Pesquisar

9 de jun de 2009

Relógios caríssimos que nem sequer mostram as horas.

Dando seguimento ao artigo anterior sobre relógios muito estranhos que quase não servem para mostrar as horas, prosseguimos cm esta seleta coleção de mecanismos, que apesar de caríssimos, não são capazes de dar as horas.

Quem compraria uma máquina destas, uma vez que qualquer relógio vagabundo de 5 dólares marca perfeitamente o tempo através do seu mecanismo genérico de quartzo? Eu, em sonhos, e qualquer indivíduo que tenha condições de desembolsar mais de 10 mil dólares para ter uma peça única no universo.

Afinal, para quê um rico necessitaria saber as horas? Enquanto o pobre chega atrasado, o rico tem contratempos que não precisam ser justificados. Assim, as finas peças de relojoaria a seguir são destinadas a uma elite de algumas dúzias de mortais no planeta terra, que estão pouco se importando com pequenos detalhes, tais como a cronometragem da passagem do tempo.

Day&Night, apenas mostra se é dia, ou noite – 300 mil dólares.
Fazer um mecanismo que mostre apenas se é dia ou noite, não é coisa simples. O relojoeiro suiço Romain Jerome concebeu esta peça única feita dos restos do navio Titanic baseado num estranho movimento de turbilhão provocado no planeta pela conjunção das forças de gravidade e rotacional. O mesmo efeito é usado para compensar nos relógios mecânicos convencionais os efeitos espúrios sobre a precisão do campo gravitacional.

Ulysse Nardin Tellurium, Relógio Kepleriano que mostra o movimento da terra – 118 mil dólares.
O dono desta preciosidade vai ter que estudar profundamente as leis da mecânica celeste descobertas pelo físico moderno Johannes Kepler, se quiser saber coisas simples como de horas e minutos neste mecanismo que mostra a rotação do planeta.

DeWitt WX-1, quando as horas são só um detalhe – 20 mil dólares.
Apesar do seu baixo preço, “mucho me gusta” este estranho e imenso relógio de pulso que funciona à base de turbilhonamento de vento. Qualquer semelhança com a estética steampunk terá sido mera coincidência!

O relógio de pulso transcendeu ao longo dos anos ao seu papel original de informar as horas, para se tornar um dos principais símbolos de status. Por ele acompanhar o dono onde quer que ele esteja e estar constantemente exposto à visão alheia, é denunciador da classe de quem o empunha. Logo, quanto mais raro e valioso é o relógio, mais ele “falará” a respeito do status do dono. O que vale mais, a carga simbólica do relógio, ou a sua função?
Por: Isaias Malta.

3 comentários:

  1. Na minha opinião, relógios assim estão ligados à arte,a engenhosidade. Mecanismos de precisão, são sempre caros, ainda mais se provocam a sensação de desejo.

    ResponderExcluir
  2. Show de bola, são encantadores.

    Particularmente, só os teria se fosse realmente apaixonado por este tipo de arte, como disse o amigo acima.

    O que mostra o dia e noite seria muito útil nos pólos e países que tem 20 horas de sol por dia e etc. Porém, aqui, acho mais fácil olhar pela janela! hehe!

    Esse "steampunk" é aterrador, como funciona?

    ResponderExcluir
  3. Caio, o site do link da foto fornece um extenso texto sobre o seu funcionamento. Não me detive nele, uma vez que o shape do bixo já me fisgou.

    ResponderExcluir