Pesquisar

11 de nov de 2008

Robôs operários do futuro serão eficientes, pontuais no trabalho e não brigarão por salário.

Os robôs reais que trabalham nas indústrias são totalmente desprovidos de glamour, mas a ficção científica tem fornecido espécimes extremamente antropomórficos, que fazem tudo o que os humanos fazem e algo mais... podendo até se tornarem perigosos!
Além dos ficcionistas científicos, os especuladores científicos também saíram a campo com teses extremamente visionárias, para não dizer loucas. Um cientista inglês defende que ainda neste século os seres humanos estarão aptos a casar com robôs (já começaram pela boneca de silicone, hehehe). Para sustentar a sua tese, o bizarro pesquisador defende que os robôs e os humanos serão tão semelhantes na aparência e fisiologia, que poderão se apaixonar e até fazer sexo e... talvez ter filhinhos semirobotizados.

Enquanto isto, os astutos futuristas de 1953 planejavam um futuro em que o serviço braçal da indústria seria entregue aos robôs. As fábricas do futuro seriam totalmente operadas por tais operários, que chegariam pontualmente a cada santo dia, sem faltas nem greves. Eles deixariam suas merendeiras nos seus armários e diligentemente se dirigiram para os seus locais de trabalho, onde pegariam seus ferros de solda e ferramentas e passariam a desempenhar suas funções.
No bater das 5 da tarde, os robôs pegariam os seus carros e retornariam aos subúrbios, onde poderiam passar agradáveis momentos do resto do dia profícuo, na companhia de seus familiares robôs queridos.
Link Relacionado:
The Fast Approaching Future of 1953

Nenhum comentário:

Postar um comentário