Pesquisar

14 de ago de 2010

10 Coisas que a Internet extinguiu.

A revolução tecnológica proporcionada pela Internet não se limitou às comunicações, já que ela formatou um novo estilo de vida baseado no uso das novas tecnologias. Assim, gostando ou não, aceitando ou não, TODOS viraram usuários de Internet nas mais diferentes situações cotidianas, independentemente da posse de computador ou do nível de inclusão digital.

1) Telefone.
Coisas que a Internet extinguiu - Telefone
[My Color Music]

Diante do aparelho fixo, os adolescentes tem receio de operar este equipamento misterioso posicionado em cima da cômoda, mais ainda, as pessoas tem abandonando em massa tal símbolo comunicacional que imperou durante todo o século XX e trocado pela portabilidade e conforto dos telemóveis.

2) Disco.
Coisas que a Internet extinguiu - Disco
[Hijack]
Não há como negar, TODAS as mídias físicas estão definitivamente mortas. O que temos aí são zumbis tecnológicos se movendo em meio à borrasca provocada pelo streaming e as memórias Flash.

3) TV.
Coisas que a Internet extinguiu - TV
[Fanpop!]
Assisto cada vez mais pessoas inteligentes se despedindo das dezenas de canais imprestáveis da TV aberta e das centenas por assinatura. Depois que a Internet entrou nas nossas vidas, descobrimos o tempo inútil que dispendemos assistindo programação de lixo entupida de propagandas indesejáveis.

4) Cinema.
Coisas que a Internet extinguiu - Cinema
[Web Urbanist]
Perdi noção da última vez que fui ao cinema enfrentar perrengues do tipo: estacionamento, imagem escura e fora de foco, segurança precária, conforto espartano, um sujeito atrás praticando spoiler, etc. Ainda bem que inventaram os projetores e os Torrents do PirateBay! (A bem da verdade, a maioria dos filmes da minha cinemateca são DVDs originais.)

5) Conceito de amigo.
Coisas que a Internet extinguiu - Amizade
Se a Internet não acabou com a amizade, diluiu o conceito de amigo. Hoje, qualquer um pode ter milhares de amigos no Orkut, Twitter, Facebook, Myspace, Hi5... mas os amigos do peito continuam sendo contados nos dedos da mão. A Internet talvez tenha aprofundado o abismo entre as pessoas, que se no chat tem milhares de coisas para dizer, no cara-a-cara se embasbacam e emudecem. No momento em que você vê cruamente as espinhas no nariz do amigo e lhe sente o mau hálito, o arroubo afetivo presencial perde o sentido.

6) Revista de sacanagem.
Playboy Iraniana
[Shahram Entekhabi] via [Blogpaedia]
Foi-se o tempo em que a procura de sexo contemplativo somente era possível indo furtivamente à banca de revista e pedindo em voz baixa ao vendedor as últimas novidades da lascívia eslava. Então, você comprava junto uma revista “séria” para não dar na vista e saia de fininho para o aconchego do seu lar.

7) Computador.
Coisas que a Internet extinguiu - computador
[Rollmops im Kanzlerbunker]
A noção de computador como dispositivo de processamento local está definitivamente perdida. Com a banalização do uso da nuvem, os seus dados não estão mais numa determinada máquina e sim na “Internet”, em servidores indeterminados espalhados pelo planeta. Então, numa involução espantosa, o computador voltou a ser, como nos velhos tempos, apenas um terminal de entrada e saída.

8) Publicações em papel.
Coisas que a Internet extinguiu - Jornal
[Mol-TaGGe] via [Uêba]
O Jornal do Brasil está abandonando o papel e junto com ele diversas publicações estão migrando para o meio 100% digital. Há anos que não sei o que é comprar tal mídia, mesmo porque a minha casa não tem espaço para armazenar o lixo acumulado. Como não tenho pendores artísticos para criar esculturas pós-modernas de entulho, abstenho-me de acumulá-lo. É o que sempre digo para os atendentes de telemarketing que insistem em me azucrinar com ofertas de assinaturas de periódicos, via o quê? Telefone, naturalmente, esta outra peça paleolítica em extinção.
» Jornal do Brasil vai abandonar versão em papel.

