Pesquisar

28 de ago de 2008

O programa AOL 9.0 é acusado de comportamento malicioso.

A cliente de acesso a rede AOL despertou suspeitas do site StopBadware, um consórcio criado para combater a disseminação de códigos maliciosos. Num relatório divulgado nesta segunda-feira, o grupo avisa os usuários para que se mantenham em alerta contra alguns comportamentos maliciosos observados no aplicativo de acesso a Internet da AOL.

A base das acusações contra a versão gratuita do AOL 9.0 é que ele “interfere com o funcionamento do computador” e na maneira como ele interage com outros aplicativos, tais como o Internet Explorer e o gerenciador de tarefas do Windows. O programa também foi criticado por sua desinstalação incompleta, ou seja, a não remoção completa dos componentes previamente instalados.

Falta de transparência.
O principal problema é que a AOL não está informando claramente aos usuários o que o seu software está fazendo nos seus PCs, disse John Palfrey, o diretor do StopBadware. “Achamos que as coisas não estão sendo feitas de maneira transparente, pois há algo na arquitetura do programa que oportuniza o funcionamento oculto de alguns módulos. Quando há uma grande quantidade de programas e alguns deles atuando de maneira oculta, tudo isto tem que ser revelado ao usuário”, declarou o diretor.

Devido ao fato da AOL estar trabalhando para sanar as defecções apontadas pelo StopBadware, o browser AOL 9.0 ainda não foi oficialmente declarado como badware, não que isto represente boas notícias para a AOL, pois pode seguir o caminho de outros softwares já catalogados como Badware, tais como o Kazaa, Jessica Simpson Screensaver e a barra de tarefas da Starware News.

Suportada por empresas de tecnologia tais como Google, Lenovo e Sun, o StopBadware se autodenomina como um “vigilante da vizinhança” da Internet. Ele funciona dentro de dois dos mais respeitados departamentos Universitários: Centro Berkman de Internet & Sociedade da Universidade de Hardware em Cambridge e o Instituto de Internet da Universidade de Oxford, ambos na Inglaterra.

O relatório da segunda-feira dá conta de que a AOL está dando passos para sanar as falhas apontadas pelo StopBadware e a companhia já confirmou que há problemas na desinstalação dos seu software, de acordo com o rascunho obtido pelo IDG News. Os executivos da AOL não foram localizados para comentar esta história e a empresa está trabalhando na realização de melhorias mais profundas.

A iniciativa da empresa de abrir a sua rede fechada, oferecendo livremente o AOL 9.0, faz parte de uma estratégia para atrair novos usuários e incrementar suas propagandas online, já que o número dos seus tradicionais assinantes tem decaído. A companhia tem hoje 17, 7 milhões de assinantes nos EUA, o que representa uma diminuição de 3,1 milhões em relação ao ano passado.

Escândalo de quebra de privacidade.
Na semana passada três executivos da AOL, incluindo o seu diretor de tecnologia Maureen Govern, foram demitidos por causa do escândalo criado depois da quebra de privacidade de 2 milhões de acessos à internet feitas por 650.000 usuários.

A AOL também está sob fogo cerrado quanto a questão do licenciamento do seu antivírus gratuito Active Virus Shield, sobre os quais pesam acusações de uso excessivo de adware e captura de dados pessoais dos usuários.

Desde o escândalo da revelação dos históricos, a AOL está trabalhando para restaurar a confiança perdida, disse seu CEO Jon Miller num recente email dirigido aos funcionários. “Há uma tremenda responsabilidade advinda da nossa missão de servir os nossos consumidores online. Temos que ganhar a confiança deles a cada dia.”

Fonte:
AOL 9.0 Accused of Behaving Like Badware
StopBadware

Nenhum comentário:

Postar um comentário