Pesquisar

5 de out de 2008

Prepare-se para a volta dos LPs, montando o seu sistema analógico!

No mundo inteiro reacende o interesse pelo som analógico, que todos julgavam sepultado pelos aparatos digitais. Passados uns 20 anos, os audiófilos descobrem cada vez mais as deficiências das gravações digitais: baixa fidelidade ao som original, falta de profundidade, pobreza timbrística e estridências desagradáveis aos ouvidos. Nos EUA as fábricas de LPs estão trabalhando a todo vapor para atender as encomendas e no Brasil, há esforços para tentar reabrir a última fábrica que fechou as portas quando a era do som analógico foi declarada oficialmente morta.

Em tempos de Home Theather, MP3, Ipod e Surround 5.1, chegou a hora de você fazer um retorno ao passado indo atrás dos sonhos de consumo “vintage” da era analógica, quando era fashion ter equipamentos separados: toca-discos, amplificador e caixas de som.

Prepare-se, pois em nome da fidelidade sonora, você terá que quebrar o cofrinho e desembolsar milhares de reais, mas qualquer esforço é válido para não ficar fora da nova onda.

Toca-discos de Vinil.
Opção cara: Toca-discos ELPJ com agulha laser – US$ 9.990,00.
Para quem é maníaco audiófilo e tem dinheiro para suportar, a melhor opção atualmente é um toca-discos que não vai desgastar os seus discos, pois ele não tem agulha propriamente e sim um feixe de laser que faz a leitura. Por enquanto é uma “mosca branca” no mercado de áudio mundial, mas se a volta do LP for realmente para valer, é possível que o preço baixe, na medida em que outros fabricantes passem a se interessar pelo segmento.

Opção possível: Toca-discos Technics SL 1200 MK2 – R$ 2.900,00
Um aparelho facilmente encontrável no mercado nacional, tem características altamente recomendáveis para um toca-discos: é direct-drive, prato de alumínio, motor DC sem escovas, regulagem de peso do braço, anti-skating, regulagem manual de velocidade por controle eletrônico, etc.
Para maiores informações técnicas, clique aqui.

Amplificador Valvulado.
Depois que você comprou já definiu o seu toca-discos, é hora de escolher uma peça crucial no sistema de som analógico, o amplificador, de preferência completamente valvulado, para que o ouvido humano possa usufruir a plenitude dos som cheio do LP, acrescido ao aveludamento que a amplificação à válvula confere aos timbres.

Amplificador Fatman ITube 182 com docking station para Ipod – US$ 1.700,00.
Amplificador stereo totalmente integrado, Classe A com 7 válvulas, que perfazem 3 estágios lineares de amplificação e entregam 18 watts de potência RMS por canal. Como todos os amplificadores Fatman, todos os aspectos da reprodução são tratados com incrível acuidade, resultando em sons naturais e precisos que preenchem o ambiente com peso e profundidade.
Segundo o fabricante, o representante no Brasil é a Som Maior.

Caixas Acústicas.
Usher S-520 – R$ 1.799,00
Segundo a propaganda da Loja Altana, estas caixas são ideais para uso com amplificadores valvulados.

Uma opção de caixa de som usada - Tannoy Stirling ST-25 – R$ 9.900,00.
Achei no Mercado Livre estas caixas acústicas dos sonhos, feitas com muita madeira e auto-falantes de 10 polegadas Dual Concentric.

Links Relacionados:
As gravadoras voltam a prensar LPs, é o fenômeno do ressurgimento do vinil.

Os velhos LPs estão voltando?

Vinis podem ressurgir no Brasil através da reativação da única fábrica de Lps da América do Sul, a Polysom.

A PolySom: Esforços Governamentais para sua volta.

14 comentários:

  1. O Technics já seria perfeito para mim, mas eu ainda prefiro aquele modelo antigo, prateado.

    Outro muito bom era aquele modulado da pré-Gradiente, que esqueço o nome agora.

    ResponderExcluir
  2. Tenho o modelo antigo Technics SL-Q03 prateado.
    Um que se tornou lenda da Gradiente foi Garrard, que ela encampou, mas ele era belt-drive.

    ResponderExcluir
  3. "os audiófilos descobrem cada vez mais as deficiências das gravações digitais: baixa fidelidade ao som original, falta de profundidade, pobreza timbrística e estridências desagradáveis aos ouvidos."


    Alguém poderia explicar desde quando um LP é melhor do que um CD?
    Quando eu era criança, o que eu mais ouvia nos LPs eram chiados, som abafado, estalos e por muitas vezes a agulha ficava repetindo um trecho da música.
    Não entendo agora dizerem que querem a volta dos discos. Me parece loucura.

