Pesquisar

14 de ago de 2008

A burrada que custou à NASA 125 milhões de dólares.


Uma trapalhada que misturou sistemas de medida imperial e métrico botou a perder a sonda da NASA na órbita de Marte em 1999. A espaçonave, que deveria ter entrado suavemente na órbita marciana, se desintegrou na atmosfera do planeta.

Quem viu o filme Apolo 13, tomou ciência de como o programa espacial americano é tocado nos escalões burocráticos estatais, cada módulo de uma missão é licitado separadamente e ganho por uma empresa diferente. O resultado é que cada missão é um Frankstein de módulos costurados precariamente. Cabe à NASA costurar as diversas partes, o que na prática nem sempre acontece como o esperado

Sabe-se hoje que uma das maiores idiotices da história espacial teve origem num erro primário. Os valores de aceleração que foram transmitidos da terra, apesar de estarem certos, tinham um pequeno problema, foram enviados no sistema de medida inglês. Ora, uma libra de força corresponde a 4,56 newtons de força no sistema métrico. Isto determinou que a sonda entrasse “rasgando” na atmosfera marciana numa força 4,45 vezes maior do que aquela necessária para entrar em órbita. Provavelmente o artefato nem chegou ao solo, pois deve ter se desintegrado em consequência da fricção causada pela atmosfera marciana.

Um erro semelhante de erro de cálculos por incompatibilidade entre sistemas de medida foi cometido em 1983, no famoso vôo 143 da Air Canadá, um Boeing 767 se viu sem combustível no meio da sua rota e sem condições de pousar num aeroporto regular.

Por erros tais como o da NASA que custou 120 milhões de dólares e o do acidente do Jumbo pousando sem combustível, que custou 1 milhão de dólares, fica comprovado que certas coisas não mudam. Por mais que a tecnologia avance, o fator humano continua a determinar o sucesso, ou o fracasso dos empreendimentos.

Fontes:
NASA: Human error caused loss of Mars orbiter
Mars Climate Orbiter

8 comentários:

  1. Tudo isso seria evitado se TODOS seguissem o Sistema Internacional.

    ResponderExcluir
  2. E quem vai convencer os arrogantes que o sistema métrico é melhor do que o pé do rei?

    ResponderExcluir
  3. Porque estadunidense é tudo arrogante e filhos da puta e acham que são os donos do mundo, mas não passam de um bando de judeus descendentes de foragidos ladrões e assassinos da Inglaterra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brasileiro nao muito diferente disso nao meu amigo, a unica coisa q nos difere deles é q eles têm poder e nos nao

      Excluir
  4. A linha editorial deste blog não apoia o preconceito de gênero. Assim como o indivíduo brasileiro não gosta de ser confundido com os brasileiros em geral, não podemos cair no erro achando que TODOS os americanos e ingleses são isto e aquilo.
    Quem chegou a conhecer pessoalmente americanos e ingleses, descobre o quanto os preconceitos são burros.

    ResponderExcluir
  5. SIm o metrico é melhor, mas existem muitas coisas que não da pra mudar nesta altura do campeonato.

    por exemplo, na aviação a medição de altitude sempre e todos seguem a media de "pés". A distancia em milhas.
    Agora temos duas distancias em milhas, a normal e a milha nautica.

    ResponderExcluir
  6. Na aviação, persiste a confusão. Quando fiz o curso teórico, me deparei com a trama de confusão de sistemas de medida.
    Falta vontade política global para mudar este cenário.

    ResponderExcluir