Pesquisar

26 de fev de 2010

Pyongyang da Coreia do Norte, a capital mais ecológica do mundo.

A capital da Coreia do Norte pode ser considerada um museu a céu aberto do estado da arte tecnológico em que o planeta se encontrava nas décadas de 70 e 80. O que torna a situação mais surrealista é o fato de serem ambas, Pyongyang e Brasília, cidades planejadas no término dos anos 50. Só que, enquanto a utopia modernista de Niemeyer foi engalfinhada pelo caos no trânsito e os problemas urbanos comuns a todas as cidades do planeta, a Coreia do norte continua congelada no tempo como uma testemunha viva do que os modernistas almejaram nos primórdios da corrida espacial.

O isolamento provocado pelo regime comunista linha dura do presidente vitalício Kim Jong-II e a consequente estagnação tecnológica impediram até hoje que o povo da Coreia do Note tenha se lançado na sanha consumista que invadiu o resto do mundo e é apontada como uma dos grandes causadoras das alterações climáticas globais.


Tecnologia.
Computadores ao antigo estilo, que cá no ocidente já são sucata da braba, lá são de uso corrente. Ou seja, eles geram baixos volumes de lixo eletrônico
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Inclusão digital



Um guia apresenta o "último grito" em automação: você aperta um botão no painél e acende uma luzinha no mapa das linhas.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Maravilha tecnologica na Estação do Metrô

Diversão.
Crianças e adultos brincam em máquinas eletrônicas obsoletas que aqui já são lixo.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Diversão eletrônica

Antigas máquinas japonesas de jogos Pachinko instaladas no Hotel Koryo, que talvez nunca tenham sido usadas.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Pachinko

Montanha russsa "casca grossa" em operação num parque de diversões semi-abandonado. Quem vai encarar? Ahhh, o custo do bilhete é um Euro.

Ônibus de trasporte de turistas equipado com um “moderníssimo” videocassete Betamax (formato criado pela Sony no início da guerra dos formatos de vídeo, que acabou sendo derrotado pelo VHS da JVC).
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Ônibus equipado com Betamax

Transporte público.
Assim como era na maioria das metrópoles da década de 70, o transporte publico em Pyongyang é dominado por bondes elétricos silenciosos e não poluidores. Enquanto isto, em Porto Alegre foi decretado o fim dos bondes em 1972 em nome do “progresso”.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Bonde elétrico

Pau-de-arara estilo coreano.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Transporte de massa

Jeitinho brasileiro ao estilo coreano num bonde comprado de um dos países situados nos territórios da antiga Cortina de Ferro comunista.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Um pouco de jeitinho brasileiro

Estação central do metrô de Pyongyang.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Estação Central do Metrô

As locomotivas e vagões do metrô foram compradas na década de 80 da extinta República Democrática Alemã, que fazia parte da União Soviética.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Trens comprados da Alemanha Oriental

Moradia.
A estrutura de organização das moradias segue o mesmo esquema das super quadras concebidas por Oscar Niemeyer em Brasília, a cidade gêmea de Pyongyang.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Super quadras

Avenidas largas e livres de trânsito pesado, ou seja, tudo o que Brasília sonhou e teve por muito pouco tempo.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Super quadras e Bondes

Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Super Quadras

Trânsito.
Pode-se dizer que o trânsito da capital norte coreana é o mais ordeiro do mundo? Nota-se isto pela tranquilidade da guardinha.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Fácil controle do trânsito
Vista geral do sistema viário de Pyongyang em dia normal de trabalho, que rivaliza com um domingo de feriadão em São Paulo.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Trânsito absolutamente calmo

Organização social.
É de pasmar a organização do grupo de norte-coreanos aguardando pacientemente a vez para entrar no navio militar USS Pueblo capturado dos americanos em 1968. O mais notável, não enquadrado na foto, é que os pertences dos turistas foram deixados numa pilha sem guardador, sem haver o menor risco de roubo.
Pyongyang Capital da Coreia do Norte - Sociedade Ordeira

Fontes:
Best North Korea Selection – May 2004, Day 3& 4 [skyscraper City]
26 Pictures From Pyongyang North Korea [Caverman Circus]
Pyongyang Scenes [NZ-DPRKSociety]
North Korea Autumn [Farrail].

