Pesquisar

15 de out de 2010

Cuidados com os Vampiros Psíquicos e como escapar das suas garras.

Os piores vampiros não são os que sugam o teu sangue, mas os dissimulados que drenam a tua vontade de viver.

Certamente existem estirpes humanas sugadoras de sangue, porém, assim como os adeptos do piercing extremo, eles estão mais para lendas, do que algo palpável capaz de tirar a paz das pessoas. Contrário senso, os parasitas de energia psíquica estão de tal forma espalhados pelo mundo, que um deles pode estar no seio da sua família sem que você saiba.

O mecanismo mais plausível para o surgimento de um Vampiro Psíquico (VP) é a busca pelo combustível do bem estar, a felicidade, que ele não consegue obter pelos seus próprios meios. O problema é que a felicidade não nasce em árvores e não se compra na farmácia, pois tal dom é conquistado em parte mediante a adoção de boas escolhas de vida, e em parte como resultado da herança genética.

Cena clássica de detecção de um Vampiro Psíquico.
Você se acorda numa manhã radiante e se prepara para ter um lindo dia... até que se depara com uma dessas criaturas negras. Depois do encontro, se as únicas palavras na sua boca são “fulano estragou o meu dia”, bingo, você acabou de ser sugado por um VP!

Para reconhecê-los, primariamente temos que caracterizar os tipos mais comuns de Vampiros:

Pessoa sempre “para baixo”.
Este vampiro coloca qualquer um para baixo, mesmo que poucas palavras sejam trocadas com ele, às vezes até menos, pois a simples presença pode impactar negativamente o humor dos circundantes.

Antídoto: não tente insuflar luz em buracos negros, ou seja, a tendência natural das pessoas alegres é levantar o astral das pessoas “down”. Porém, com o vampiro psíquico isto não funciona, já que o único resultado prático é você PERDER o seu alto astral ao longo do processo e estragar o seu dia.
Isto parece ser um conselho politicamente incorreto e atentatório contra o princípio universal da caridade e do amor, todavia, diante de um VP inveterado, tenha certeza que a única alegria dele, consciente ou inconscientemente, será a sua derrota. Neste caso, a lei mais imediata da auto-preservação manda você zarpar para longe do perigo.

Invejoso.
Decore bem este aforismo: TODO o invejoso é um vampiro psíquico e todo vampiro psíquico tem como centro de gravidade da sua personalidade a inveja.

Antídoto: jamais ponha na mesa para qualquer pessoa os motivos da sua felicidade, os seus ganhos, as suas alegrias, conquistas e os seus projetos auspiciosos. Mesmo que você não dê importância e não perceba, o vampirismo psíquico tem o poder de arruinar a sua vida, pois muitas vezes quando eles terminam sendo descobertos, é tarde demais.
Os invejosos mais perigosos se dissimulam de bons camaradas e confidentes, até que dão o golpe pelas costas, articulando intrigas e tramando conspirações.

Coitadinho: auto-comiserativo/indeciso.
Toda a pessoa constantemente frágil é altamente suspeita de ser vampira psíquica. Quem não se valoriza, quem está sempre dependendo de conselhos para tomar decisões e encontrar um rumo, corre um sério risco de ser um Vampiro do tipo coitadinho.

Antídoto: quando você percebe ao longo da convivência que uma determinada pessoa nunca “troca o disco” e vem sempre com a mesma ladainha, é hora de VOCÊ procurar a sua praia e se afastar educada e rapidamente do convívio mais próximo.

Problemático.
Você conhece uma pessoa cheia de problemas familiares, de saúde, trabalho, etc? Assim como acontece com o auto-comiserativo, desconfie quando alguém nunca troca o disco da sua canção psicológica. Com o tempo você acaba percebendo que, quanto mais conselhos você dá, menos a pessoa os acata e menos tem vontade de mudar. Ou seja, ela usa o seu enxame de problemas para lançar redes psíquicas sobre os outros afim de enredá-los, para que possa extrair-lhes assim o sumo da boa disposição.

Antídoto: se por caso conselho fosse bom, não seria dado, pois seria vendido. É no significado deste adágio popular que repousa o antidoto contra o vampiro do tipo problemático: fique com um pé atrás contra alguém que sempre vem atrás de conselhos e mais conselhos. O problema deste tipo de relação de doação é quando acontece a ausência de mudanças na pessoa aconselhada e a paulatina perda do ânimo do aconselhador.

