Pesquisar

26 de jun de 2008

Como transformar a Canon I5 numa câmera profissional?

A minha escolha pela câmera Canon PowerShot S5 IS sua relação custo/benefício:

- seu tamanho compacto – resolução de 8 mega pixels;

- zoom ótico de 12x;
- LCD móvel que permite filmagens confortáveis e botão específico para filmagem;
- não usa baterias proprietárias, o que permite o uso de pilhas comuns tamanho AA;
- usa cartões SD, os mais baratos do mercado e aceita cartões SDHC, os que tem tamanhos acima de 4 Gb;
- tem recursos de máquinas DSLR: operando também em modo totalmente manual – o que permite que o fotógrafo tenha poder completo sobre as configurações de foco, exposição, abertura de obturador, etc;

Paralelamente aos prós, eu sabia que ela tinha alguns contras:

- incrivelmente a Canon não disponibilizou para este modelo o formato RAW, um sério e inaceitável pecadilho;
- o foco manual dela é impreciso e tedioso de acertar. O melhor foco manual ainda é o das câmeras profissionais que têm anel de foco e não o tosco ajuste eletrônico;
- pouca sensibilidade noturna excesso de granulação acima do ISO 400;
- a tampa da lente cai facilmente.

Como fazer uma câmera Canon PowerShot S5 gravar em formato RAW não comprimido?
O insolúvel problema da falta de formato RAW, que permite ao fotógrafo com mais ambições se livrar das limitações de falta de qualidade e pouca profundidade de cor do JPG, foi resolvido por um esquema de um “firmware bootável” através do programa CHDK. A PowerShot S5 usa o processador DIGIC III, que tem o recurso do formato RAW e outras inúmeras funções desligadas na S5, por cobiça da Canon em querer vender os caros modelos profissionais EOS.

Atenção: PARA TRABALHAR COM O PROGRAMA CHDK É NECESSÁRIO TER UM LEITOR DE CARTÕES, porque é a única maneira de transferir os arquivos .CRW para o computador. O programa de original de captura da Canon, o CameraWindow, só reconhece o JPG.

Ao tornar um cartão SD bootável, quando a câmera é ligada com a trava lock acionada, o boot carrega para a memória um firmware concomitante ao firmware original da câmera, o que significa que o usuário pode dispor de todos os recursos nativos, mais os recursos do firmware provido pelo programa CHDK. É importante frisar que este processo acontece a cada vez que a maquina é ligada e somente com um cartão bloqueado que tenha sido instalado o programa que é uma espécie de update temporário de firmware.

O programa só vai funcionar num cartão que tenha partição FAT16, ele não funciona em FAT32. Para instalar o CHDK usei um pequeno aplicativo com interface gráfica chamado Card Tricks. Escolha a opção DryOS para transferir o boot para o cartão - é o sistema operacional utilizado pela PowerShot I5.

Há uma complexa discussão que dá dicas e truques para aproveitar um cartão de mais 4 Gb, porém o procedimento é muito complexo e exige uma modificação no drive do leitor de cartões que muda o status do drive de “removível” para “fixo”, já que o Windows não reconhece mais de uma partição num drive removível.

Eu preferi comprar um cartão SD de 2 Gb só para as situações em que queira usar os recursos do firmware estendido.

Como visualizar/editar os arquivos RAW da Canon I5?
Como esta câmera não trabalha oficialmente com o formato RAW, o programa nativo dela, o ZoomBrowser EX, não reconhece os arquivos .CRW gerados. Cada tipo de câmera tem uma estrutura RAW própria, fazendo com que quase nenhum programa existente que lê arquivos RAW consiga ler os RAWs da I5. Além disso é recomendável que o programa que vai interpretar corretamente o RAW consiga recuperar os metadados e o EXIF contidos no RAW.

Nos metadados estão as informações de balanço de branco e de cores, ou seja, as configurações de balanceamento que você fez quando tirou fotos em modo manual.
O site Wiki Tecnology sugere um pequeno conversor que transforma os arquivos de .CRW para o Digital Negative (DNG), o format RAW do Adobe PhotoShop. Porém, apesar do PhotoShop poder ler os arquivos DNG, ele não consegue recuperar os Metadados que foram usados para gerar o JPG. Depois de editado, se o fotógrafo quiser manter a altíssima qualidade da sua foto, a sugestão é armazená-lo no formato TIFF sem compressão.

O programa que faz isto perfeitamente e permite quaisquer correções posteriores no arquivo RAW é o PhotoShop LightRoom, um programa genial para fotógrafos fuçadores! Pena que ele não seja diretamente compatível com o RAW gravado pela PowerShot S5, portanto, a conversão de .CRW para DNG usando o programinha russo DNG4PS-2 continua sendo imprescindível.

Canon PowerShot S5 IS, Adobe, RAW, EXIF, DNG, JPG, TIFF, metadados, CHDK, CRW

2 comentários:

  1. Isaías,será que vc não poderia mandar um passo a passo desse procedimento para mim? Quais os programas q devo baixar e onde exatamente eu coloco o programa?

    ResponderExcluir
  2. O programa CHDK (consertei o link no texto) tem que ser baixado e colocado no cartão SMD previamente preparado pelo programa Card Tricks para dar boot (link no texto). Se você ler na página do CHDK verá o aviso que só funciona com os firmwares 1.01A e 1.01B - na página ensina como descobrir o firmware da máquina.

    ResponderExcluir