30 comentários:

  1. Me pareceu tudo que eu gostaria hoje para a minha vida. Aqueles metrôs bem antigos nos remetem a um certo saudozismo de um tempo que jamais voltará. Acho que essas pessoas devem ser felizes, tomara que eles saibam disso.

    ResponderExcluir
  2. Bom artigo, mas... "República Democrática Alemã, que fazia parte da União Soviética"? Huuum...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. República Democrática Alemã (RDA) era o bloco soviético e a ocidental se chamava República Federal da Alemanha (RFA).

    ResponderExcluir
  4. Por favor, a RDA nunca fez parte da URSS... era membro do Pacto de Varsóvia, o que é bem diferente. Seria como falar que o Japão faz parte dos EUA só porque os EUA tem bases lá.

    Outra coisa, esse negócio de tecnologia atrasada é relativo, a Coreia do Norte coloca seus próprios satélites em órbita, coisa que o Brasil ainda está longe de fazer...

    ResponderExcluir
  5. Juancho,
    Visitei Berlim e posso assegurar que o antigo lado oriental, encravado na RFA, mas pertencente à RDA, ainda hoje é puramento russo. Sobre o sonho do Pacto de Varsósvia, veja o filme rodado na Geórgia "Montanhas Azuis" (Golubye gory, ili nepravdopodobnaya istoriya) sobre as marcas da burocracia russa naquele país.

    ResponderExcluir
  6. Isaias, eu também visitei Berlim e não vou discutir que os russos tiveram uma influencia enorme na política da RDA. Não é esse o ponto da questão. É que pelo seu critério, vários países de hoje seriam pertencentes a outros, por ex. você seria obrigado a admitir que o Iraque, Afeganistão e a Colômbia, entre outros, fazem parte dos EUA. E nem vou falar da resto da América Hispana até os anos 90, precisamente até antes de Chávez e o giro á esquerda que a região tomou, as marcas da burocracia estadunidense abundam na região toda.

    ResponderExcluir
  7. Juancho,
    A invasão do Afeganistão tornou este país um tentáculo macabro dos americanos, assim como foram dos russos por dez anos. A Colômbia é, infelizmente, títere dos americanos, Iraque idem. Assim, acredito piamente que países invadidos acabam perdendo a sua identidade cultural, vide caso da Somália, que perdeu a identidade de povo depois de inúmeras dominações.
    Até hoje os países que integraram a União Soviética tentam juntar os cacos e se debatem em meio ao caos econômico deixado como herança depois que os abundantes rublos deixaram de irrigar as suas economias.
    A questão de "pertencer" ou não, não chega a ser relevante, já que o que importa são as marcas indeléveis deixadas ao longo processo colonizador.

    ResponderExcluir
  8. Você quis dizer estadunidenses, né. Eu também sou americano, meu pais tem mais história que o deles.

    ResponderExcluir
  9. bacana boas dicas :o)

    http://www.matouafamiliaepostounoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Para se ter uma visão da Coreia do Norte temos que recuar na história.

    Convém relembrar que a Coreia era una e em 1945 (final da II Guerra Mundial) foi divida por ocupação soviética e norte americana.

    As influências daquelas potências (americana/soviética) são actuais.

    Embora a U.R.S.S. já não exista (no papel) a Rússia a par dos Estados Unidos intervêm dissimuladamente.

    Assim, a Coreia do Norte é uma fotocópia do regime soviético pelo que não é de estranhar a sua forma de vida que me faz lembrar as ex-Alemanha Oriental e a Ocidental, um mundo fechado sobre si próprio.

