Pesquisar

13 de nov de 2008

Uma metáfora de concreto em homenagem a Iberê Camargo.

Nas margens do lago Guaíba se ergue um prédio que olha enviezado para a cidade de Porto Alegre. Esculpido em formas modernas ousadas, ele nasce do relevo do pontal do Estaleiro Só e permite aos carros que chegam a toda velocidade pela Avenida Beira Rio, um vislumbre inusitado.
Ibere Camargo Fachada

O museu construído para acomodar a obra de Iberê, com sua paradoxal angulosidade curva é ao mesmo tempo uma metáfora que se debruça sobre o Guaíba sem, no entanto, enxergá-lo completamente.
Ibere Camargo Angulos

Mimetizando-se no contorno da paisagem, o museu foi construído voltado em direção à Usina do Gasômetro. Da sua concretude estrutural brotam olhinhos míopes muito atentos que colhem da paisagem uma amostragem em mosaico.
Ibere Camargo Olhos Vistos de Fora
Olhos vistos de fora.

Ibere Camargo Visto de Dentro
Olhos vistos de dentro.

A obra do artista é densa e repleta de escuridão em pinceladas grossas.
Ibere Camargo Pinceladas Grossas
Ampliar.

Contrapondo-se à densidade das peças, há o despojamento das linhas arquitetônicas do museu. O espectador flana pelas linhas futuristas entre carretéis e ciclistas, pandorgas e velhas tristes.
Ibere Camargo Velhas Tristes
Ampliar.

O visitante entra no museu sob o signo da bicicleta, que perpassa ao longo de toda a promenade. Em traços resumidos, Iberê pinta a idéia da bicicleta, uma figura que se converte em meta-imagem.
Ibere Camargo Bicicleta
Ampliar.

Detalhe de dedos que se agarram firmemente ao guidão, em tão poucos emaranhados de traços que expressam a dramaticidade da cena.
Ibere Camargo Maos no Guidao
Ampliar.

Ciclistas exaustos jazem ao largo das suas bicicletas. Terão caído em sono profundo, ou seus corpos mortos quedam-se abandonados? A menina espectadora se pergunta, enquanto leva as mãos à cabeça em gesto consonante com dramaticidade da cena.
Ibere Camargo Menina Espectadora
Ampliar.

Os mesmos ciclistas agora vistos sob os últimos raios de sol do cair da tarde, através da translucidez da escultura da artista Iole de Freitas.
Ibere Camargo Ciclistas Dormindo
Ampliar.

Os túneis de ligação entre os andares, que ressaltam da fachada, possuem clarabóias por onde se pode visualizar o céu.
Ibere Camargo Ceu do Museu
Ampliar.

Maiores informações sobre o Museu Iberê Camargo, acesse o Site da Fundação Iberê Camargo.

6 comentários:

  1. Porra, eu fico muito puto!! Se estao publicando um artigo supostamente sobre o Iberê Camargo, é pq esse é um site engajado, de gente culta q entende de arte, ou no minimo q se interessa... Pq diabos, neguinho nunca bota o nome dos arquitetos! Isso é uma falta de respeito! Arquitetura é arte!! Se fosse qq outra expressao artistica, qq merda, tinha o nome do artista! Esse projeto é do Álvaro Siza, q pra mim é muito mais artista do q o Iberê Camargo, em todos os aspectos (acima de tudo o ideológico)! Nem em revista, nem lugar nenhum o povo nunca bota o nome dos arquitetos! Se o cara desenhar a Shakira com tampinha de garrafa e coco vcs colocam o nome!
    Ah, vsf! Um grande abraco, e espero q respeitem meu desabafo...

    ResponderExcluir
  2. Sabe Leste que eu tive dúvidas antes de escrever o post. Muitos blogs publicaram artigos sobre o Museu e invariavelmente eles são explicativos, têm a eficiência de folheto.
    Então optei por uma abordagem mais intimista, ou seja mais bloguística.
    Acredito que quem se interessar por informações mais profundas, vai ao Google e digita:
    "arquiteto Museu Ibere" e terá 13.200 resultados repetindo enfaticamente que o arquiteto e o Alvaro Siza Vieira.
    Além do mais, dou no final do meu post o link para a Fundação Iberê, onde contém todas as informações pertinentes.
    Eu espero que os leitores comece se interessando pelo texto e depois pelo assunto e procurem outras coisas, inclusive visitar pessoalmente o Museu, que é mais importante.

    ResponderExcluir
  3. É... Arquiteto é uma profissão em decadência e em extinção. A começar pela eterna falta de consideração aos engenheiros em projetos, muitas vezes, ridículos de arquitetos renomeados.

    Acho que o colega "Lester" se equivocou. O que mais aparece em obras, tanto de caráter civil, privado ou até federal, é o nome do arquiteto dono do projeto; infelizmente.

    Ótimo post, ao autor. Excelente projeto para Porto Alegre. Incentivo à cultura é sempre bem-vindo a qualquer lugar.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o texto!
    Não gostei da primeira foto, com um efeito de photoshop de gosto duvidoso e prejudicando a visualização do belo prédio, projetado por tão renomado arquiteto, para sediar a obra de um dos mais conhecidos e comemorados artistas plásticos brasileiros, o Iberê. Mas o post tá ótimo. Parabéns !
    Ah, deixo um link aqui pra ver mais algumas fotos do Museu: www.portoimagem.com/ibere1.html
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. SAO MUITAS OBRAS ENESQUESIVEIS DO IBERE RAFEL KAIFER

    ResponderExcluir
  6. quem tiver a oportunidade de visitar
    o Ibere Camargo, faça-o por que é maravilhoso
    super vista, fantástico

    ResponderExcluir