Pesquisar

17 de dez de 2008

Descoberta arqueológica urbana na Inglaterra: uma loja de conveniência da 2ª guerra mundial.

Um surpreendente achado de arqueologia urbana foi noticiado pela BBC de Londres, uma lojinha de variedades e sorveteria foi descoberta com decoração à moda da época da 2º Guerra Mundial. O acontecimento se deu na província de Lancashire, localizada a noroeste da Inglaterra, na cidade de Accrington.
Aspecto do prédio depois de terem sido retirados os tapumes.

O incorporador Alan Duffy foi atropelado pela história, quando adquiriu um pequeno edifício de esquina na Burnley na cidade de Accrington. A sua primeira providência foi mandar retirar os tapumes e abrir as portas para se certificar do estado da propriedade, a sua surpresa foi imensa quando ele se deparou com algo que parecia ser uma cápsula do tempo. No início dos anos 70 as portas haviam sido definitivamente cerradas e nunca mais foram abertas por vivalma. Assim, a loja, depois longo tempo esquecida, voltou ao mundo como um museu vivo.
Alan Duffy posando no balcão da sua lojinha que saiu da cápsula do tempo.

Por um momento Duffy se sentiu caminhando dentro dos cenários da comédia clássica britânica “Open All Hours”, um sucesso dos anos 70 que passava na BBC TV, que usava nas suas locações uma lojinha idêntica.

Pelas fotos e o video gravado pela BBC é possível constatar que a decoração, mobília e as mercadorias dentro dos balcões se mantiveram intactos ao longo das últimas décadas. As gavetas revelam um detalhe curioso, o recibo emitido em 24 de setembro de 1927.
A princípio Duffy pensou que a loja estava fechada somente há 20 anos, porém a decoração não havia sido mudada desde a segunda Guerra Mundial.
Nas prateleiras havia exemplares do tablóide sensacionalista TitBits de 23 de janeiro de 1971 com a seguinte manchete de capa: “Elsie Tanner é tão comum quanto esterco”.
As lojinhas inglesas de esquina eram equivalentes às lojas de conveniência de hoje, elas vendiam cigarros, balas de goma, sorvetes, doces, remédios, artigos de tocador, pílulas digestivas, chocolates e um creme chamado “dulcet cream”.
Sais digestivos e outros remédios.

Guloseimas.

A intenção inicial de Alan Duffy era reformar o antigo prédio de tijolos à vista, muito comum na Inglaterra, e transformá-lo em residência. Diante do fato inusitado, o que o novo dono e as autoridades de Accrington vão fazer? Eles têm hoje a chance de inscrever a cidadezinha nos roteiros de turismo do resto do mundo, ou apagar de vez dos corações e mentes qualquer vestígio de lembrança da sua existência. A minha sugestão é que transformem a lojinha num museu, que visitarei com maior prazer, quando eu estiver nos arredores de Lancashire.


Link do vídeo postado no YouTube sobre a lojinha, produzido pela BBC de Londres.

Fontes:
Shop found frozen in time.
The Accrington shop left unchanged for half a century.
Corner Shop Discovered Frozen in Time.
The old curiosity shop: Treasure trove found in store left boarded up for decades.

8 comentários:

  1. Eu nao conheço museus, nunca fui num.
    Deve ser algo esquisito não é?
    Tenho ligeira impressão que n´so brasileiros de forma geral não curte muito e nem dá valor ao "velho" e nem a "história", salvo as exceções é claro, não sei porque disso, talvez pela nossas educação em gostar da novidade ou sei lá, pode ser uma teoria boba da minha prte.
    Ahhh qualquer coisa, se passar pelas bandas de lá, manda uma foto pro blog.

    ResponderExcluir
  2. olha lara brasileiro no geral nao curte museu pela ignorançia imposta nosso ensino deixa a desejar criando jovens formandos muitas vzs com conhecimento mas pobre em cultura mas a maioria que entra em um museu adora pois la esta contido um pedaçinho de nos mesmos e de quem somos .

    Cogito Ergo Sun

    ResponderExcluir
  3. Legalzinho, mas se eu fosse o cara eu venderia tudo que tem dentro e faria o que eu tinha em mente para o local.
    Isso de ficar conservando coisa velha não é pra mim!

    ResponderExcluir
  4. legal, se minha opinião valer de alguma coisa pro feliz proprietário voto em manter e fazer de la um museu, talvez até mesmo algum tipo de comércio sem deixar perder as características do local, algo como lan house, um happy hour, hotel..., pelo porte do prédio e um pouco de criatividade da pra fazer muita coisa boa lá

    ResponderExcluir
  5. Acho q faço parte da exceção que ama o "velho". Adoro antiguidades!! Mas curto as novidades tbm. Ficaria deslumbrada se entrasse nesse lugar. Acho q nem preciso dizer qual é a minha opinião sobre o q o proprietário deve fazer com o local.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de ver mais fotos desse local. Seria possível?

    ResponderExcluir
  7. Dori, você levanta uma questão que merece ser desvendada. A fonte original desta notícia é a BBC, que infelizmente ficou no nível da superficialidade, se limitando a produzir um vídeo para a TV. A imprensa brasileira comeu na mão da BBC e só deu alguns flashs do vídeo e o assunto morreu aí.
    O site que aprofundou mais a notícia foi o Daily Mail (último link o do rodapé), que disponibilizou todas as fotos adicionais. E isto é tudo que consegui catar nas minhas garimpagens que fiz no Google usando termos em inglês.

    ResponderExcluir
  8. Conhecer o passado é deslumbrante. Não só para desvendá-lo,como também para valorizar o presente e se preparar para o futuro, pois daqui há mais alguns anos, seremos nós os fósseis, seremos os "velhos" a serem curtidos, quem sabe, derepente com curiosidade ou desprezo como alguns de nós hoje. O tempo passa e não perdoa, o que é novo hoje será o velho amanhã, do mesmo jeito. Melhor será não esquermos disso agora, para não nos entristecermos futuramente.

    ResponderExcluir