    Não posso ficar indiferente ao comportamento belicista da Coreia do Norte que gera um clima de instabilidade.

    Até compreendo muitos saudosistas do regime que em certos aspectos têm a nostalgia da disciplina rígida e de alguém em abstracto que pense e decida por eles e, não se conseguem adaptar ao mundo ocidental, pois foram, (palavra feia) domesticados.

    Relembro a frase de Lenine, cito – “ A liberdade é uma coisa tão preciosa que devia ser racionada “.

    Porém, prefiro uma outra do mesmo autor – “A morte de uma organização acontece quando os de baixo já não querem e os de cima já não podem “

    ResponderExcluir
  11. Coréia do Norte era um dos lugares q eu tenho até medo de visitar mas iria pelas suas peculiaridades!
    assisti um documentário de qse uma hora sobre a Coréia do Norte, a parte da cidade em q é permitido o tráfego de estrangeiros (sim, lá vc não pode ir à maioria dos lugares) é bem limpo e organizado, mas na real a população passa maus-bocados por lá, tem até carne humana sendo vendida em feiras e a galera faz sopa com casca de árvore por não terem o q comer, e enquanto isso a mansão do semi-deus Kim Jong-il(considerado por eles) é cheia de estravaganças, até a mercedes do pai do Kim Jong-il está lá em exposição!
    quem estiver interessado assista, é on line e grátis, porém em inglês!
    http://www.youtube.com/watch?v=FJ6E3cShcVU
    abraços!

    ResponderExcluir
  12. É, muitoooo legal lá sim...
    População passando fome, regime comunista opressor e assassino...

    ResponderExcluir
  13. Que bando de baratas tontas! Vivem num pesadelo comunista onde ninguém pode falar ou pensar e ainda leio desmiolados falando em "devem ser felizes"? Muda pra lá. E ainda tem os "especialistas" em Berlim. Nenhum dos dois jamais pisou em Berlim ou na antiga Alemanha Oriental!! Não têem a mínima idéia do que falam, parecem dois jécas tentando parecerem "cools", mas são só "intelectuais de buteco". Lamentável.

    ResponderExcluir
  14. O pior é que visitamos Berlim.

    ResponderExcluir
  15. Ao Torre Sul...
    Vc tem coragem de dizer que os norte-coreanos são felizes,vivendo no pais mais recluso do planeta???
    pessoas reprimidas pelo governo,sem liberdade de expressão,e outras atrocidades...

    ResponderExcluir
  16. MUITO LOCO AS COISAS QUE ELES FAZEM ! NA MINHA OPNIÃO EU ACHO Q OS OUTROS PAISES TBM ADOTACEM ESSAS COISAS ,Q Ñ SO PARA NOS MESMOS MAS PARA O MUNDO ESSAS IDEIAS FARAM O BEM PRA NOS E PARA O PLANETA

    ResponderExcluir
  17. Vendo esses lugares legais da capital da Coreia do Norte, até dá coragem de ir la visitar, porem morar lá deve ser bem complicado, a guerra continuou neste país, eles ainda vivem a segunda guerra mundial, a liberdade é totalmente escassa. É um lugar que me dá medo.

    ResponderExcluir
  18. Maravilha!!
    Estudar 20 anos da sua vida, trabalhar mais que um cavalo e ganhar a mesma miseria que um varredor de rua..Você come, veste, faz o que o governo "liberal" te dá e permite..
    Governo regressita os espera,vão morar lá!!
    A propósito, o que estão fazendo com computadores de "burgueses" de multinacionais em mãos? Isso não vos convem...(devm estar com uma lata de coca na mão)
    Socialismo é discurso de fracassado que tem certeza de que nunca irá crescer na porra da sua vida e/ou acha que vai ganhar dinheiro falando besteira! Que tal começarem a trabalhar bando de vagabundo!!