9) Biblioteca
Coisas que a Internet extinguiu - Biblioteca
[Pixdaus]
Há quanto tempo você não vai a uma biblioteca? Estes espaços se configuram cada vez mais em retratos de uma era.

10) Escola.
Coisas que a Internet extinguiu - Escola
[Pixdaus]
A escola que aí está, cumpre muito mais um papel de instituição assistencialista de fornecimento de alimentos para crianças carentes, do que de reprodutora do conhecimento. Infelizmente, o conhecimento extra-muros escolares disseminado pela Internet não se amalgama aos moldes da velha escolástica, fundamentada em carteira, quadro-negro, giz e saliva. Tanto a escola está morta, que a segunda greve mais inócua deste país, depois da dos aposentados, é a dos professores, pois ninguém mais precisa de uma escola que não fala a linguagem do Google.

Outras listas legais do que a Internet está matando:
» 10 Coisas que a Internet matou.
» 20 coisas que a internet está destruindo.
» 10 things the Internet has Killed or Ruined (and 5 things it hasn't).

50 comentários:

  1. Ainda bem que relacionamentos e sexo ela nao consegue destruir.

    ResponderExcluir
  2. Esse blogpaedia está ficando uma m...
    Isso tudo é pra ganhar dinheiro com patrocinador?
    Clicamos em qualquer região da página e aparece outra. Felizmente eu encerro antes da abertura.

    ResponderExcluir
  3. Iara,
    se formos fazer um análise aprofundada, vemos gente por aí sendo "demitida" da relação por SMS, email e tweet. Tem a questão do sexo virtual que é nevrálgica, por isto estas questões continuarão a ser debatidas nos próximos anos.

    ResponderExcluir
  4. Deletei o anúncio em regime de pop-under. Realmente é um saco visitar Sites que ficam janelas automaticamente. Na real, eu não sabia muito bem o mecanismo do AD, mas agora ele se foi. Obrigado pelo feedback.

    ResponderExcluir
  5. tem gente que viaja de mais! aff...cresce, abra essa mente...

    ResponderExcluir
  6. "O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação." William Shakespeare.
    "The lunatics are in my hall
    The paper holds their folded faces to the floor
    And every day the paper boy brings more
    And if the dam breaks open many years too soon
    And if there is no room upon the hill
    And if your head explodes with dark forbodings too
    I'll see you on the dark side of the moon..."
    Pink Floyd.

    ResponderExcluir
  7. Realmente a tecnologia da internet revolucionou o mundo das comunicações tornando-se prática. Quanto ao relacionamento humano independente da web, em toda época existem pessoas oportunistas que se aproximam do outro por puro interesse, seja material ou status e isto no mundo atual tornou-se comum. Já a amizade sincera é muito difícil de encontrá-la como pedra preciosa. Observo que na realidade existe apenas um amigo em cada 100 ou até entre mil pessoas. Caso se encontrar um amigo de fé entre dez criaturas é sorte. Isto não significa um olhar pessimista contra a humanidade e, é apenas a pura realidade.

    Parabéns pelo great post!

    ResponderExcluir
  8. Muito bom!
    Muita dessas coisas se a internet não extinguiu ainda está em processo de extinção. Pelo menos ainda temos coisas pra contar pros nossos netos.
    Esse post entrou pros nossos links da semana ;D

    Parabéns, um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OBS: Cuidado com os apagões e defeitos.

      Excluir
  9. "Deletei o anúncio em regime de pop-under."

    Ah, certo. Eu que agradeço.
    É que estou tão cansado dessas páginas que abrem sem permissão.