Reclamão: intriguento/incompreendido/injustiçado.
A pessoa que vive constantemente reclamando do salário, do trabalho, do governo, da sociedade, da esposa, do marido, da família, dos filhos, etc, manifesta um dos sintomas básicos de vampirismo psíquico. Paralelamente a isto, tal tipo de pessoa costuma cultivar a maledicência, quando elas entregam uma fofoca na esperança de obter outras e assim enredar o incauto.

Antídoto: mais dia menos dia você descobre que de nada adianta contradizer o reclamão, pois mesmo que ele possa trocar de choraminga, dificilmente renunciará ao seu ponto de vista negativo. Assim, a energia que você gasta argumentando é justamente o combustível que o reclamão precisa para ficar bem, logicamente às custas do seu estado de ânimo. Portanto, o antídoto para este tipo de gente é não cair na lógica das reclamações e não tentar defender as suas vítimas, logo, é manter-se neutro e sair pela tangente na primeira deixa é o melhor remédio.

Antídotos gerais.
A melhor atitude a tomar quando você desmascara um Vampiro Psíquico é manter distância dele e, doravante, qualquer possibilidade de estreitamento de relações deverá ser descartada. Não é preciso ser agressivo para manter tais pessoas afastadas, mas a relação, mesmo respeitando as regras da civilidade, deve ser fria o suficiente para não suscitar intimidades.

Quando as circunstâncias o obrigarem a dialogar com um VP já identificado, mantenha-se de braços cruzados protegendo a região do plexo solar, já que este é o ponto que eles atacam, porque é por onde entram as emoções negativas.

Jamais convide um Vampiro Psíquico para entrar na sua casa, pois os sugadores tem o costume de carregar consigo “objetos de poder”. Para explicar os objetos de poder, recorro a um exemplo muito simples: você lembra de alguém que sempre que entra na sua casa dá um jeito de levar algum utensílio, livro, alimento, roupa, CD, etc, emprestado ou dado? Este é um dos aspectos pitorescos do sugamento de energia, manifestado quando o vampiro provoca situações em que a dona, ou dono da casa se veem obrigados a lhe fornecer “voluntariamente” alguma coisa que ele leva embora.
Esta é uma pequena circunstância que ilustra fisicamente o que acontece na esfera psíquica; você acaba cedendo diminutas porções da sua energia na forma de tempo e atenção, sem receber nada em troca, a não ser aquela sensação de cansaço e esgotamento depois de ter se avistado com o vampiro.

Última consideração.
Não importa se os vampiros são conscientes ou não da sua condição, já que a maioria não o é, porque isto não minimiza os estragos causados por eles nos seios das famílias, tais como doenças, separações, perda de emprego, falências, perdas financeiras e até mesmo a morte. Importa, isto sim, mantê-los afastados dos seus bens, da sua intimidade e, principalmente, dos seus pensamentos e desejos, pois eles tem um grande poder empático que lhes abre portas para a aproximação e a coação.

38 comentários:

  1. vampirismo psiquico...

    sei o que é isso!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post Isaias!

    A descrição do "VP invejoso" me lembrou o personagem Iago, em Otelo (Shakespeare).

    A dificuldade não está em detectá-los amigo (mera questão de tempo/contato), mas em se livrar deles mantendo a boa educação. É disso que se valem (de nossa pietá e boa vontade) para continuar nos azucrinando (sugando).

    beijos,
    lu.

    ResponderExcluir
  3. Luciene Felix,
    por meu turno, acho difícil detectá-los. Por experiência própria, levei anos para descobrir que um camaradão era um deles.
    Todavia, uma vez descobertos, não vejo grandes dificuldades em me socorrer de métodos bárbaros para ignorá-los, ou até mesmo escorraçá-los.
    Como o texto versava sobre os aspectos genéricos sobre vampirismo, não abordei um determinado tipo particularmente incômodo às mulheres: o vampiro sexual.
    Principalmente as mulheres bonitas, mesmo as casadas, atraem certos vermes que se acercam e ficam todo o tempo tentando lançar gavinhas de sedução.
    O grande problema é que vocês mulheres fazem pose de super-educadas, o que termina estimulando o vampirismo sensual. Para estes casos, propugno como antídoto eficiente a máxima violência, o xingamento, a denúncia, armar barraco, nenhuma transigência é justificável para manter as aparências de civilidade.

