Pesquisar

17 de set de 2009

Instalação de Arte de Nu no Metrô de Nova Iorque.

“Eis a prova definitiva de que Nova Iorque é uma cidade nua” é o título um tanto quanto sensacionalista que o New York Post escolheu para qualificar a instalação nudista feita pelo fotógrafo Zach Hymann, feita em meio aos apáticos novaiorquinos.
Ora, é sabido que a Big Apple é famosa no mundo por permitir o Topless feminino nas suas ruas, então não é de estranhar que um fotógrafo promova streaps teases públicos, com direito a pole dance nas barras verticais de apoio do trem.

A performance da atriz Jocely Sandana de 19 anos, durou exatamente 30 segundos,
tempo suficiente para que o fotógrafo obtivesse 10 fotos em cada sessão. A reação da maioria dos passageiros, como é praxe em Nova Iorque, foi de atitude blasé, indiferença, exceto por uma mulher que começou a gritar e um idoso que começou a tremer.

O fotógrafo diz que retratar mulheres nuas em público é muito mais fácil do que homens, já que as pessoas tendem a recepcionar a nudez feminina com sorrisos, assobios e até aplausos, ao passo que geralmente se chocam diante da visão do pênis.

A epopéia de Zach nos trens pode nos levar a refletir sobre as utilidades da arte. E uma delas é chocar os espectadores, que durante a súbita ação são arrancados das suas rotinas cinzentas por um acontecimento que provavelmente jamais se repita nas suas vidas. Uma bela jovem deixa cair o seu robe em meio aos passageiros atônitos/anônimos e lhes confere instantes vertiginosos de individualização.
Hymann apresentará o resultado do seu trabalho numa exposição de fotografias na Galeria Maiden, onde reúnirá uma seleção das 14 melhores poses. Mesmo que a proposta tenha sido extremamente singela, o fotógrafo conseguiu mobilizar uma boa mídia em torno do seu projeto, certamente por ter usado como matéria prima o produto mais vendável já inventado até hoje: a nudez feminina.

Isto pode ser chamado de Arte ou Pornografia? Tudo depende do ponto de vista de quem estava sentado naqueles duros bancos do metrô, se a vivência serviu para aliviar o sufoco do dia-a-dia da cidade grande, é Arte, se provocou sentimento de repulsa, é pornografia. Acostume-se babe à era da Arte Funcional.

Fonte:
Here's proof Nude York is the naked city [New York Post]

8 comentários:

  1. Arte ou Pornografia?
    Sinceramente não sei dizer...
    Prefiro a arte que dá a vida, que eterniza uma idéia ou um pensamento.

    ResponderExcluir
  2. Angela,
    Sinceramente, acho que a diferença está na sensação que o acontecimento desperta. Neste caso, como é uma cena inusitada no meio da multidão, cada um teve a sua própria percepção. A simples nudez pode ser arte ou pornografia, tudo depende de cada um, a mulher que gritou recebeu a performance como pornografia e os que aplaudiram, a receberam como arte. O Funk também entra nesta categoria...

    ResponderExcluir
  3. somente mulheres com o corpo bonito e que querem mostrar para todo o mundo...
    obs:principalmente para ser as mais cobiçadas pelo proximo...e qual é a mulher bonita que nao gosta de uma cantada?
    lembre-se uma cantada inteligente e criativa...
    bjo a todos.

    ResponderExcluir
  4. corpo bonito é pra ser mostrado sim, mas somente entre quatro paredes.

    ResponderExcluir
  5. Bom o blog... Matérias interessantes... :D

    ResponderExcluir
  6. pura perversão!!!!!

    sou uma pervertida pelo blogpaedia...:)

    ResponderExcluir
  7. cara! as pessoas esquecem que se usa na praia APENAS biquínis? Só falta dizer que se a mulher estivesse de biquíni seria diferente, seria algo admissível...
    Desde que a mulher não esteja fazendo contra a própria vontade, é uma bela performance sim!
    Antes de criticar, procure entender a arte contemporânea...

    ResponderExcluir
  8. Ci,
    a arte contemporânea não foi feita para ser entendida, mas para chocar e tudo que choca, é criticado.

    ResponderExcluir