    ResponderExcluir
  10. A questão dos pop-up e pop-under são um assunto à parte que merece discussão. Vários grandes sites da mídia estão apelando para a prática maliciosa de abrir janelas indesejadas em cima do que você está lendo. Não há ganância por dinheiro que justifique esta política, porque aparentemente eles já estão com os bolsos forrados com o vil metal.

    ResponderExcluir
  11. gostei da frase: "escola é uma instituição assistencialista de fornecimento de alimentos para crianças carentes"

    ResponderExcluir
  12. extinguiu?
    A menos que vc tenha escrito ( ou irá escrever) isto em algum momento no futuro, acho que vc se enganou com o titulo.
    Primeiro que o futuro é incerto demais e mesmo algumas coisas que vc citou, e que de fato pouco vemos hoje em dia, ainda tem algum mercado e, por incrivel que pareça, parece ter muita vida pela frente. É o caso dos discos de vinil.
    Outras coisas estão mudando e se adaptando, como é o caso da tv, cinemas, bibliotecas, revistas e etc.Podem não ter mais a abrangencia que tinham antes, mas mudaram seu nincho e estratégia e com isso podem continuar existindo por muito tempo.
    Uma dica: Não tente ganhar a vida como futurologo pois vc vai morrer de fome.

    ResponderExcluir
  13. mano muito boa.. essa frase é ideal: "escola é uma instituição assistencialista de fornecimento de alimentos para crianças carentes" ^^

    ResponderExcluir
  14. esses nerds acham q a internet é oitava maravilha do mundo, alias, o mundo pra eles se resume a isso, ficam tanto tempo trancados nos seus quartos, masturbando os seus computadores, que perderam completamente a noção da realidade, reaje macaco.

    ResponderExcluir
  15. Cara, a sua vida depende visceralmente da Internet. Sem ela você não viaja, não nasce, não morre, não trabalha, não tira dinheiro no banco, não casa, não tira férias, não tem carro. Meu... a nossa dependência é tão grande, que você não seria capaz de atravessar o semáforo da esquina, pois sem a Net não haveria semáforo.
    Tente mandar o seu imposto de renda por formulário, ou fazer um booking de viagem de avião, e melhor, vá ao seu banco e peça para que o gerente controle a sua conta na base da ficha e ele vai dizer que você está louco.

    ResponderExcluir
  16. Dá muitas saudades daqueles seriados antigos que mostravam verdadeiros valores de amor e amizade. Infelizmente, a TV não reproduz mais os programas educativos dos anos 70, dando lugar àqueles que nada acrescentam à mente dessa juventude de hoje. Tudo isso para competir com a internet.
    Eu daria a sugestão de número 11, mostrando uma casa super desarrumada, rsrss.

    ResponderExcluir
  17. O problema está na forma de usar a internet. Realmente ela está sendo útil demais da conta. No meu caso, por exemplo, é raro entrar numa fila de banco, a não ser se for em casos extremos. Se eu não recebo o boleto bancário, tiro logo uma segunda via pelo site e por aí vai...
    É lamentável apenas nos casos de pedofilia e agora esse cyberbulling. As agressões virtuais crescem a cada segundo e não há controle disso.

    Por isso a internet pode ser boa e ruim.

    ResponderExcluir
  18. Marcos,
    Bulling é mais velho do que andar para frente, só que sem o "cyber". A coisa complicou porque crianças e adolescentes, quando vão para casa, continuam a fermentar as discussões pela Rede e a coisa assume proporções bem maiores do que antigamente.
    Qual é o problema? Os pais modernos devem ser hackers vigilantes, ou contratar hacker que monitore a atividade dos filhos na Internet. Sem controle não há solução.