    ResponderExcluir
  4. A primeira coisa que nos vem à mente lendo esse texto é a identificação dos tipos em conhecidos, mas temos de perceber se também nós não agimos assim.
    Antigamente convivia muito principalmente com os tipos ''coitadinhos'' e ''reclamões'' e sempre quando conseguia sair de perto deles estava cansada como se tivesse feito um esforço físico- aqueles que só falam em doenças e detalhes de mortes são os que nunca deveríamos aceitar em nosso meio de tanto que tem o poder de nos deixar deprimidos.
    Entre a caridade ''cristã'' de ajudar(e ouvir) o próximo e o egoísmo de não ficar mal quando esses VP's iam embora, optei pela segunda opção e mesmo levando nome de mal-educada muitas vezes, hoje em dia, tenho uma vida bem mais leve e alegre.

    Parabéns pelo blog. Seus posts são ótimos.

    ResponderExcluir
  5. Vanessa,
    quem se dispõe a ajudar estes tipos, cedo ou tarde descobre o quanto é sugada e o quanto é inútil qualquer tentativa.
    Sim, qualquer um de nós pode ser vampiro sem saber, por isto é importante desenvolver o senso da auto crítica.

    ResponderExcluir
  6. Por favor não me interprete mal. Não há nenhuma intenção de ofender.


    Fez-me lembrar inicialmente a Lei de Murphy e depois Albino Forjaz Sampaio.


    Ocorreu-me esta alegoria.


    Quando chega o Verão muitas famílias empenham-se, antes de partir de férias, na limpeza anual das suas casas. Limpam tudo muito bem, para que tudo fique impecável para o novo ano lectivo.

    Este conceito de limpeza sempre me intrigou bastante.

    Limpeza anual, significa que se tem a consciência de que é preciso deitar coisas fora, limpar com profundidade o que aparentemente parece limpo, tirar teias de aranha, nódoas entranhadas, o bolor que se infiltrou entre os azulejos etc,.

    Olha-se com atenção, porque se tem a ideia de que é imprescindível melhorar o estado geral da residência. Ora bem, aquilo que está no exterior e ao alcance da nossa vista, mal ou bem, vamos tendo noção do que é preciso mudar, certo?

    Então porque é que cada um, não toma igualmente a iniciativa de fazer um balanço pessoal e da relação que partilha com os “ outros”?

    Seria interessante analisar quais as necessidades que cada um sente na relação com os outros, quais as “nódoas” que é preciso limpar, as “sujidades” que teimam em ficar.

    Se somos capazes de “limpar” por fora, é bastante mais proveitoso quando se limpa também por dentro, porque teremos muito mais possibilidades de viver, de uma forma muito mais “higiénica”.

    ResponderExcluir
  7. E qdo são na familia.
    Que dificil heim!

    ResponderExcluir
  8. Os da família evite-se-os também. Sei lá como.

    ResponderExcluir
  9. De acordo com o texto, o certo então eh não entrar em contato com nenhum ser humano. Isso mesmo, nenhum!! Pq todos tem algumas dessas caracteristicas uma vez ou outra, não da para ficar feliz o tempo todo( e as pessoas que estam sempre felizes, são as piores, pq são malucas, e podem cometer um massacre a qualquer minuto), por sorte esse eh o mais facil de descobrir, eh só pergunta como ela esta, e se responder:"Estou otima!" Pronto, essa eh maluca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk ADOREI SEU TEXTO, MUITO ENGRAÇADO E VERDADEIRO. NOSSA COMO ISSO É VERDADE AS QUE ESTAO SEMPRE FINGINDO SER SUPER FALIZES SAO OS MAIS MALUCOS....JA CONHECI VARIOS DESSES, BEM LEMBRADO!

      Excluir
  10. concordo com Akatsu

    ResponderExcluir
  11. Akatsu,
    é interessante a sua colocação, mas o texto fala de linha psicológica predominante e não de estados transitórios que todos passam. Certamente, a vida nos ensina a diferenciar uns dos outros.
    Sabe aquela pessoa chata no seu serviço que todos passam a evitar? Preste atenção nela e descobrirá do que eu estou falando... a menos que VOCÊ seja a pessoa chata.