    ResponderExcluir
  19. Temos dois sistemas atípodas, porém igualmente insatisfatórios: enquanto o socialismo implodiu de fora para dentro, o capitalismo apodrece de dentro para fora. A permanente crise nos mercados é o sinal de que nem tudo são rosas no paraíso burguês que invadiu o mundo depois da queda do muro de Berlim.

    ResponderExcluir
  20. A velha máxima: "socialismo para o povo, luxo para mim" é ainda corrente nas discussões dos "intelectuais(?) di esquerdia". Papo furado, esse negócio de igualdade entre pessoas! Sempre os "socialistas" são aqueles que não querem trabalhar, mas querem viver no bem bom...coisa de demente do 3º mundo que inveja o primeiro mundo mas não quer ter esforço algum pra chegar lá.

    ResponderExcluir
  21. Agora não é uma questão política de esquerda ou direita, agora é o planeta que está sacudindo as nossas cabeças contra o modelo do desenvolvimento e do hiperconsumo.
    O nosso estilo de vida capitalista é errado, assim como o comunista, se for consumidor voraz de recursos naturais. Eis o dilema da humanidade.

    ResponderExcluir
  22. E Viva ao meu tênis Nike , meu Iphone , minha liberdade de expressão , minha liberdade de religião , de ir e vir aonde bem quero . Essas fotos são o exato retrato do comunismo . Um mundo de sonhos enferrujado e frágil .
    O inferno é pouco para pessoas como Kim Jong II ,Stalin , Fidel , Lenin , que assassinou brutalmente milhões e milhões de pessoas só porque tinha uma visão diferente da deles .

    ResponderExcluir
  23. Não podemos esquecer as centenas de milhares de pessoas destruídas pela águia americana, só considerando o saldo da família Bush.

    ResponderExcluir
  24. Só um detalhe: Brasília foi projetada por Lúcio Costa, e não por Niemeyer. Este último desenhou apenas prédios/monumentos.

    ResponderExcluir
  25. É fato! Brasília é projeto de Lúcio Costa.

    ResponderExcluir
  26. Não tem trânsito porque as pessoas são miseráveis e não têm dinheiro pra comprar carro!

    ResponderExcluir
  27. Regimes comunistas não tem miseráveis, só pobres, muitos pobres. Quem tem acesso a umas 3 refeições diárias, nunca poderá fazer ideia do que seja o estado de miserabilidade. Miséria é um fenômeno típico produzido pelo capitalismo.

    ResponderExcluir
  28. Matias Trevizani08/11/2011 14:36

    Legal esse país nao acham? Milhões de pessoas passando fome, alto índice de canibalismo, ruas sem movimento porque só o governo pode ter automóvel, quase 1% da população está presa em campos de trabalho escravo por motivos fúteis, como ler a bíblia ou estocar comida, enfim, uma nação inteira trabalhando e morrendo para satisfazer os caprichos do seu ditador! É O FIM!!!

    ResponderExcluir
  29. Hipolito Herrera23/01/2012 19:37

    Então agora todos vcs ja sabem aonde é o inferno quando morrerem rezem para não irem para lá...............kakakakakakaaaaaaaaaaa.

    ResponderExcluir
  30. PESSOAL,SE POR UM LADO EXISTEM MISÉRIA,POR OUTRO HÁ POBRESA.NÃO É O CAPITALISMO NEM O COMUNISMO,QUE IRÁ SOLUCIONAR O PROBLÉMA,DO QUANTO É NECESSARIO O ALIMENTO EM NOSSAS MESAS. GOSTEI MT.DA SINOPSE,QUE DISSE:ENQUANTO O SOCIALISMO IMPLODIU DE FORA PARA DENTRO,O CAPITALISMO APODRECE DE DENTRO PRA FORA....ISSO É FATO. A QUESTÃO É QUEM MATA MAIS?A FALTA DE ALIMENTOS OU AS ÁGUIAS AMERICANAS?

    ResponderExcluir