Pesquisar

21 de jun de 2009

Dificuldades intelectuais ou QI alto: o que é mais importante para o surgimento de Gênios?

Albert Einstein por Yousuf Karsh

Alguns testes de inteligência ou exames de seleção de concursos exigem certas habilidades intelectuais, que não faziam parte do repertório de pessoas como Einstein e Darwin.

Aos três anos de idade Einstein ainda apresentava dificuldades para falar, o que assustou seus pais. As dificuldades de comunicação fizeram com que tivesse uma juventude solitária (dislexi@.com). Estes sintomas sugerem que Einstein era disléxico.

Dislexia (do grego: dus = difícil, dificuldade; lexis = palavra) é um distúrbio ou transtorno de aprendizagem na área da leitura, escrita e soletração, a dislexia é o distúrbio de maior incidência nas salas de aula. Ao contrário do que muitos pensam, a dislexia não é o resultado de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição sócio-econômica ou baixa inteligência, ela se caracteriza por apresentar alterações no padrão neurológico.

A dislexia é diagnosticada, principalmente, no sexo masculino e atinge de 10% a 15% da população mundial. As pesquisas mostraram que o distúrbio se estende para a leitura, escrita, interpretação e matemática. Os adolescentes disléxicos enfrentam grandes obstáculos às vésperas do tão temido vestibular, pois não conseguem memorizar as matérias e continuam com as dificuldades de interpretação e cálculos [1]. Porém, muitos disléxicos se munem de alguma estratégia para não ficar para trás, esse foi o caso de Einstein, que revolucionou a Física contemporânea, sendo considerado o maior gênio do século XX.

Darwin jovem

Darwin enfatizou em sua biografia que sempre foi mau aluno
, pois sua lentidão o prejudicava, mas talvez tenha sido justamente essa lentidão que lhe permitiu ir tão longe no campo complicado da história da evolução. Jacques Mehler (1989) sugere, ainda, que Darwin obteria notas baixas em um liceu francês, onde se privilegia a rapidez de raciocínio. Nesse contexto, ele poderia ter se tornado e permanecido um mau aluno profissional [2]. Talvez, se ele tivesse sido um aluno brilhante, não tivesse tido a liberdade de embacar numa viagem ao redor do mundo, durante cinco anos, descobrindo tantos ambientes diferentes, que lhe serviram de base para propor o conceito de seleção natural.

GGOO!!!
Já o roqueiro Roger Moreira, tem QI 172 – altíssimo. O QI médio fica entre 90 e 110. Ele se alfabetizou sozinho aos 3 anos de idade, pulou a 4ª série primária porque já sabia tudo que estava sendo ensinado e chegou ao 2º ano do curso de arquitetura antes de decidir seguir carreira musical. "Sempre consegui tudo que quis", ele diz (Mensa). Apesar do alto QI, sua produção intelectual não chega a constituir um libelo literário, como se pode observar na canção Inútil: “A gente não sabemos escolher presidente. A gente não sabemos tomar conta da gente. A gente não sabemos nem escovar os dente. Tem gringo pensando que nóis é indigente. Inútil. A gente somos inútil .”

Albert Jacquard destaca que com o QI mede-se a capacidade de responder depressa a perguntas cujas respostas já foram previstas por quem aplica o teste. No entanto a inteligência é justamente a capacidade de formular perguntas inéditas[3].

Paradoxalmente, as facilidades podem se constituir em obstáculos, pois a produção científica ou cultural de excelência exige disposição e capacidade para conviver com decepções. Martin A. Schwartz, em artigo publicado no Journal of Cell Science, destaca o papel da ignorância para o conhecimento científico. Em pesquisa, a área das coisas que não se sabe é vasta ou até infinita, porém se a ignorância é infinita, a única atitude que nos sobra é dar o melhor de nós (RNA mensageiro).

Moral da história: ao enfrentar as dificuldades cognitivas, aprende-se a conviver com certo grau de frustração sem desistir diante dos obstáculos. Se, além disso, houver muita curiosidade, capacidade de fazer perguntas e disciplina, teremos os ingredientes para um novo gênio.

Por: Gladis Franck da Cunha.

Referências:
[1]-Sociedade Beneficiente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein. Dislexia: como ultrapassar barreiras. disponível em: http://www.hiae.com.br/EspacoSaude/VivaMelhor/Materias/Paginas/Dislexiacomoultrapassarbarreiras.aspx

[2]- MEHLER, Jacques. Entrevistas do Le Monde: o cérebro. In : FLAKSMAN, Sergio (Trad.) O indivíduo. São Paulo : Ática, 1989, p.79.

[3]- JACQUARD, Albert. Entrevistas do Le Monde: o cérebro. In : FLAKSMAN, Sergio (Trad.) O indivíduo. São Paulo : Ática, 1989, p.66.