    ResponderExcluir
  19. esta com algum problema pergunta o Google ele tem a solução viva a era da internet

    ResponderExcluir
  20. É impossível pensar no mundo sem a Internet.
    A incessante busca do conhecimento passa por ela, bem como os serviços quotidianos. É um facto indesmentível.
    A aposta que nos últimos anos se tem consolidado do reforço da “ banda larga “ constitui a melhor evidência do impacto que a partilha do conhecimento tem na construção de uma plataforma, seguramente mais coesa do ponto de vista social e humano.
    Não obstante tudo isto, só por si não é suficiente.
    Falo da educação em todas as suas vertentes. É aqui que reside o grande problema, aparentemente insolúvel.
    Impávidos e seremos temos assistido ao desinvestimento cultural quer da família quer do Estado.
    Convém relembrar que Estado não é um ser abstracto, somos todos nós.
    Não se pode conceber uma sociedade cujo desígnio não seja projectar o futuro com educação. Não a qualquer preço. Com as pessoas e para as pessoas.

    Este é um dos maiores desafios que a sociedade actual enfrenta e que não pode ser adiado.

    ResponderExcluir
  21. Cloud computing não é realidade ainda mermão, principalmente porque as conexões de internet não são rápidas o suficiente ainda pra isso. Ou vai dizer que você consegue assistir um filme em 1080p em streaming, ou você armazena todos os seus documentos em algum HD virtual por aí e tem acesso imediato a eles sem precisar fazer download?

    Quanto ao cinema não quer dizer que se você não vai outras pessoas também não vão. Mesmo caso das publicações em papel, e até mesmo disco de vinil ainda tem alguns saudosistas que o utilizam.

    Você devia colocar o título do seu post como tecnologias que você não usa mais, pois considerar que estão extintas é um tanto quanto absurdo.

    ResponderExcluir
  22. Cinema: estão apelando para 3D e outras coisas, que rapidinho já estarão nas casas das pessoas.
    Streaming 1080p: a maioria das pessoas nem sabe discernir muito bem HD de LD, ou você tem alguma explicação para todo mundo estar ouvindo um som de péssima qualidade em mp3, quando poderia desfrutar de equipamentos HI-Fi?
    Com a emergência d Streaming, devemos esquecer os velhos paradigmas, mesmo assim, continuam existindo carroças, muitos ainda ouvem discos e vão buscar jornal na porta.
    Isto não quer dizer que tais atividades jurássicas não estejam extintas, talvez até continuem um tempo para atender nichos de mercado, mas no mainstream elas morreram.

    ResponderExcluir
  23. Quanta bobagem!
    Sempre surgem essas visões de que uma coisa vai extinguir a outra.. mas não passa de besteira!
    Se a Tv não conseguiu extinguir o rádio até parece que a internet vai conseguir fazer isso com ela...
    o mais infeliz ainda foi o comentário sobre a escola, que visão mais escrota que você tem dela, vai estudar um pouco!

    ResponderExcluir
  24. Cabe esclarecer a minha visão de escola. Como falei no texto, está morta a escola do tipo tradicional de banco-carteira-sala-quadro. Alguns casos de nova escola já funcionam e muito bem com o desmantelamento dos velhos paradigmas.
    Diante dos recursos tecnológicos que dispomos, não precisamos mais de salas de aula com crianças sendo mantidas sentadas imobilizadas nas suas carteiras por horas a fio. Isto, além de ser contra a educação, combate a sede de conhecimento.
    A escola que está aí é um atentado aos direitos humanos - excelente fábrica de loucos e retardados mentais - mas não formadora de futuros gestores e cientistas capazes de botar um único satélite em órbita (as nossas tentativas até agora esfumaçaram no ar. Por que?).

    ResponderExcluir
  25. Bom! meu amigo bronheiro, digo...blogueiro, só posso supor q vc está brincando e sendo sarcacstico, se for isso, a piada foi boa. porq eu não dependo da internet pra praticamente porra nenhuma, se amanhã aconter um cataclisma "nerd internetal" e eu não puder usar esse meu computador, para pelo menos mandar algumas mensagens desaforadas a vc, lamento t decepcionar, mas minha vida seguira normalmente, sem traumas.... ok, mas va la...fique adorando a Deusa internet em um altar, q ta tudo tranquilo.

