Pesquisar

22 de abr de 2009

Como evitar a idade do Pornógrafo?

Antigamente o consumo de pornografia obrigava as pessoas a irem a campo: em bancas de revista, onde o revisteiro vendia as revistinhas suecas “por baixo do pano”, nos cinemas mal afamados localizados na periferia das cidades, nas locadoras de vídeo naquele lugarzinho escuro aos fundos etiquetado com a sugestiva denominação de “Acervo”. Isto é, consumir pornografia implicava em correr riscos através da exposição física aos olhares reprovadores de algum conhecido.

Hoje tudo mudou. Os pornógrafos se sentam confortavelmente em seus workspaces e acessam a Internet a bordo dos seus potentíssimos computadores Core 2 Quad com vários terabytes receptivos ao armazenamento de infinidades de fotos e vídeos.

A pornografia, como uma escapadela vez por outra em sites XXX é algo aceito dentro da normalidade, outra coisa é a compulsão incontrolável de dezenas de horas por dia de navegação na Internet dedicada exclusivamente aos vários gêneros pornôs e eróticos. Assim, diante do anonimato conferido pela Internet, a oferta infinita de sites pornográficos e o acesso franqueado a bibliotecas eróticas de todas as naturezas, está transformando a velhice na “idade do pornógrafo”.

Velhos que se emburacam em casa para se dedicarem “full-time” aos passatempos proporcionados pelos mais de 80% de tráfego da Internet não merecem entrar na estatística das pessoas sãs. A velhice Pornógrafa é preocupante na medida em que se sabe da natural tendência que os velhos têm ao desenvolvimento de compulsões e manias. O peso da solidão causado pela sociedade omissa, aliado à oferta ostensiva de sacanagens oferecidas via rede mundial de computadores, estão criando uma geração de alienados pornógrafos que repagina o antigo conceito de caduquice.

Não se trata de dar aqui um viés moralista ao problema. Quero vê-lo sob outro ponto de vista: o pornógrafo compulsivo renuncia fatalmente à produtividade e isto sim representa uma diminuição considerável na qualidade de vida. Quem renuncia à criação e ao aprender, está renunciado de fato à vida. Esta é o drama vivido pelos viciados em sexo de qualquer idade: a fala da realização de atividades interessantes acarreta o sentimento de vazio existencial. Na velhice isto se torna mais dramático e este exemplo deveria servir de alerta aos jovens.

Eis alguns dos pilares, que ao ser construídos tijolo a tijolo, ajudarão a evitar a aposentadoria da vida:

- Exercícios físicos.
Dificilmente as pessoas vão fazer na aposentadoria o que não fizeram ao longo da vida. Corpo que não se exercita rotineiramente é encimado por cabeça propícia a ser morada do diabo.

- Prática de esportes.

Não se pode confundir exercício físico com os esportes, já que eles representam um plus a mais resultante do estado de boa saúde. Esportes de competição, vela, vôo livre, natação, Tai Chi Chuan, alpinismo, Yoga, caminhadas, etc., são maneiras imprescindíveis de se manter a MENS SANA IN CORPORE SANO.

- Cultivo da arte.
Tocar algum instrumento musical, estudar piano, flauta, violino, violão, etc., pintar, esculpir, fazer artesanato, visitar museus, ouvir música, escrever, etc., são atividades que se não forem iniciadas na “fase útil” da vida, tão pouco serão no final dela quando mitiga a vontade.

- Alimentação saudável.
Quem se alimentou de lixo a vida inteira, nunca vai se passar por cultivador de bons hábitos. A disciplina férrea dedicada a uma alimentação mais natural e orgânica possível coaduna com o aforismo romano "mente sã em corpo são".

- Viagens.
Aqueles que hoje estão deixando para usufruir as viagens na aposentadoria, terão como companheiro certo o arrependimento. Quem nunca viajou, certamente não o fará em idade mais avançada, quando o comodismo fala mais alto. Uma das características do avanço da idade, que o jovem deve levar em conta, é o medo cada vez maior de enfrentar situações novas e falta de tolerância com o desconforto. Logo, jovens viajantes têm grandes chances de se tornar velhos viajantes e quem viaja, certamente tem seu cérebro constantemente rejuvenescido.
Conclusão.
Evitar a velhice pornógrafa é tarefa que envolve a educação para a utilidade. Ninguém merece uma aposentadoria que signifique a cessação dos desafios. A criatura humana foi idealizada para ser útil a vida inteira, quer seja através do trabalho profícuo, ou pela usufruição lúdica. Antes da questão moralista subjacente ao consumo de pornografia, lutar contra a idade pornógrafa é um libelo a favor de uma maior qualidade de vida, que é um dos direitos fundamentais da pessoa humana.

7 comentários:

  1. Nunca tinha pensado nisso, mas faz sentido. Uma causa, além da falta do que fazer, ou falta de vontade de fazer algo, é a facilidade do acesso, para uma geração que sofria para ver um peito que fosse.

    A oferta em profusão deve deixar todos com a sensação de ter encontrado a terra prometida, finalmente, hehe...

    ResponderExcluir
  2. Não tinha a ideia que os consumidores de pornografia em larga escala fossem os idosos.
    É natural que os jovens tenham curiosidade mas os que eu considero normais,veem talvez uma dúzia e ficam saturados.
    Acredito, que existam pessoas viciadas neste tipo de filmes independentemente da idade e considero isso uma tara.
    Ocorre-me a ideia de que muitos pais ficam satisfeitos pelos filhos estarem em casa agarrados ao computador, logo, livres de perigo do exterior e, não se dão ao trabalho, por falta de conhecimentos ou indiferença de verificar os sites em que eles andam.
    É um assunto que merece reflexão.

    ResponderExcluir
  3. Pornógrafo é quem faz pornografia. O correto seria Pornófilo. Além disso, o "plus a mais" matou o bom e velho Portuga.

    A propósito, adoro ficar horas vendo pornografia na Internet. Tem pra todos os gostos. Ah, que delícia...

    ResponderExcluir
  4. I love Russians

    ResponderExcluir
  5. De acordo com o texto,"Pornógrafo" (na verdade "pornófilo", como dito acima) = velho tarado.
    Há de se levar em conta se o pornofilo em questão não sofre de algum problema psicológico ou psiquiatrico. Isso conta, e muito, nos casos de senhores acima dos 50.

    ResponderExcluir
  6. O cara deve ser religioso.Sou pornográfico a vida toda, ficar rezando o cara acaba ficando maluco tambem.Ficar dando palpite na vida dos outros é coisa de quem quer bancar o inteligente e não tem o que fazer.Salve salve a pornografia na terceira idade.

    ResponderExcluir