22 comentários:

  1. É verdade, Einstein não só tinha dislexia como aversão a algumas disciplinas escolares e tinha dificuldade de aprendizagem. Ele tirava excelentes novas em física e matemática, mas nas restantes, ia muito mal. Ele preferia etstar e fazer inventos científicos e ler filosofia a ir a participar das aulas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Por favor, vc acha mesmo que o Roger cantaria daquele jeito sem querer?

    "Apesar do alto QI, sua produção intelectual não chega a constituir um libelo literário, como se pode observar na canção Inútil".

    Sem querer criticar o site, que alias eh mto bom, mas essa afirmação ficou devendo nexo. Se ele pulou pra 4ª série, não foi só pq ele sabia matemática... Português também é exigido, e muito, pela secretaria da educação.

    É só uma música, o mesmo acontece em "Dinheiro", onde ele diz: "Mim quer tocar, mim gosta ganhar dinheiro" e logo em seguida, em inglês, "Me want to play, me like to get money".

    Essas músicas apresentam o contrário do que foi dito aqui, ele sabe falar muito bem, português e inglês, portanto brinca com isso. O mesmo acontece com quem manja muito jogar bola, eles fazem as chamadas 'firulas'. Roger é um gênio que usa a música pra criticar, sem medo, qqr coisa(vide "Filho da Puta") e resolveu escolher o sistema de ensino, talvez, ou a incapacidade do brasileiro de tomar ação em alguma coisa, ou ambos, numa música só. Como eu disse, gênio.

    Abçs, espero não ter ofendido, só quis mostrar o outro lado da moeda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo, fiquei muito puto quando vi o que escreveram, parece que quem não tem QI algum, é quem escreveu esse artigo sobre o Roger, quem não saberia interpretar essas músicas? Pelo amor de Deus!

      Excluir
  3. Concordo com o Vitor

    É importante dar uma conferida na carreira do Ultraje a Rigor lembrando os problemas que o Brasil enfrentava na época e não esquecer de usar boas pitadas de sarcasmo e bom humor.

    ResponderExcluir
  4. A autora provavelmente não discorda do mérito das produções do Roger, só enfatiza que um grande QI não significa a criação de uma obra inovadora.
    Qual terá sido o QI do Renato Russo? Este sim, foi um gênio em termos criativos e revolucionários, mas duvido que tivesse um QI 170.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O conceito de inteligencia é relativo. Na prática, nem sempre quem tem maior escolaridade tem,nescessáriamente, o QI mais alto.Exemplo disso,é Tomas Edison, que apesar de só ter tres anos de escola, esta entre os maiores gênios da História.

      Excluir
  5. Eu, pessoalmente gosto muito do Roger, acho-o divertido, criativo e inteligente, mas sua obra não exige dele todo seu potencial. Há tantos outros compositores e bandas que também criticaram sistemas de governo e estruturas sociais com melodias e poesias incríveis, são exemplo Chico Buarque, Caetano Veloso,Engenheiros do Havai, Nei Lisboa. Eles todos não tem QI tão alto quanto o Roger e fizeram coisas equivalentes, ou, na minha opinião, até melhores.
    A idéia do artigo foi ressaltar que, para ser um cientista e até ganhar um Nobel, não é necessário nascer com capacidades intelectuais superiores. É mais uma questão de dedicação, envolvimento e capacidade de aguentar os fracassos e reiniciar.
    Ter um alto QI pode se constituir num peso, pois as pessoas sempre esperam o máximo e quando isso não acontece não escondem sua decepção.
    O prórpio Einstein produziu enquanto ainda era anônimo, depois da sua notoriedade sua produção científica foi mais relacionada às críticas que fez a Bohr do que a novas descobertas pessoais.
    No caso do Roger, ele fez uma escolha e tem todo o jeito de que é feliz, às vezes não há nada melhor do que uma vida mais simples. Por isso a genialidade depende menos do QI do que das escolhas pessoais.

    ResponderExcluir
  6. Que o Q.I alto não é garantia de sucesso isso não é novidade para ninguém,Andy Warhol tinha um Q.I de 86, considerado baixo, mas também não podemos dizer que um Q.I alto não serve para nada.

    Pelo o que se sabe o QI de Einstein era de 160 e o de Darwin 138 ou seja eles também tinham um Q.I de genio. Mesmo que uma pessoa apresente dificuldades na escola isso não necessariamente significa que ela não tenham um alto Q.I, isso pode se dar por diversos fatores como por exemplo falta de estimulo.
    Além do que já atribuiram tantos problemas cognitivos a Einstein que eu chego a duvidar.

    Fato é que a maioria dos genios da humanidade apresentavam Q.I acima da média Goethe 183,Descartes 153,Pascal 168,Galileo 158, Chico Buarque 140.