    ResponderExcluir
  26. Meu Deus!
    a menos que você viva enterrado no deserto de Dasht-e Lut na Líbia, quando vai abastecer o seu carro, depende de internet, quando pega um telefone, depende de internet, quando vai ao super-mercado, depende de internet, o simples entrar num shopping, depende de internet, pegar um ônibus, depende de internet.
    Acorde agora ou se mude para a grande depressão de Dallol na Etiópia.

    ResponderExcluir
  27. Eu sou o anonimo que escreveu que, a menos que vc tenha vindo do futuro, se enganou com o titulo. O outro citou muito bem o caso da tv com o rádio. É verdade que muita tecnologia desaparece, mas também é verdade que prever o que vai desaparecer de fato é tão difícil quanto prever um cara e coroa. A dependencia da internet é indiscutivel, e a própria internet da forma que conhecemos hoje poderá ( ou não) morrer um dia.
    O mundo que voce pintou neste post não é a realidade como vemos, principalmente aqui no Brasil onde nem todos podem ter acesso a um Itouch da vida.
    No início dos anos 50(ou 60) alguns resolveram pintar quadros da revolução que eles acreditavam ser imediata. Resultado: Mesmo hoje não damos bom dia para um robozinho humanoide com uma inteligencia equivalente à do homem que traz o café da manhã na cama, como acreditavaram que ocorreria. Não ocorreu. A IA não não conseguiu cumprir o que prometeu e quase morreu por causa disso. Quando voltou veio muito mais modesta. Conclusão: O futuro é completamente imprevisível e um post deste é muito útil para exercitar a imaginação, mas tomar isso como fato atual é viver em um mundo imaginário, paralelo. Essa ainda não é a nossa realidade e nem sabemos se vai ser de fato...E se um dia chegar a ser, que seja para todos.

    ResponderExcluir
  28. Sr. Anônimo,
    este Blog se sente honrado de estar cumprindo o seu papel de instigador da imaginação e da discussão sobre assuntos aleatórios e, principalmente, suscitar especulações sobre futurologia. Na real, eu me abobo com a altíssima qualidade do que os leitores produzem aqui.
    Você está coberto de razão quando propugna que o futurismo da década de 40 não previu o transístor, enquanto outras previsões momentosas praticamente caíram no esquecimento e a IA é uma delas.
    O Brasil, na sua qualidade de um dos campões mundiais de iniquidade, está num momento sui generis da sua história: de um lado um punhado de cidadãos de 1ª classe com acesso à banda larga de no mínimo 1 mega e do outro, os excluídos comunicacionais, que só existem porque o FHC assinou acordos internacionais para perpetrar uma privatização que não levou em conta aspectos sociais.
    O resultado disto é que os provedores privados de acesso à Internet operam onde enchem os orifícios anais de dinheiro e mandam às favas as periferias e os bolsões de miséria onde vivem a maioria dos brasileiros.

    ResponderExcluir
  29. a internet destruiu o computador?

    ResponderExcluir
  30. Esclareço porque a Internet extinguiu o computador:
    o paradigma da máquina com CPU, teclado, monitor, impressora, etc, é coisa do passado. Hoje assistimos a fragmentação deste dispositivo em vários tipos de PDAs: iPad, iPod touch, smartphone, tablet, palm, blackberry, netbook, etc. Brevemente vários eletrodomésticos terão acesso à internet, tais como geladeiras, televisores, fogões, etc.
    Assim como o papa dos videogames Hideo Kojima decretou o fim dos consoles de games R7, o cloud computing e a disseminação dos gadgets conectados exterminará o computador no sentido clássico que conhecemos hoje.