    ResponderExcluir
  12. Excepcional sua matéria.

    Surpreenda-se com esta nova modalidade de divulgar links.

    Agregador e rede social. Apareça!

    http://migre.me/1EnI8

    ResponderExcluir
  13. Num mundo tão cético, é difícil crer que existam sugadores de energia...mas existem muitos e o pior é quando você é "obrigado" a conviver com ele. A experiência pessoal pela qual venho passando (5 anos), me fez apenas tentar bloquear com educação os contatos, o que nem sempre funciona, pois o VP procura entrar em contato de qualquer maneira com a energia. Digo isso porque se você tentar de desvencilhar de maneira grosseira, deixando estampado que a pessoa te causa problemas, a coisa pode ser bem pior...também digo isso por experiência. Não é fácil lidar com eles e quem puder, que corte contatos definitivamente.

    ResponderExcluir
  14. Acredito piamente, que se não dá para cortar o contato com o vampiro por bem, é melhor cortá-lo por mal.
    Veja o que o mestre do ocultismo Paracelso, que viveu na idade média, fala sobre o vampirismo psíquico: "Fuja como se fosse da peste de pessoas maledicentes, viciosas, ruins, indolentes, invejosas, vaidosas, vulgares e inferiores, pela natureza baixa do seu entendimento ou pela linha mestra do seu extravasamento sensual aberrante, que formam a base dos seus discursos e ocupações".
    Quando se trata de caso na própria família, a distância costuma curar todos os males, ela é o único remédio conhecido, já que dificilmente podemos cortar definitivamente relações com os parentes.

    ResponderExcluir
  15. É preciso ter muito cuidado, eles realmente existem. Experiência própria.
    Na empresa onde trabalho, foi contratado um VP Reclamão. Em 3 meses de trabalho a empresa desandou. Todo mundo brigando, clima pesadíssimo, pessoas ficando doentes, perdendo clientes.
    Foi preciso uns 6 meses pra o clima voltar ao normal, mas uma pessoa da equipe acabou saindo e só depois de 1 ano ela percebeu que tinha sido intriga do VP Reclamão. Até hoje sentimos o efeito desta péssima decisão.

    ResponderExcluir
  16. Ah sei la cara, tah, então eh o psicologico predominante. Blz, mas o psicologico da pessoa eh construido a partir do meio em que ele vive, se o cara eh um pouco estranho, e todo mundo se afasta dele no trabalho(como voce citou), acaba piorando a cituação.(o cara tambem não precisa ser O popular, mas uma pessoa ja ajuda)

    Eh quase como se o sujeito tivesse lepra.(cruzar os braços pra falar com uma pessoa???)

    Eu até te entendo, voce eh o PO (Parasita Otimista) aquele que só fica feliz, se tiver alguem feliz do lado. Quase todo mundo eh assim(eh dificil voce ficar feliz, só por estar feliz), e como todo PO, voce quer distancia de quem não pode te proporcionar felicidade. O problema eh que as vezes, monstros são criados, pq voce não teve a coragem de dizer uma duzia de palavras por dia, com o intitulado VP. Mas ta certo, pq pensar nos outros, se eu posso pensar em mim?!

    Talvez eu seja um VP mesmo, pq se tem uma coisa que não consigo ser, eh hipocrita. Eh a mesma coisa dos religiosos que só fazem o bem, pq temem o deus deles...(bonitos são os ateus, como medicos, e outros, que fazem o bem apenas por fazer)

    (E se não fosse o pecado da inveja, até hoje ainda estariamos na na "idade da pedra".)

    ResponderExcluir
  17. Akatsu,
    realmente, a expressão pela via do texto às vezes deixa escapar coisas importantíssimas.
    Quando falo de Vampirismo Psíquico, não estou me referindo às pessoas que eventualmente estão meio down necessitando de atenção e carinho. Não, nada disto, falo dos definitivamente perdidos que estão SEMPRE no mesmo estado, que já receberam ajudas e mais ajudas extenuantes, que já extenuaram meio mundo, que já gastaram todas as forças dos seus amigos e parentes.
    Sinto muito, se você é uma destas pessoas sistematica e cronicamente carentes, alugadoras e sugadoras, tem que se tratar urgentemente, pois a paciência das pessoas comuns tem um limite.
    Às vezes levamos anos para descobrir um sugador destes nas nossa cola e quando isto acontece, sabemos que não há nada a fazer senão afastá-lo definitivamente antes que percamos tudo.

