Pesquisar

12 de ago de 2010

Heróis gays enrustidos e reconhecimento de corpos trancados no armário.

É justo admitir como comportamento hétero "amigos inseparáveis", "amizade de infância", ou outro tipo de relação homoafetiva entre homens presumivelmente acima de qualquer suspeita? Logicamente o tecido social fica com uma pulga atrás da orelha e as mulheres, particularmente, ficam de cabelo em pé diante da conduta de um corpo cheirando a armário.

Pois a ficção imita a realidade de tal forma que imiscui nos roteiros personagens ambíguos não abertamente gays, porém, não heterossexuais à toda prova:

Gregory House e James Wilson de Dr. House.

Os dois moram juntos, sozinhos, sentem ciúmes um do outro, trocam olhares e frases ambíguas e juntos saem para comprar uma casa mais espaçosa... precisa dizer mais?
» A relação gay entre House e Wilson.
» Por que os homens querem ser o Dr. House?

Ozymandias de Watchmen.
Ele é o loiroso pintoso que encarna perfeitamente o estereótipo gay. Bem vestido, tem auto-controle, domínio corporal e nuca rígida, pimba! É biba enrustida, que, no entanto, os roteiristas não tiveram a coragem de tirar do armário.

Chandler e Joey de Friends.
Voltamos ao velho tema dos “melhores amigos” no extinto seriado Friends. Apesar de os roteiristas jamais tê-los tirado do armário, o público sempre manteve um pé atrás diante da tal amizade meiga e... altamente suspeita, tanto que mereceu várias compilações dos melhores momentos:


Batman e Robin da franquia de 1997.
Segundo palavras textuais de George Clooney sobre o Batman e Robin de 1997 quando perguntado se ele faria um gay, ele respondeu: "eu já fiz um gay".
Na verdade o Batman de 1997 lembra tanto Brokeback Montain, que montaram uma paródia no Youtube justamente explorando as semelhanças.
» Clooney: "Batman é gay".


Como é a ficção que se inspira na realidade, facilmente uma mulher pode se engraçar por um príncipe, que por dentro é uma biba desfraldada.

Para o rápido reconhecimento do cheiro de naftalina represada no armário, aqui vai um breve guia prático para que as mulheres evitem o vexame da descoberta que a sua necessaire de cremes é menor do que aquela pertencente ao suposto exemplar portador de testosterona:
1- o sujeito tem uma necessaire? Então vire a página e não continue lendo;
2- o roupeiro dele é todo arrumadinho com roupas separadas por cores... humm;
3- ele tem fissura por marcas e grifes? … mal sinal;
4- ele repara na roupa da mulher e até lembra o que a pobre diaba vestiu na semana passada? 100% resíduo de naftalina;
5- ele aos trambolhões até engasgar, principalmente quando está fofocando e principalmente sobre mulheres? ...aí tem coisa;
6- ele sabe exatamente o que significa “six packs” e ainda por cima ostenta isto na barriga, ou seja, são aqueles gominhos de barriga de tanquinho? A coisa vai muito mal, pois homem só desenvolve isto para outros homens verem;
7- ajeita a sobrancelha ao olhar no reflexo, usa roupas justas e usa a manga dobrada para forçar um garrote no bíceps hipertrofiado, sei não, este já é;
8- um homem se conhece pelo número de potinhos de creme, se não tem nenhum, é macho, se tem dezenas, é melhor sair de fininho;
9- quando a mamãe dele está no céu de tudo que é bom o resto das mulheres amarga na terra, tem que ser gay;
10- coloca as suas iniciais em todos os seus pertences íntimos? Nem precisa consultar a cartomante;
11- ele refere eventualmente a alguém do sexo masculino como “pessoa”? Essa é mortal!
» Guia prático para identificar gays enrustidos.

8 comentários:

  1. "ele sabe exatamente o que significa “six packs” e ainda por cima ostenta isto na barriga, ou seja, são aqueles gominhos de barriga de tanquinho?"

    HaAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    Então todos os homens da mídia são gays.
    Alguns milhões que imitam também são.

    ResponderExcluir
  2. É frequente ouvir dos heterossexuais a expressão “ Há muitos anos que deixei de tentar perceber as mulheres, sei apenas que preciso muito delas”

    Há mulheres que se apaixonam por gays? Sim. E gays que se apaixonam por mulheres? Também.
    Isto causa no macho (latino) estranheza, perplexidade e porque não dizer nojo.
    Os rótulos trazem-nos segurança e representam o conjunto de valores com os quais nos identificamos.

    Ele possui uma facilidade nata para as perceber, enquanto um heterossexual nem sempre consegue o mesmo. Ora a diferença reside exactamente nisto.
    Pode haver ainda outra questão, o entendimento intenso e completo dos padrões estéticos, porque uma coisa é saber como elas são e outra bem diferente é entendê-las intuitivamente.

    A vida é profícua em trazer-nos surpresas.
    O amor de uma mulher por um gay, com ou sem interesse sexual é porque naturalmente ele sabe ler-lhe a alma.

    ResponderExcluir
  3. Mario,
    o viés do texto não é em cima das relações sinceras e sim da falsidade. As últimas situações se reportam ao livro “Cuidado! Seu Príncipe pode ser uma Cinderela” das jornalistas Ticiana Azevedo e Consuelo Dieguez, que escreveram de maneira jocosa sobre o trágico evento da enganação (último link).

    ResponderExcluir
  4. Johannes Brahms13/08/2010 21:24

    só faltava Turk e JD de scrubs nessa lista. aquela relação é realmente muito gay, muito mais que a de house e wilson

    ResponderExcluir
  5. HAHAHAHHAHHA...q viagem...vai se tratar...deve ser mais um psicólogo frustrado que fez esse post.

    ResponderExcluir
  6. QUANDO VC ESCREVER FALA DE ALGUMA COISA Q VALE APENAS LER TA...
    A SERIE PERDEU MUUUUUITA CREDIBILIDADE POR COUSA DO SEU BLOG MACHISTA...

    ResponderExcluir