    ResponderExcluir
  31. NADA A VER ESSA LISTA

    AFF.............

    ResponderExcluir
  32. Acho que o que realmente transformou tudo isso foi a tecnologia e não a internet, alias a internet é um dos "produtos" da tecnologia.
    E outra, algumas coisas trocaram de "formato" sim, mas outras apenas se transformaram, tiveram que se adaptar. Respeito sua opinião, mas o mundo é muito mais amplo que a internet.

    ResponderExcluir
  33. Discordo numa coisa, o mundo não é mais amplo do que as comunicações. Tudo que conhecemos hoje se esborniaria se o sistema de telecomunicações entrasse em colapso. O detalhe e que as comunicações estão sendo engalfinhadas pela Internet, logo, INTERNET RULES! O mundo não sobrevive mais sem esta coisa que nem percebemos mais, por ser tão óbvia quanto o ar que respiramos.

    ResponderExcluir
  34. Podemos dizer que a internet mudou sim a tecnologia existente do mundo, agora, se extingue as coisas descritas ali em cima, acredito ser outra coisa diferente. O autor citou que a internet extinguiu várias coisas, sendo:
    Telefone, disco, tv, cinema, conceito de amigo, revista de sacanagem, computador, publicações em papel, bibliotecas, escola.

    Devo concordar completamete quando o autor diz que a internet extinguiu revistas de sacanagem. Sei que Hugh Hefner está vendendo (ou vendeu) grande parte de ações da Playboy pela falta de lucros das revistas.

    Em relação as outras coisas, devo discordar de algumas antes de fazer meu comentário final.

    Sobre o telefone, não acredito que a internet venha a extingui-lo. Podemos considerar que a internet de fato o aprimorou: afinal, o próprio autor cita os famosos (e relativamente caros) smartphones. Afinal, eles decendem da ligação de duas tecnologias primárias: O celular (telefone sem fio) e a internet.

    O disco também não acredito que seja extinto pela internet. Sabemos que ele deixou de ser visto como objeto para ouvir músicas pelo CD, mais compacto. Entretanto, atualmente existem pessoas que ainda utilizam-se diariamente do disco, como DJs e ávidos por música (já que acreditam que um disco de vinil bem gravado e tocado em um player de excelente qualidade tem mais qualidade que um cd no mesmo player).

    Em relação a televisão, me justifico pelo seguinte. Por um lado, a internet também a aprimorou (afinal, as novas televisões se conectam à internet), do outro mesmo nas camadas mais pobres da população brasileira, a televisão é predominante nas casas, ao contrário do computador com internet. Na camada mais rica da mesma população, a televisão continua a existir, agora, em HD, em 3D e por assinatura.

    Sobre o cinema deixaria para falar junto com o conceito de amigo.


    [continua]

    ResponderExcluir
  35. [Parte 2]

    Em relação ao computador, bem, não sei sobre o autor, mas eu estou acessando a internet por um desktop neste exato momento. Apesar de não possuir um smartphone, não acredito que seria capaz de jogar nenhum dos jogos que eu gosto em algum deles, ou de poder digitar um texto tão longo quanto esse com a mesma facilidade.

    Sobre as publicações em papel e bibliotecas posso falar juntas, afinal, a biblioteca é um conjunto de publicações em papel para fins consultivos. Devo dizer que não, não tenho exatamente o costume de ir a uma biblioteca, pegar um livro, e lê-lo (mesmo porque a biblioteca da cidade em que vivo é horrível), mas sempre que posso leio revistas e jornais, - pelo menos o Estado de São Paulo e a Folha, todos os dias, quando posso - já que gosto de ler textos de grandes autores. A biblioteca é um local que realmente deveria ser frequentado mais, mas não por culpa da internet, e sim pela ignorancia de muitas pessoas. Afinal, vejo os livros, jornais e revistas como fonte inestimável de conhecimento e informação.