    ResponderExcluir
  7. Todos acima que me desculpem, posso ate parecer polêmico, mas acho q Q.I num te nada haver com a historia. Ajuda sim ajuda, mas acho que não é essa o motivo de não termos mais grandes gênios. O grande responsável por esse déficit e o modo em que vivemos hoje tudo é fácil demais, tudo nos é dado com pouco esforço (falo de conhecimento). Ate mesmo os mais diversificados campos da ciência se limitam em apenas explorar o que já foi descoberto, são poucos os que buscam “paradoxar o indubitável".
    Einstein só foi um gênio, porque rompeu as bases cientificas de sua época. Acredito que nos não temos a mesma audácia. Mal confrontamos nossos governantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa! Eu tb tenho um qi considerado alto: 160. Mas pela minha preguiça eu sei q nunca vou chegar no nivel de um einstein... O mundo de hoje é feito pros preguiçosos....
      Sem falar na educação brasileira q e feita pros preguiçosos tb....
      Vc ve o nivel de intelectualidade do brasileiro qd ele eleje um moleque fedendo a mijo como o neymar como um dos 100 maiores brasileiros de TODOS os tempos.... Na frente de caras como chico buarque, caetano veloso entre outros.... Triste....

      Excluir
  8. Abri uma janela em minha mente e dela vejo o mundo,lento?,rápido?,extranho?,comum?,variavel? A maneira como olho,e a minha disposição para vê-lo é o motivo,mas de onde vem a motivação para continuar a olhar? Fecho os olhos varias vezes por tédio, como agora,e saio,e volto.
    Amanhã vou abrir uma porta...

    ResponderExcluir
  9. Q.I. alto hoje não quer dizer muita coisa. O que vale é a habilidade social, o controle emocional, a sociabilidade. Sem isso, um fóbico social, por exemplo, mesmo com um Q.I. de 160, pode acabar ganhando o salário-mínimo.

    ResponderExcluir
  10. Com a globalização veio uma crise dos sentimentos colectivos.
    Tem vindo a alastrar-se, uma economia estagnada, um ensino decadente, uma universidade, com estudantes a quem o saber já não apaixona e entre os quais se enraíza um sentimento devastador de que os que estudam, se esforçam, trabalham duramente, os mais merecedores, não verão o seu esforço recompensado, não serão bem-sucedidos.
    Espalhou-se a ideia de que na sociedade aquilo que fazemos não atrasa nem adianta e a lealdade e a palavra dada pouco importam.
    Porem, nada disto é verdade, porque se fosse a sociedade deixaria de funcionar.
    Na realidade o que acontece é que têm de fazer um esforço maior. Existem jovens bem preparados, com vontade de trabalhar e de se adaptar. O mesmo se passa com os mais dotados, que se encontram num ambiente cultural que não os favorece nem os ajuda.
    Para triunfarem têm de ter ousadia, ideais firmes e confiança na natureza humana, para derrotar dia a dia a desconfiança, o cinismo e a indiferença que os rodeia.

    No “ Ocidente “a cultura parece estagnada. Porquê? Porque já não nascem pessoas de génio?

    Em Atenas, entre 450 e 350 antes de Cristo, surgiram figuras como Sócrates, Platão e Aristóteles, e depois tudo parou.
    A Itália conheceu o esplendor do Renascimento, a seguir a ocupação estrangeira e depois a decadência.
    No fim do século XIX em Viena viveram Strauss e Freud. Em França, nos anos 60 e 70, foram Sartre, Simone de Beauvoir.
    Hoje já não há ninguém como eles.

    Porque será que durante algum tempo o génio emerge e que depois regressa a mediocridade?

    ResponderExcluir
  11. LEIA ATÉ O FINAL, ACREDITO QUE NAO VÁ SE ARREPENDER.
    Eu sou um gênio, só que a sociedade nao vê isso, só algumas pessoas. e eu estar falando aqui, nao vai mudar nada. só vou parecer prepotente e arrogante. fazer o que né?
    o fato de eu ser muito novo (16 anos) só ajuda mais ainda a ser ignorado. aliás, se chegar o dia que eu estiver no topo quero que vocês lembrem do meu nome, o que eu tenho certeza que não vai acontecer.
    bom, só pra ter uma prova, que nem sei se vai fazer tanta diferença, vou postar aqui meu blog, onde eu compartilho algumas teorias e idéias minhas, lembrando que eu nao to nem ai se você concorda ou não com as minhas opiniões.
    agora to meio ocupado, to indo pra alemãnha fazer intercâmbio, porque penso em saber mais sobre o mundo, já que eu vou viver mais nele depois do que agora.
    mas como a vida começa assim que temos capacidade de pensar, tenho que começar a planejar tudo agora, então já tenho um negócio feito, para investir, a curto prazo, por volta de 35 mil reais, e transformar em mais de 100 mil.
    quer uma dica de como detectar uma pessoa genial?
    (muitas vezes ela tem essas características:
    é introvertida (nao é a mesma coisa de timida, vai procurar o que é, depois tire suas conclusões)
    é atéia (ateu/atéia)
    tem dificuldades na escola (você viu isso aqui mesmo. e é bom ter acreditado, porque é verdade)
    estas dificuldades na escola, nao se aplicam, ou estão menos presentes mais para frente na vida, como na faculdade, nos dias atuais.)
    o resto vc tenta imaginar, isso faz vc ter uma mente mais forte.
    http://powts.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Genial Sr. Ninguém, continue assim que vai arrebentar a boca do balão!