    ResponderExcluir
  18. Prefiro esse termo "Psyvamp" para relacionar a seres com dita habilidade de drenar vida.
    Veja no link abaixo bastante coisas interessante relacionadas ao assunto em questão.
    http://www.mantodanoite.hpg.ig.com.br/mantopsivamp.htm

    ResponderExcluir
  19. A depressao vai dominar o mundo, tudo eh tao vazio gente .-.

    ResponderExcluir
  20. Que texto escroto, a solução é simplismente se afastar? É por isso que esse pais é uma merda, é a mesma coisa que você virar a cara para o problema, ridiculo isso.

    ResponderExcluir
  21. Não é tão simples assim quando se trata de parentes e colegas de trabalho.

    ResponderExcluir
  22. confesso q não acreditava nessas coisas de energia mas vivia um inferno pessoal inexplicavel não sabia oq tava acontecenco comigo mas sabia q não era normal.
    a pouco dias descobri esse asunto do vampirismo energético e de forma até assustadora tudo começou a fazer sentido pra mim, ha tempos venho sendo sugado sem saber ,pq o meu vampiro é o meu próprio primo,ou meu "inimigo intimo"
    lendo a respeito juntei as peças fiz um retrospecto e vi q tudo começou quando a gente começou a estudar junto na (mesma sala) eai esse inferno começou... eu estava me sentindo normal e derrepente como num passe de mágica eu começava a me sentir mal como se minha enégia tivesse sido sugada de forma sobrenatural , bocejo do nada, sonolencia, cansaço , um peso nos olhos de forma q eu lutava pra mante-los abertos mas parecia q pesava uma tonelada, dores de cabeça, irritação e etc... e isso diariamente mas eu não podia fazer idéia do q se tratava eu achava q a culpa era minha . ele sempre ficava me filmando muito em tudo q eu fazia até conversando com outra pessoa desconfio até de uma certa inveja da parte dele (não sei pq) eu sempre achei esquisito esse olhar dele mas deixava pra lá. e sempre me diziam q eu mudei muito depois q comecei a andar com ele ,tinha ficado muito estranho e eu dizia q eu mudei pq tinha q mudar mesmo. hj vejo q estava errado. enfim hj trabalho por conta própria sou um "vampiro" tbm, agora me sinto assim mesmo sem ele estar por perto ,sinto q não tenho uma energia boa , com isso fiquei muito mais sensitivo e perspicaz. posso perceber q as pessoas não se sentem bem na minha presença principalmente pessoas q não me conhecem, posso sentir sem nem olhar q elas ficam inquietas ,incomodadas e se afastam,ou seja não posso nem paquerar. sei q fazem isso inconcientemente para se protegerem oq era pra mim ter feito quando era uma vitima. hj posso ver claramente q meu primo sem saber é um eximio "vampiro energético" .
    eu ainda vejo esse meu primo a gente conversa muito, agora 2 vampiros bem poderosos imagina só é o fim do mundo, quando a gente sai junto deve causar um "blackout" de enegia vital por ai a fora sem saber.
    eu ainda não falei com esse meu primo depois q descobri isso tudo....
    e provavelmente ele vai bater na minha porta a qualquer momento, pq ele tem "sede" e agora eu sei disso.

    bem... é isso acho q escrevi demais, mas se vc tiver alguma forma de me ajudar e me fazer sair dessa eu vou ser eternamente grato (sem trocadilho de "eternamente" em relação a "vampiro" rs )

    obg pela atenção !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEGAL as coisas que voce escreveu, muito bom compartilhar e posso dizer que eu tbem resolvi me posicionar perante as pessoas e nao me deixar ser sugada ou corrompida por elas, ou dizer a verdade o que eu penso sem medo de ser discriminada. Tbem perdi todas as pessoas que nunca foram meus amigos apenas queriam alguma coisa de mim nem que fosse minha energia, ou aquelas que nao suportam ouvir a verdade.
      E posso te garantir que voce vai encontrar pessoas maravilhosas na sua vida com a mesma vibraçao que voce, depois de fazer essa limpeza necessaria. Assim como eu encontrei, e hoje eu sei , como nunca soube o que é verdadeira amizade sem interesse!! Muito dificel hoje em dia, mas valheu a pena e dou GrAÇAS A DEUS por ter deixado essas pessoas no passado. Agora so tenho que aprender a lidar com os da familia, mais dificeis!!! paz e luz sempre, Adri