    A escola, bem, a escola é o mais difícil. A internet realmente acabou com a escola, mas não pela riqueza de informações, e sim pelo excesso de besteiras. São mais chamativas do que as matérias lecionadas nas escolas, por isso mesmo, muitas estão se reformulando.

    Agora, sobre o cinema e o conceito de amizade.
    Devo discordar pessoalmente sobre o cinema: ainda vou quando posso assistir a algum filme que considero interessante. Entretanto, vejo o risco real para a extinção do cinema com a enorme rapidez que os filmes podem ser baixados e pirateados. E com enormes televisores em 3D e sons em HiDef, pessoas de estratos sociais melhores podem desfrutar de filmes em Blu-ray.
    Entretanto, desfrutar um filme sozinho, ou, de qualquer forma, acessar a internet "sozinho" (sem interação), é o grande marco da internet.

    O que a internet realmente transformou de forma abrupta, foram as relações sociais. Como dito pelo autor, uma pessoa pode ter cerca de 400 amigos em redes sociais, e nunca sequer ter olhado algum deles no rosto. A internet nos tornou seres solitários e pretenciosamente independentes, mas somos seres sociais, não virtuais. Mesmo que o conceito de amizade tenha de alterado, por um lado mantém-se intacto: fora algumas exceções, todos nós temos amigos "reais", da mesma forma que podemos namorar ou fazer sexo on-line, mas de forma alguma poderá substituir o real.


    Grato pela atenção se leu até aqui.

    ResponderExcluir
  36. Creio que a internet extinguiu em vc toda a sua "humanidade" depois de suas "proposições", deixe de viver e aliene-se cada vez mais, com a sua INTERNET.

    ResponderExcluir
  37. JonasBode,
    sensacional o seu texto! Ótimas obtemperações e concordâncias que nos remete ao ponto nevrálgico da questão: estamos discutindo a obviedade de um mundo em transformação profunda por algo que não conhecemos totalmente. O que dirá a história de nós, seres híbridos analógicos-digitais, se quase não conseguimos compreender os nossos antepassados puramente analógicos?
    Eu omiti no texto um item fundamental, a Internet está acabando com o dinheiro real quando trouxe o chamado "dinheiro de plástico". Isto já estava previsto nos filmes de Ficção Científica e só agora está se tornando realidade.

    ResponderExcluir
  38. vai pra merda cara!! essas 10 coisas que a internet extinguiu... só se for na sua vida o desinformado. se manca e num publica coisa errada nao.

    ResponderExcluir
  39. A maioria dessas cousas não foi extinta... Foi muita forcacao de barra essa lista eu nao duvido da importância da internet mas eu utilizo ainda a maioria das coisas citadas e prefiro muito mais fazer as coisas do lado de fira do que sentado no computador o dia inteiro.... Esse post foi direcionado para pessoas muuuuuuuuito nerds.

    ResponderExcluir
  40. O sentido do verbo "acabou" usado no título está muito mais ligado aos diversos conceitos do que aos equipamentos em si.
    Entre 1995 e 1999 me apavorava a idéia de que meu computador poderia sofrer uma pane e eu perderia toda minha produção. Hoje, se isso acontecer os danos são bem menores graças aos textos publicados em blogs.
    Ao telefone prefiro e-mails que podem ser retomados e relidos quando houve alguma confusão de comunicação. Também guardo vários e-mails para futuras consultas.
    Tenho os meus livros e acho legal consultá-los em casa, mas em vez de ir a uma biblioteca pública eu prefiro buscar textos disponíveis na internet.
    Televisão: o que preferir na hora que você quiser... este é um conceito novo também relacionado à internet.
    Discos de vinil são ótimos, mas duvido que ressurjam grandes e poderosas gravadoras como nas décadas de 1960 a 1990.
    O cinema de tela plana quase não tem mais atrativos, por isso aqueles que não implantarem salas 3d ou 4d tendem a sumir. Durante as férias assisti alguns filmes em salas de cinema de Bento Gonçalves, éramos cerca de 5 pessoas na sessão...
    Enfim a internet acabou com conceitos antigos e está provocando mudanças nestes vários meios, aqueles que não conseguirem mudar se extinguirão ou ficarão reduzidos a pequeníssimos nichos, outros evoluirão, não no sentido equivocado de obviamente melhorarem, mas, simplesmente, de mudar se adaptando...

