Pesquisar

2 de jul de 2009

Cozinhas retro-futuristas tinham Mainframes e sintetizadores de alimentos!

Acreditava-se há 50 anos que as cozinhas do futuro teriam além de computadores, máquinas maravilhosas, inclusive sintetizadores eletrônicos de comida. Passado o tempo, se constata que os sonhos foram mais gradiloquentes do que a realidade e hoje o que se vê não é nem uma pálida idéia do que se imaginou em termos de avanços tecnológicos domésticos.

Mesmo relevando que temos microondas, máquinas de lavar e secar louças, fogões eletrônicos, processadores de alimentos e toda uma parafernália eletrônica, ninguém nega que a tecnologia atual não prescinde do árduo trabalho dos habitantes da casa. Não era com isto que os nossos avós sonharam!

Um Mainframe na cozinha?
Vamos começar com esta bela viajada, uma fantasia delirante da década de 60, quando já se tinha alguma idéia do que estava vindo na área de computação eletrônica. Então, nada mais justo do que enfiar a nova geringonça na cozinha e dispensar a dona de casa dos seus rudes trabalhos domésticos. Assim, vemo-la aí acocorada “confortavelmente” no chão da cozinha folheando revistas e com o olhar perdido no horizonte, ao invés de cortar, limpar, ralar, cozinhar, fritar, varrer, etc. Todas estas ações enfadonhas, doravante, ficam a cargo do “cérebro eletrônico” que comanda a cozinha do futuro.
Cozinha com Mainframe
[Live Journal]

Neste clip produzido em 1967, o sonho do computador está mais maduro, o que confere mais arrojo às previsões futuristas. Como você pode ver, a dona de casa está lépida, faceira e limpinha 2 minutos antes de servir o almoço. Ela livre dos atabalhoamentos típicos do ato de cozinhar, pois tudo que tem a fazer é consultar a tela onde o computador lhe determina exatamente qual é a dieta do dia para cada membro da família. O marido, numa atitude tipicamente masculina, opta por um cardápio mais “substancioso”, porém o computador observa que a refeição ultrapassará em 400 calorias o limite permitido naquela refeição e sugere uma substituição, que é aceita com um pequeno muxoxo.

No mundo tecnológico maravilhoso de 1999, a dona de casa leva dois minutos entre conversar com o seu marido e filho via videofone e servir a comida na mesa. Tal cozinha do futuro, que já pertence ao nosso passado, além de possuir um computador central, tem aparatos que sintetizam o alimento necessário a cada membro da família. Depois do almoço, tudo que resta à dona da casa fazer é colocar a louça suja na máquina processadora, que fará a limpeza e dará o devido destino a cada item. Depois disso, ela terá todo o resto do dia pela frente para se dedicar aos seus passatempos prediletos.



Sonhos futurísticos atuais são menos arrojados.
Esta cozinha digital que integrou a mostra industrial de Cozinha e Banho em Las Vegas, EUA, sintetiza pefeitamente o esmaecimento das “viajadas” dos tempos antigos. Aqui vemos um computador mixuruca HP Touch Screen e uma telinha de LCD na geladeira. Onde está o sintetizador de alimentos e cérebro eletrônico que determina os menus? Será que o nosso futuro nos condenará eternamente a esfregar, preparar, cortar, ralar, limpar, espremer, secar, varrer... Ufa! É muito trabalho doméstico que temos pela frente para o resto das nossas vidas, sem ao menos podermos sonhar com um doce futuro onde sejamos desobrigados dessas tarefas enfadonhas, nem que seja, digamos, lá pelo ano de 2049...
Futurismo em cozinhas de 2007
[momadvice]
Por: Isaias Malta.

2 comentários:

  1. EEEEEEEEEeeeeeeeta cozinha dos meus sonhos viu!
    estou te seguindo
    quando puder...
    http://tecnotc.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Cozinhas que já chegaram do futuro estão aqui.
    http://www.topcozinhas.com.br

    ResponderExcluir