Pesquisar

30 de jul de 2010

"Evolução" do Homem, das Cavernas ao Colírio.

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. [Gênesis, 1, 26-27].

1) Homem das cavernas.
Estava criado o primeiro homem e ele se movimentada livremente sobre a face da terra ostentando no seu corpo toda a pelagem original conferida por Deus.
Homem das cavernas


2) Homo brutus.
Eis que o homem, não contente com sua fraqueza original, resolveu malhar e ganhar músculos, quando virou Conan o Bárbaro.
Homo Brutus

3) Hippie.
O tempo se passou e o homem percebeu que a sua comunhão com o cosmos estava cada vez mais escassa, então ele virou bicho grilo e readotou a pelagem original dada por Deus.
Homem Hippie

4) Andrógeno.
Cansado de viagens lisérgicas, o homem então se descobriu macho-fêmea, de acordo com o que reza o texto bíblico, e assumiu o seu lado feminino, conforme a canção de Pepeu Gomes.
Homem andrógino

5) Yuppie.
Ao terem se esgotado as experimentações, o homem descobriu que se vender para o Sistema e ganhar dinheiro era o melhor negócio. Então, ele se enfiou num paletó e foi ralar no escritório de sol a sol, para comprar gadgets que diminuíam o estresse resultante da corrida pela grana.
Homem Yuppie

6) Metrossexual.
Neste ponto da evolução, o homem optou pelo sincretismo das tendências anteriores: abandonou definitivamente a pelagem original, passou a malhar não tão radicalmente quanto o homo brutus, mas de forma a desenvolver peitorais depilados apropriados para tirar fotos no espelho. Por falar em espelho, deste estreitamento de relações ele incorporou de vez a sua porção feminina e passou a consumir avidamente produtos cosméticos e a se submeter a melhoramentos estéticos.
Homem metrossexual

7) Colírio.
O último grito deste gênero está sendo dado por bandos de adolescentes totalmente depilados e emotivos, preocupados com a aparência, coloridos, usuários crônicos de tecnologia, altamente comunicativos nas Redes Sociais e adeptos compulsivos da prática de tirar auto-retratos através do espelho.
Homem Colírio

8) Homem do futuro.
Confira por si mesmo como este homem se distanciou de Deus e que, no exercício do seu livre arbítrio está desbravando o seu próprio caminho, nem sempre de acordo com as veredas determinadas pelo Pai.
Homem do futuro
Tal elemento tem o córtex altamente desenvolvido, faz amplo uso da tecnologia, praticamente ao nível da dependência. Em suma, o homem do futuro será a evolução do Colírio, envelhecido corporalmente, mas mantendo o afetamento das vaidades, não para fazer a vontade de Deus, que o fez originalmente peludo, selvagem e encharcado de testosterona, mas em cumprimento aos ditames da sociedade de consumo que busca através do afeminamento igualá-lo a Deus macho-fêmea.

4 comentários:

  1. Gera uma certa inquietação, resquícios de machismo? Penso que não.
    Dependente da tecnologia é um sim definitivo.
    O que será o futuro dos homens (machos), sinceramente tenho muito dúvidas.

    A química entre o masculino versus feminino está a tornar-se uma realidade.
    Não é preciso muito para constatar que, cada vez mais, os sex symbols, do cinema, das revistas até da moda são(?) homens.

    No cinema a coisa começou quando a saga James Bond, esse último reduto da virilidade, pôs Daniel Craig a sair da água em calção, em vez da tradicional Bond girl.
    Depois. Começa o descalabro.
    Aquele velho instrumento cinematográfico em que a atenção da plateia é desviada da acção para o aspecto físico de uma personagem que aparece seminua só porque sim, já não é tanto desempenhado por morenas exóticas ou louras exuberantes, mas por cavalheiros com hipertrofia muscular.
    Alguns exemplos recentes em "Dia e Noite" Cameron Diaz tem direito a fracções de segundo em biquíni; Tom Cruise passeia-se em tronco nu e de suminho de frutas na mão. De "Twilight" ou "Sexo e a Cidade" nem se fala, porque é difícil encontrar um filme debaixo do desfile de jovens tonificados.

    Em conclusão o século XXI é das mulheres.

    ResponderExcluir
  2. Aditamento.

    Quem ainda não assistiu ao filme “Segundas Intenções”, não sabe o que está a perder
    Além do enredo ser bastante interessante, tem a cena do beijo lésbico entre Sarah Michelle Gellar e Selma Blair, que é simplesmente incrível.

    Mais lenha para fogueira das dúvidas.

    ResponderExcluir
  3. A sociedade de consumo chacinou o conceito de homem macho, porque o despojamento de requintes redunda em vida espartana, contrária à doutrina do ter mais.

    ResponderExcluir
  4. Que bom, né? Fica mais igualitário, né, Mario? Mulheres também adoram ver homens bonitos sem camisa em filmes. Hahahaha. Antigamente só a sexualidade do homem era levada em consideração. Hoje a mulher é consumidora também.

    ResponderExcluir