    ResponderExcluir
  13. a maioria dos alunos e mau, ou seja, a maioria das pessoas sao mas na escola. na minha, ha dois realmente bons, um passa a vidaa a estudar e o outro n faz absolutamente nd e tem notas melhores ~(por vezes). qual e o superdotado?
    - o q n faz nada e tem muito boas notas; ou
    - o q se mata a estudar (n sei se devido a querer ser o melhor ou se devido a curiosidade)
    o q nao estuda sou eu, nos testes dos profs burros ate faço cabulas. sei q tenho cerebro suficente ate ao final da vida e q n o preencherei todo, mas para que dar me ao trabalho de perdr tempo a estudar coisas 0% importantes po meu futuro?
    ps.dois dos genios presentes neste site dados oomo exemplo sao ateus obvios, os outros provavelmente tb. pk sao cientistas, descobridores e nesse aspecto, a igreja tente atrasar o maximo de descobertas cienticas ( e mais facil governar na ignorancia dos subditos.

    ResponderExcluir
  14. Wagner Rogerio da Silva21/09/2013 08:44

    Estava lendo o trecho sobre Roger Moreira (Ultraje a Rigor) e vi que a inteligência dele fez com que ele pulasse etapas. Na minha época de escola, alguns colegas eram dois anos mais novos que eu e terminaram o ensino médio com 16 anos, sabendo que a idade considerada certa é 17. Devido a esse fato, acredito que muitos pais querem criar esse estereotipo nos filhos e conseguem com que eles puem ua etapa do aprendizado, o que, no futuro pode causar prejuízo por terem dificuldades de adaptação.

    Wagner Rogerio da Silva
    Maceió/AL

    ResponderExcluir
  15. tenho exatamente o mesmo QI que Roger (teste de laboratorio) porem apresento algumas dificuldades de aprendisagem especialmente em portugues

    ResponderExcluir
  16. Já ví que quem acreditou nessa matéria, possui um QI baixo. o Roger tem QI 148, e nao 172. Para se medir QI existem tres diferencas de pontuacao (15,16 e 24). O pessoal pega ele como QI 172 usando como base a diferenca de 24. Já o Einsten eles usam a diferenca 15, se eles pegassem a mesma diferenca pros dois -24- o Eisten teria 185 e o Roger 172. Usando diferenca 15 é 160 Einsten, 148 Roger.
    Assim é facil poxa, o meu deu 139 (diferenca 15), mas posso falar que é 164 porque existe diferenca 24. Tem que levar todos com a mesma diferenca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o meu deu 148, não usando a diferença de 24. E concordo com a parte em que você diz "Tem que levar todos com a mesma diferença", porquê ficaria errado fazer até comparações entre QI de pessoas (Por mais que eu ache isso idiota) sendo assim não calcularia o QI correto entre certas pessoas.

      Excluir
  17. Na verdade, acreditam que o problema de Albert Einstein era Síndrome de Asperger, um tipo "leve" de autismo.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_asperger

    ResponderExcluir
  18. Primeiro anônimo não chama diferença esses valores 15,16 e 24 num teste de QI e sim desvio padrão,por ex. meu QI é 167 no desvio padrão 16 e o teste que o Roger fez que se chama teste de Cattell é ridiculamente fácil não chega nem perto dos Hard Tests que não tem limite de tempo e medem realmente QIs de até 170 prá cima com mais fidedignidade se ele fizesse um teste desses acho que não ultrapassaria 140 que é 1caso em 1000 e através de suas postagens em redes sociais pode ser até menos porque as coisas que ele fala não é sinal de inteligência e sua produção intelectual não demonstra um intelecto superior a 1 caso em 1000 isso jogando por cima,mas para escrever as letras esdruxulas que ele escreveu com um intelecto de 1 caso em 100 dá e sobra isso é um QI de 135 e ele entraria do mesmo jeito na Mensa que tanto ele se gaba porque para entrar só precisa de um QI superior a 132.

    ResponderExcluir