Pesquisar

10 de ago de 2009

Dica para pintar sua casa? Pinte-a com um gênio da pintura!

No Brasil temos uma tradição cultural que beira a leniência e por isto não encontramos nas nossas ruas manifestações dos grandes gênios da arte universal. Felizmente, há exemplos em outros países de apreço à pintura e não só isto, cidadãos que vão mais além, ao ponto de estampar nas fachadas das suas casas as obras dos grandes mestres.

Dois gênios das artes plásticas se prestam particularmente a este propósito: Maurits Cornelis Escher e Piet Mondrian. Por coincidência, os dois holandeses e verdadeiros marcos da pintura no século XX.

Escher abriu novas possibilidades no campo da representação gráfica das maravilhas da matemática e Mondrian elevou o abstracionismo à condição de um dos pilares da arte contemporânea.

Na condição de precursores da arte POP, o fenômeno que transportou a arte dos círculos eruditos para as ruas, toalhas, camisetas, sapatos, etc., estes dois autores já provaram que a sua obra se presta perfeitamente para fins decorativos. E, longe de demérito aos mestres holandeses, é uma prova que a obra deles é tão viva, que pode fazer parte da nossa vida cotidiana.

Ar e Água I (1938) M.C. Escher.
Ar e Água I (1938)
Os árabes foram grandes mestres em distribuir figuras geométricas num determinado espaço e Escher foi beber nesta fonte, principalmente em Alhambra, Espanha. Porém, não obstante os árabes usarem somente figuras geométricas e abstrações, Escher foi mais além e introduziu representações concretas existentes na natureza, tais como peixes, aves, répteis e a forma humana, coisa terminantemente proibida pela lei islâmica.

Wellington – Nova Zelândia.
Fachada Escher em Wellington Nova Zelândia
Michelle H. Harrison [Flickr]

Ar e Água II (1938) M.C. Escher.
Ar e Água II (1938)
Esta xilogravura faz parte da fase de Divisão Regular de Superfície. Escher relativiza a noção de fundo e primeiro plano, propondo figuras que, dependendo do foco do olhar, podem ser um ou outro.

Toronto – Canadá.
Fachada Escher em Toronto-Canadá



Parte 1 de Metamorfose II (1939-1940) M.C. Escher.
Escher Metamorfose II (1939-1940)
A incrível xilogravura Metamorfose II tem o incrível tamanho de 20 centímetros por 4 metros de comprimento! A fachada do prédio em Madrid reproduz apenas parte da primeira parte desta obra que em 1967 foi aumentada em mais três metros para ser usada na decoração da Agência dos Correios da cidade de Haia na Holanda.

Madrid – Espanha.
Escher em Madrid Espanha
Mayte Vidri [Flickr]
Fachada de um edifício restaurado recentemente, localizado no centro de Madrid. Chama a atenção a beleza, que não fosse a metamorfose escheriana, careceria de maior interesse.

Piet Cornelis Mondrian.
Ao lado de outros artistas, Mondrian é considerado um dos pais do abstracionismo. O seu amadurecimento artístico foi caracterizado pela supressão do supérfluo e a depuração sucessiva dos traços, que funcionou como se ele começasse a retratar os seus motivos com um detalhamento cada vez maior, até que sobraram as famosas linhas que até hoje o tornam um dos pintores mais reconhecíveis.

Assim, trabalhando apenas com linhas retas em fundo branco e lançando mão do parco cromatismo das cores primárias, Mondrian inscreveu definitivamente o seu nome na galeria dos grandes gênios da humanidade.

As fachadas a seguir representam variações da série intitulada “Composição em vermelho, amarelo e azul”.
Piet Mondrian Composição em vermelho, amarelo e azul
Quando se vê ao vivo uma das obras pertencentes a esta série, percebe-se que Mondrian prescindiu ao final até do próprio pincel, já que suas linhas não passam de fitas coloridas coladas sobre a tela.

Austin – Estados Unidos.
Fachada Piet Mondrian em Austin-USA

San Francisco – Estados Unidos
Fachada Escher em San Francisco-USA

Ghent – Bélgica.
Fachada Piet Mondrian em Ghent-Bélgica
Wauter de Tuinkabouter [Flickr] via [Artinthepicture]

Referências:
Escher no mundo real: [Blogpaedia]
Informações sobre Escher: [Universidade de Lisboa], [Página Oficial de M.C. Escher]
Piet Cornelis Mondrian – Composição em Vermelho, Amarelo, Azul [Google Books]

5 comentários:

  1. Coincidentemente, minha mãe fez uma pintura de pássaros Escherianos(bem parecidos com os de "Dia e Noite") na parede da varanda do nosso sítio, e vários peixinhos no teto de casa.

    Muito infelizmente, entretanto, não tenho uma câmera para mostrar o resultado final. Pena...

    Mas, enfim: decoração de Escher em relevo é show. Eu adoraria ter uma casa com uma dessas. Talvez venha a ter... ah, esperança...

    ResponderExcluir
  2. Bruno, é uma pena que não consigamos compartilhar desta experiência escheriana. Quem sabe você não compra uma Tekpix? rsrsrs
    Naturalmente que de você, na sua condição de avindo de uma linhagem de artistas, seria esperável uma contribuição preciosa a fazer a este humilde fórum de interfaciamento entre arte e o mundo real.
    É reconhecível que o universo artístico de Maristela Guedes tem um quê de Maurits Cornelis Escher, e isto é muito bom!

    ResponderExcluir
  3. muuuutcho shoul caara !!!!!!!!! ixxo é dimaisi :p eu doro, amool de paxãao o esxheer !!!!!!!!!!! ele é lindool, txi amool

    ResponderExcluir