      Excluir
  23. A única chance de reversão para o vampirismo é a pessoa inverter o valores e começar a procurar ajudar os outros, se interessar pelos outros, ouvi-los, etc, tudo sem ser na base do toma lá dá cá.
    A principal característica psicológica dos vampiros é que eles estão sempre prontos para receber ajuda, mas nunca estão dispostos a dar alguma coisa, nem que seja atenção.

    ResponderExcluir
  24. Excelente Isaias Malta. Parabéns.

    ResponderExcluir
  25. Adorei o blog e posso dizer to fudida, tem uns 3 desses na minha bota a começar do meu marido! kkkkk o que q eu faço
    Tbém tenho um blog e vou colocar seu link no meu!
    http://serfelizsempreee.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. Quem disso cuida, disso usa...

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. O vampirismo está generalizado, tem crianças pequenas que vampirizam os pais e pais e mais que vampirizam os filhos pequenos e isso nós vemos constantemente nos supermercados e nas páginas policiais dos noticiários da vida.
    No Brasil, onde falar mal da vida dos outros é uma questão de adequação social, a pessoa começa a ser mal vista em certos ambientes de trabalho quando sai das rodinhas de fofoca ou não da rizadinha quando os colegas ficam chamando os outros colegas de feio, mal vestido, gordo, viado, sapatão, sujo, incompetente, etc.
    Ha dois anos decidi não participar mais de fofocas no trabalho e não dar mais corda para pessoas que se aproximavam de mim para colocar a culpa de seus problemas nos pais, em deus e no mundo menos nelas mesmas. Não digo que ser adulto é perdoar todo mundo que nos pisou e fingir que não fomos magoados ou traumatizados, eu mesma vivo analizando certos momentos das minha infãncia na qual meus pais me maltrataram, sinto mágoa e dor, depois procuro entender o porque de eles terem feito dessa maneira e sempre acabo descobrindo um motivo para perdoar ou acabo descobrindo em mim mesma uma desses defeitos que eu tanto condenava neles. Isso é uma coisa, olhar o passado e tentar entender o presente, mas passar a vida cuspindo no prato (todo nosso passado, pessoas, coisas e lugares que nos ensinaram) que comeu, sem digerir nada?
    Depois que decidi isso fui perdendo todos os amigos e amigas. A maioria se afastou depois que perdi o emprego e minha renda caiu vertiginosamente. Os demais fui perdendo a medida que ousava dizer a verdade ou simplesmente ousava não dar continuidade a alguma fofoca ou maledisescia que eles vinham me trazer.
    Hoje tenho apenas um amigo íntimo que é tambem meu companheiro, meu pai e minha mãe que eu respeito muito e tenho muita alegria de poder estar por perto e mais ninguem que eu possa chamar de amigo. Não me importo, é melhor ter apenas um amigo que te coloca pra cima do que 100 que te derrubam. Sinto que no futuro conheceremos novos amigos, agora que aprendemos sobre a necessidade de amizades saudaveis, eu ainda estou saindo de algumas amizades doentias e sei que leva tempo essa transição.
    Falamos muito de vampiros, mas somos todos um pouco vampiros tambem, toda vez que falamos mal de alguem, toda vez que ouvimos os outros colocarem alguem pra baixo e rimos, toda vez que uma mulher seduz um homem que ela não deseja na sua cama apenas para se sentir atraente, toda vez que um homem trata uma mulher com desprezo no olhar por que a considera feia, toda vez que um professor maltrata um alunos porque ele teve uma idéia diferente ou porque não consegue prestar alenção na aula chata, toda vez que falamos mal dos nossos proprios irmãos com os outros irmãos, quando falamos mal dos nossos proprios filhos e amigos, quando ficamos lendo revistas e vendo programas de TV que exaltam, mas sobretudo, humilham as celebridades em seus mumentos de divorcio, traição e doença, somos vampiros quando sentimos um íntimo prazer ao ouvir da separação de um casal conhecido que nós achavamos muito apaixonados para ser verdade, quando sentimos uma íntima tristeza ao ver alguem tendo êxito em alguma área da vida material, profissional, artística ou social... e por aí vai. Eu diria que a melhor forma de sair do vampirismo e buscar o respeito a nos mesmos e ao proximo e enfrentar a árdua tarefa de romper laços que estão nos sufocando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEGAL as coisas que voce escreveu, muito bom compartilhar e posso dizer que eu tbem resolvi me posicionar perante as pessoas e nao me deixar ser sugada ou corrompida por elas, ou dizer a verdade o que eu penso sem medo de ser discriminada. Tbem perdi todas as pessoas que nunca foram meus amigos apenas queriam alguma coisa de mim nem que fosse minha energia, ou aquelas que nao suportam ouvir a verdade.
      E posso te garantir que voce vai encontrar pessoas maravilhosas na sua vida com a mesma vibraçao que voce, depois de fazer essa limpeza necessaria. Assim como eu encontrei, e hoje eu sei , como nunca soube o que é verdadeira amizade sem interesse!! Muito dificel hoje em dia, mas valheu a pena e dou GrAÇAS A DEUS por ter deixado essas pessoas no passado. Agora so tenho que aprender a lidar com os da familia, mais dificeis!!! paz e luz sempre, Adri