    ResponderExcluir
  4. Não se aflijam, isso passa logo.

    ResponderExcluir
  5. Por esse preco, vou vender meu passa disco antigo. Um National de 1970. huahaua. Tava encostado aqui. Revisao nele...

    ResponderExcluir
  6. O Som do LP pode ter chiados e cliques, mas é mais cheio, quente e rico em timbres.
    O som digital - lossless data compression - é limpo, mas frio, fraco e pobre em fidelidade.
    Imagina porque o CD nunca foi classificado dentro das especificações do High Fidelity?
    Por causa das perdas na conversão A/D, D/A.
    Já o LP preserva muito mais o som original dos instrumentos e o peso, tanto que muitos roqueiros não vendem seus LPs por nada deste mundo.

    ResponderExcluir
  7. Na verdade o comércio do vinil nunca deixou de existir. Discos clássicos são muito procurados pelo fato de serem melhores que o disco compacto. O cd limita a frequência das ondas sonoras, tornando a reprodução um tanto pobre.

    Na Europa, quando a "onda" no mundo era ter apenas CD, as músicas extras de uma gravação vinham apenas em vinís. Tática esta utilizada de maneira inversa quando o cd estava sendo implantado no mercado audiofônico.

    ResponderExcluir
  8. José Augusto11/11/2008 12:48

    "Alguém poderia explicar desde quando um LP é melhor do que um CD?
    Quando eu era criança, o que eu mais ouvia nos LPs eram chiados, som abafado, estalos e por muitas vezes a agulha ficava repetindo um trecho da música. Não entendo agora dizerem que querem a volta dos discos. Me parece loucura."

    Nobre colega, pelo seu comentário você só ouviu LPs ruins e mau cuidados em vitrolas ruins. Seria o equivalente a você andar em um carro velho, todo esbagaçado e dizer que odeia carros. Procure ouvir bons LPs em bons toca-discos e depois me diga o que achou.

    ResponderExcluir
  9. José Augusto11/11/2008 12:54

    "O Som do LP pode ter chiados e cliques, mas é mais cheio, quente e rico em timbres."

    isaias, os LPs audiófilos importados não possuem chiados, cliques. Enfim não apresentam ruído algum de fundo.
    Os Garrard eram em sua maioria tracionados por polia, o que não é inconveniente, já que existem excelentes toca-discos de polia, como o Garrard Zero 100. O importante é o projeto e construção do sistema de tração, seja ele qual for. Enfim, não existe um sistema de tração melhor que outro.

    ResponderExcluir
  10. Quem fala que LP chia nunca teve equipamento bom, só equipamento de plástico, nunca soube que LP se lava, nunca soube como tratá-los e imagine, nunca soube na sua vida o que é fazer um VTA num direct-drive de primeira. A cultura tecnológica é como um farol para os cegos.

    E mais: Não sabe que CD é uma cópia do LP, pois CD é cópia de analógico, justamente o que o LP é, uma mídia analógica onde o sinal está inteiro, sem amostragens, vale dizer, sem "fatiamentos" no sinal. Cópia nunca será melhor que o original. E aliás, o LP sempre acrescenta, o CD sempre tira. Dê uma olhadinha em http://vinilnaveia.blogspot.com ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
  11. Gente, é verdade que os Lps tinham essas vantagens citadas nos outros comentarios, mas é óbvio que já há tecnologia digital que supera o analógico, nós só não temos acesso por um motivo simples: retornar ao analógico, apesar de um retrocesso, é o sonho de toda a indústria musical, já que piratear Lps não é tão fácil quanto piratear Cds. A indústria só percebeu que o digital era um tiro no pé tarde demais. O analógico vai permanecer no nicho das pessoas que conseguem perceber a diferença sonora, e isso é a minoria. Pelo menos até termos acesso ao digital de alta fidelidade.

    ResponderExcluir
  12. Pena que a indústria fonográfico tenha perdido o bonde da história. Atualmente, a única mídia que eu compraria com prazer é disco ótico de áudio gravado analogicamente. Não acredito que um dia o som digital atinja o padrão Hi-Fi.

    ResponderExcluir
  13. O Digital é para a maioria das pessoas que não possuem condições financeiras. Elas compram um mini system no supermercado e escutam seus cd(s) e mp3. Essas pessoas na época do analógico não tinham dinheiro para comprar equipamentos hi-fi. Quando muito tinham 3 em 1 ou vitrolinha de plástico, e o som era horrível. O analógico LP, fita cassete, rolo etc. é para quem tem dinheiro, pois os equipamentos custam caro. Continuarão restrito a poucos. O povão vai continuar no digital, pois é a qualidade que o bolso deles pode adquirir.

    ResponderExcluir