Pesquisar

24 de ago de 2008

Top 10 da dieta ecológica.

A proposta de uma dieta ecológica, através de dez atitudes básicas, visa uma reeducação pessoal, considerando organismo como um ecossistema a que devem ser aplicados os conceitos sobre equilíbrio e recuperação.
Autora: Gladis Franck da Cunha
Quem pode fazer a dieta ecológica?

Essa dieta se destina a pessoas inteligentes e capazes de realizar mudanças no sentido de uma vida mais saudável. Ela pode ser resumida a dez passos principais, cuja descoberta envolveu um processo de experimentação pessoal ao longo de quase trinta anos de vida.

1- O primeiro passo consiste na redescoberta e valorização da beleza pessoal. Todos nós possuímos uma beleza, que pode se modificar ao longo do tempo, mas está sempre presente. Para explorá-la, devemos adequar nossas roupas, corte de cabelos, adereços, gestuais e humor.

2- Devemos construir um estado de PAZ com o nosso corpo, partindo da valorização da beleza pessoal e seguindo pela convicção de que o corpo tem uma inteligência própria e é capaz de atingir um estado ideal de equilíbrio e forma. Nesse contexto, a nossa tarefa consiste em criar as condições ideais para que ele trabalhe de forma mais eficaz.

3- Jamais devemos utilizar moderadores de apetite, mesmo com prescrição médica, pois eles afetam o funcionamento cerebral e acabam desregulando a sensação de saciedade. Ao parar de utilizá-lo deixamos de sentir saciedade, já que esse estímulo não estava vindo através das rotas normais, mas através de substâncias químicas que atuavam diretamente nos neurônios sem ligação com o estado real de homeostase ou equilíbrio corporal.

4- Não devemos nos pautar pelas tabelas de valores calóricos dos alimentos, pois nunca assimilamos os alimentos sem gastar energia e algumas vezes um alimento mais calórico consome mais energia no seu processo de digestão do que um alimento menos calórico. O ideal é escolher alimentos mais nutritivos e ricos em fibras, mesmo que sejam mais calóricos, já que são estes os alimentos que conseguem ‘matar’ a fome fisiológica, nutrindo melhor o organismo e desencadeando um processo de digestão mais lento.

5- Se queremos o equilíbrio ecológico do nosso ecossistema corpo, nós devemos comer com atenção, mastigando devagar e saboreando os alimentos, pois quando comemos absortos em outras atividades, consumimos alimentos muito calóricos e com baixo valor nutritivo e esta é uma das principais causas da obesidade!

6- É imprescindível reduzir a quantidade de sal na alimentação, pois ele pode se constituir num grave componente de estresse. Ao acrescentarmos sal aos alimentos aumentamos o trabalho das células, dificultando o equilíbrio do corpo, que diante de “toxidez” do excesso de sal vai reter mais tecido adiposo.

7- É preciso reduzir o tamanho do estômago, modificando os hábitos alimentares. As pessoas com excesso de peso costumam fazer poucas refeições ao dia e concentrá-las no período noturno, juntando a fome com a vontade de comer. Desse modo, o estômago vai se dilatando e dificultando a reeducação alimentar.

8- Deve-se evitar o consumo de leite e derivados, pois essa não é uma dieta natural para mamíferos que saíram da primeira infância.

9- É fundamental manter-se uma dieta diversificada, não utilizando nenhum tipo de alimento ou suplemento alimentar industrializado de forma continuada.

10- Precisamos caminhar diariamente, de forma contínua e por cerca de meia hora. Através desse exercício, a circulação melhora, as articulações se tornam mais lubrificadas, os ossos recebem cálcio, o abdômen reduz de volume, o bumbum fica mais firme e a disposição física, como um todo, melhora.

O link de cada item faz referência ao texto originador, onde o assunto é tratado de uma maneira mais profunda.

3 comentários:

  1. Se evitarmos o consumo de leite e derivados, de onde tiraremos o cálcio, para evitar a osteoporose? Recomendação arriscada essa...

    ResponderExcluir
  2. prezado anônimo, o post acima contém os links dos artigos mais completos. Sobre o passo 8 o texto completo diz "O problema são as pessoas que gostam muito de leite e o consomem ou aos seus derivados em abundância, pois estão consumindo um alimento essencialmente “engordante” que pode estressar o organismo, possibilitando o desenvolvimento de infecções e alergias".
    O alerta foi dado porque a culinária brasileira abusa de cremes e queijos.
    Tens razão ao alertar sobre o cálcio tanto que no referido texto é dada a sugestão: "Não quero me posicionar radicalmente contra o consumo de leite, pois ele pode ser bastante saudável quando fermentado com lactobacilos vivos e, dessa forma, consumido em quantidades moderadas, pois auxilia a constituição da flora intestinal, trazendo benefícios a saúde".
    Em relação ao cálcio, o leite não é a única fonte, além disso, para evitar a osteoporose não basta consumir grandes quantidades de alimentos com cálcio, pois os exercícios físicos de impacto, como a caminhada vigorosa também são indispensáveis para sua fixação nos ossos. Em alguns casos um tratamento hormonal se torna necessário, por isso manter acompanhamento médico regularmente é indispensável.
    Em resumo, leite e derivados são sim muito gordurosos e seu consumo deve ser repensado por quem deseja perder peso ou combater alergias, pois há ricotas, yogurtes desnatados, leites fermentados, além de outras fontes de cálcio disponíveis.

    ResponderExcluir
  3. 'Se evitarmos o consumo de leite e derivados, de onde tiraremos o cálcio, para evitar a osteoporose? Recomendação arriscada essa...'

    você substitui por outros alimentos.
    eu sou vegetariana, logo, nem bebo leite e talz, se você incluir outras coisas na dieta ou até mesmo tomar vitaminas, não vai te acontecer nada =]

    ResponderExcluir