      Excluir
  29. Exclui los não é a melhor maneira . . . Não tem culpa de serem assim! E a partir do momento que tem consciência de que são, devem tomar os devidos procedimentos para aprender a controlar sua natureza e tentar uma convivência melhor,
    tanto os que manipulam as mentes quanto os que sugam energia!

    ResponderExcluir
  30. Concordo com o anonimo, exclui-los não é a solução conheço gente assim, apenas não deixe que eles suguem sua energia, mude apenas suas atitudes com relação a essas pessoas e uma hora elas irão se tocar, quem sabe tentar mudar.

    ResponderExcluir
  31. Esses VP sabem que fazem mal sim, são uns FDP, querem tirar a paz do outro a todo custo, principalmente os mais velhos e frustrados, quanto mais velho mais perigoso. E quando vc está sob o domínio deles acaba virando um também, por isso tem que correr leguas. No meu caso eu tenho dois VP velhos e doentes sugadores da minha energia, minha mãe e irmão, e moramos todos juntos. Doida para passar num concurso e sair fora pq acabei virando um deles com a convivência.

    ResponderExcluir
  32. li o texto, vampiros psiquicos pode ser qualquer um de nos em deteminada fase da vida.nao devemos esquecer jamais que o Espirito Santo de DEUS nos prepara e nos protege de qualquer forma de perigo, so basta termos fé. tambem nao devemos deixar de amar as pessoas porque elas tem determinados defeitos, pois todos nós temos defeitos. creio que esta questão se resolve com mt amor e oração, pois DEUS é maior que qualquer idéia de vampiro,ELE restaura nossas energias continuamente e abundantemente! abrço Dj.

    ResponderExcluir
  33. Gente, eu sei que é horrível pensar no afastamento como única solução, mas geralmente estamos muito fragilizados e não temos força pra lutar contra isso. Aí a única forma é se afastar.

    Vou contar o meu caso mais ou menos: Eu tinha uma melhor amiga que eu amava e confiava muito, mas ela era muito pessimista, reclamona, criticava tudo, e me cobrava muita atenção. Quando eu não podia atendê-la ela me acusava de ser cruel e etc.

    Com um tempo eu passei a fazer isso com outros amigos. Enchia os ouvidos deles, reclamava muito, levava tudo à mal. Conclusão eu havia me tornado uma vampira também!

    Demorei um tempo pra me ligar nisso. Me afastei da minha amiga (não tinha mais condição alguma de conviver com ela, eu estava totalmente deprimida). Depois de uns meses comecei a ver as coisa fluindo na minha vida. E hoje estou bem e procuro sempre me cercar de coisas boas.

    Eu às vezes até fico triste por ela continuar na mesma, sei lá, poderia encontrar uma ajuda médica ou espiritual, mas ela nunca quis isso e escolheu viver assim...

    ResponderExcluir