómetro vive mais bem disposta muitos mais dias por ano.
    Não está sempre a criticar nem a deitar abaixo queixa-se pouco e olha para a vida com bonomia.
    Uma mulher descomplicada é uma bênção para os outros, mas sobretudo para ela própria.
    Em última análise, é alguém que também sabe o que não quer e que aprendeu a dar a volta.
    E já agora por cima, que é uma forma elegante de dar uma ou mais voltas à vida.

    ResponderExcluir
  10. Eu concordo plenamente. Um exemplo é quando um homem trai e diz: eu sou homem benzinho... a mulher não pode trair e dizer: eu sou mulher benzinho... Um homem não quer casar com uma mulher que já ficou com muitos caras ("galinha") mas aí você vai ver o histórico dele e se assusta...enfim, é tudo questão social e por este motivo os homens tem liberdade (principalmente sexual) e as mulheres não. E os homens também não aceitam saber que isso é verdade e acabam colocando desculpas que é coisa da natureza deles. Ah, quando alguém diz isso não penso em tamanha abobrinha!

    ResponderExcluir