Pesquisar

7 de set de 2008

As máquinas mais odiadas de todos os tempos!

Muitas pessoas mantêm uma relação estranha com os computadores, como se fossem vivos e pudessem se sentir incomodados pela sua ignorância. Quem tem grandes dificuldades de se entender com os “bixos”, pode facilmente aceitar a tese de vê-los como criminosos cometendo todo o tipo de crimes.

Aproveitando este imaginário popular, foram criadas obras ficcionais que exploram o terror das pessoas por estas máquinas complexas, frágeis e tidas como definitivamente incompreensíveis.

O cinema levou à tela alguns vilões sem pés nem cabeça, constituídos de fios, parafusos e arruelas, que devotam sua “inteligência” para matar e destruir.

Andróide Maria de Metrópolis - (1927) Link 1, Link 2.
O primeiro robô a aparecer no cinema foi a Maria de Metrópolis, uma produção Germânica de 1927 dirigida por Fritz Lang. Um cientista louco cria cidade mecanizada de Metrópolis e confecciona para o seu desfrute pessoal um simulacro mecânico da mulher perfeita e submissa. Mas, Maria se rebela contra o seu criador e provoca uma revolta dos operários, que terminam destruindo completamente a cidade. Ao fim, a andróide é queimada numa fogueira como se fosse uma bruxa.

Até o lançamento do filme 2001 Uma Odisséia no Espaço em 1968, o gênero Ficção Científica estava relegado às produções classe B, sem nenhuma credibilidade. A obra de Stanley Kubrik, além de resgatar a FC, lançou à ribalta um tipo de vilão que estava marcando uma nova era: o prenúncio de que os computadores dominariam a terra.

HAL 9000, cujas letras são as da sigla IBM, com uma letra em uma posição a mais, é a personificação da inteligência artificial, a máquina capaz de decidir matar humanos para preservar a sua missão.

Programa Master Control de Tron – (1982) Link 1, Link2.
Tron foi o primeiro filme a se basear inteiramente em cenários digitais numa época em que ainda nem existiam computadores pessoais. O verdadeiro vilão, que se revela no filme, não é o maléfico Stark. O humano é apenas um joguete nas mãos do programa que controla todos os programas e o herói do filme é o cara que escreve um programa de auditoria capaz de controlar até o controle mestre.

O Exterminador do Futuro foi o primeiro e único vilão realmente vilão feito pelo ator austríaco-estados unidense Arnold Schwarzenegger. Ele encarna a máquina criada para ser odiada acima de tudo, pois sua missão é o assassinato da mãe do futuro líder humano que vai combater o poderio das máquinas no ano de 2029.

O conceito do cyborg assassino indestrutível não chega a uma novidade na literatura de Ficção Científica (conforme alguns processos de plágio sofridos pelo Diretor James Cameron), mas Arnold levou a idéia ao status de Cult, por unir as suas características de ator “cara de pedra” à movimentação corporal simétrica e maquinal que ele conseguiu coreografar com seu corpanzil de ex-mister Universo. Então, o personagem que teria assassinado qualquer ator, no caso de Schwarzenegger, alavancou o início de uma exitosa carreira nos filmes de ação, através dos quais ganhou milhões de dólares fazendo tipos um pouco menos mecânicos do que o famoso robô T-800 do Exterminador I, como se vê na seqüência II e III do Exterminador, onde ele vira mocinho.

Máquina Fonte (Source) de Matrix – Trilogia (1999 - 2003).
Um mundo governado por máquinas não chega a ser novidade na história do cinema. Porém, na maioria dos filmes de FC, os humanos terminam retomando o controle. Não é o que acontece com a Matrix. No planeta Terra ambientado em 2199, os humanos não podem mais governar a superfície. Esta é inteiramente controlada por máquinas que utilizam os humanos como fonte de energia.

A inteligência central governante, a Fonte, somente foi revelada no 3º episódio de Matrix e encarna em linguagem tecnológica a mítica oriental da lei do Kharma: um mundo dualista dividido entre a ilusão inconsciente da vida cotidiana e a realidade além das fronteiras dos apegos, sonhos e projeções psicológicas.

Computadora VIKI de Eu Robô - (2004)
Analogamente ao Tron, o vilão final do filme Eu Robô é um computador, melhor ainda, uma computadora chamada VIKI (Acrônimo de Inteligência Virtual Cinética e Interativa). Ela ganha a sua inteligência graças ao princípio do fantasma que se instala na máquina (Deus ex Machina), alguns comandos randômicos se alojam no código principal do programa e disparam um série de comportamentos autônomos.

O filme é basicamente um Thriller policial: a busca de um assassino, que evolui para algo mais, a trama épica de um plano terrível de controle do mundo pelas máquinas


Robôs Sentinelas da Marvel Comics.
Os robôs sentinelas são andróides gigantes fabricados com o intuito de destruir os mutantes do universo criado pela Marvel Comics, onde vivem os Xmen do Professor Xavier, Wolverine, Ciclope, Kitty, Fênix, Vampira, etc.

Os Sentinelas têm uma gama de poderes, eles podem voar, têm vários tipos de armas que dão descargas energéticas e lançam projéteis, disparados de diferentes partes dos seus corpos. Eles podem detectar mutantes a grandes distâncias e alguns deles são transmorfos e têm a capacidade de auto-restauração depois de destruídos.

A simbologia deles pode ser vinculada aos esquadrões nazistas que se engajaram no projeto de Eugenia germânica do IIIº Reich: o genocídio em nome da purificação da raça ariana. Assim, a metáfora do mutante representa a diversidade humana, razão de tantas guerras e ódios.

10 comentários:

  1. Acho que faltou o V-ger, a máquina de Jornada - O Filme.

    O barato saiu da terra como uma sonda espacial e voltou do tamanho de um planeta querendo destruir as inúteis "unidades carbono". Tinha que estar na lista.

    Aliás, Sentinelas da DC Comics?
    Que vacilo!

    FLWS!!!

    ResponderExcluir
  2. Boa sugestão José.
    Já consertei o vacilo.

    ResponderExcluir
  3. Faltou a menininha macabra da Umbrella Co. da série Resident Evil!

    ResponderExcluir
  4. Tem ainda o filme "Geração Proteus", em que uma casa totalmente controlada por computador aprisiona a esposa de seu criador com a intenção de inseminá-la, dando inicio a sua geração.

    ResponderExcluir
  5. Quanto mais máquinas melhor! Alguém quer me mandar o "Máquinas mais odiadas II"? Quem fizer vai receber fama e fortuna, não necessariamente nesta ordem, hehehehe.

    ResponderExcluir
  6. Acho que seria legal lembrar das maquinas que nos ajudaram algumas vezes...ex Cmdt Data JEs, Bishop Alien, o proprio Terminator com o governador da CA...
    Abraços
    Fal.

    ResponderExcluir
  7. Faltaram os Cyberman do Doctor Who.

    ResponderExcluir
  8. cult ^^

    _______________

    Aproveitando pra divulgar meu video

    Para toda ação... uma reação
    http://www.youtube.com/watch?v=UPlfxvf0-B4&feature=channel_page

    Assistam e comentem pliz ;)

    ResponderExcluir
  9. tudo isso não passa de toliçice é só besteiras vceis sabem que nada disso existe e fican martelando como se fosse tudo real

    ResponderExcluir
  10. já pensou a terra sendo atacada por robos que nos mesmos criamos seria uma catastrofe com serteza ia ser o fim da raça humana ainda bem que eu odeio robos.

    ResponderExcluir