    ResponderExcluir
  41. Abastecer o carro depende da internet?
    Telefonar depende da internet??!?!? Supermercado?? Pegar um ônibus??

    Mermão, você tá louco. Muitos serviços tiveram sua forma de operação melhorada por redes (não vamos dizer internet... afinal quando você paga alguma coisa com crédito não precisa usar a internet propriamente dita). Mas dizer que estes serviços só existem com a internet?? É muita viagem. 30 anos atrás a internet não existia, existiam apenas algumas redes pelo mundo e você podia pedir uma pizza e pagar com cartão de crédito (quem se lembra da máquininha mecânica com papel carbono que o entregador trazia?). Viajou...

    ResponderExcluir
  42. No Rio de Janeiro, os cinemas vivem cheios, mesmo em salas convencionais. Imagina 5 pessoas em uma sessão.... Você já ouviu falar na biblioteca pública de nova york? Vive cheia... recentemente construíram uma nova biblioteca de alexandria... Claro que o termo deve ser atualizado pra mídiateca, mas enfim... e as publicações em papel? Hoje existem jornais gratuitos distribuídos em estações de metrô (como o Destak) e cada vez existem mais revistas nas bancas, dos mais variados assuntos. O mercado editorial do Brasil, mesmo crescendo como vem crescendo, ainda é pífio comparado ao mercado de outros países. Cara, você pode ser nerd/geek e ainda assim gostar de ir a uma biblioteca e cinema. Aqui as pessoas fazem isto (e bastante)

    ResponderExcluir
  43. isso sem contar a mania de se enviar cartões de amor e amizade a tal expressão social ninguém mais vai à papelaria para comprar cartões depois ir ao correio para postar e ficar esperando dois ou três dias até chegar pelo correio

    ResponderExcluir
  44. Eu discordo, publicações em papel, bibliotecas, cinema e telefone ainda devem perdurar por um bom tempo. Muito antes da internet as bibliotecas já perdiam seu publico "leigo", a diferença é que agora tem menos moleques de escola básica frequentando, mas qualquer estudante universitário que se preze faz suas pesquisas em uma boa biblioteca. Com relação ao papel, eu não troco um bom livro de papel por nada, ler no monitor do computador é uma bosta e os cinemas eventualmente vão se reinventar com tecnologias novas para atrair a freguesia.

    ResponderExcluir
  45. Poseidon,
    talvez não haja a aniquilação total das antigas tecnologias, porém, elas tendem a perder o seu poder monopolizante. Continuo a ouvir os meus LPs, o que não quer dizer que eles não estejam extintos.

    ResponderExcluir
  46. Televisão, só otário vê.

    ResponderExcluir
  47. Então, numa involução espantosa, o computador voltou a ser, como nos velhos tempos, apenas um terminal de entrada e saída.

    BULLSHIT.

    ResponderExcluir
  48. CARA FALA SÉRIO! INTERNET EXTINGUIU O CINEMA?
    VC TEM QUE TOMA NO **
    NERD DO CAR****!!! A GATINHA vem vc fala o que?
    ea mina vamo na minha casa assisti um filme on-line...p****!!!
    sai da frente do pc!!!
    legal pra caramba galera se reuni aqui na minha casa!!! Eu ainda peço pizza pelo telefone...
    quem concorda comigo por favor se manifeste!
    é muito facil postar.

    ResponderExcluir