Pesquisar

19 de mai de 2008

O que é Iluminismo?


A decorrência natural do fim da Idade Média, concomitantemente à perda de força do poder eclesiástico, foi a antropocentrização da compreensão do mundo, culminando no século XVIII com o aparecimento do movimento intelectual conhecido como Iluminismo.
O deslocamento da fonte de explicação das causas divinas para a inquerição do homem trouxe como conseqüência o surgimento da nova fonte da verdade: a investigação científica substituindo o ato de fé. Os iluministas impuseram o retorno aos ideais gregos de autonomia do pensamento, trazendo novo sentido à frase de Protágoras: “O homem é a medida de todas as coisas”.

Porém, a ressurgência da antiguidade não se fez como mera repetição do modo grego de pensar, porque o alvorecer da modernidade trouxe consigo um ingrediente novo, sem o qual o ideário iluminista não teria sentido, a subjetividade, que é a marca definitiva da era moderna. Apesar de a individualidade ter tido seus primeiros arroubos na figura de Sócrates, foi preciso mais de um milênio de história para que o reino do indivíduo pudesse se estabelecer, sintetizado sob a figura da classe burguesa, que acabou se confundindo a própria essência da modernidade.

Como classe tornada dominante na altura do século XVIII, o Iluminismo reflete os valores caros à burguesia. O fim da metafísica teológica e a decadência da transmissão do poder político e econômico por critérios de consangüinidade retiraram da Igreja e da Aristocracia o papel de balizadores do conhecimento, que agora eram transferidos à razão e à ciência.
Os iluministas elegeram a razão como base não só da busca de conhecimento, mas também como arbitradora das questões sociais, momento em que foi possível a criação da concepção de igualdade entre todos os homens plasmado na máxima iluminista da “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”.

A novas idéias se espalharam pelo mundo civilizado, como se fosse luz nas trevas dos países que ainda viviam sob o jugo de sistemas feudais ou aristocracias decadentes, por isso os filósofos propugnadores da nova concepção foram considerados como integrantes do movimento da Ilustração.
Os ideais iluministas permanecem fortes até hoje sob a forma do culto à razão e à “verdade” da ciência, a crença incondicional na capacidade do homem em resolver seus problemas, à liberdade política e religiosa e na firme vontade de universalização do princípio dos direitos humanos.

A grande discussão sobre o ideário iluminista foi estabelecida a partir do momento em que a raça humana se deparou com a realidade da tragédia ecológica, causada justamente pela consumação dos ideais que elegeram o homem como obra suprema da natureza e seu justo dominador. A mudança no estilo de vida consumista e alienado significa também uma revisão das máximas iluministas que concederam ao homem um poder ilimitado de expansão e, logicamente, de destruição da natureza.

Em países como o Brasil, altamente iluministas, o discurso recorrente do desenvolvimentismo reflete o pensamento pré-catástrofe ecológica de que tudo no planeta deve se curvar à vontade do homem, de que a natureza foi criada para ser usada como meio para servi-lo. Felizmente o pensamento Iluminista está perdendo a sua coerência lógica frente aos resultados desastrosos do crescimento humano infinito.

Fonte:
Dialéctica del Iluminismo - Horkheimer; M. y Adorno, T.W.
Referências: http://blogpaedia.blogspot.com/2008/04/qual-origem-do-termo-idade-mdia.html
http://blogpaedia.blogspot.com/2008/05/o-que-era-vida-privada-na-idade-mdia.html
http://blogpaedia.blogspot.com/2008/05/qual-origem-do-termo-idade-das-trevas.html

Iluminismo, história, aristocracia, burguesia, ecologia, modernidade

6 comentários:

  1. eu não gostei pq não tem bibliografia no texto!!!
    uashuashu eu vou cobrar em......

    ResponderExcluir
  2. Está solucionado o teu problema! Coloquei a bibliografia, só que vais ter que ler em espanhol.

    ResponderExcluir
  3. Eu queria um simples e PEQUENO resumo sobre o iluminismo ! beijooos :*

    ResponderExcluir
  4. Então tente este, que beeem mais suscinto http://www.blogpaedia.com.br/2009/09/tipos-de-mulheres-segundo-as-escolas.html

    ResponderExcluir
  5. Belo texto. Sinceramente admiro a facilidade com que sintetiza. Nada fácil.
    De facto a Revolução Francesa foi um virar de página na nossa civilização. Tirando os desmandos próprios das revoluções, o fim do poder absolutista e o retirar dos previlégios na nobreza, foi um passo importante para o povo. Deu-lhe direitos. Claro que depois a burguesia conduziu o sistema e obteve um dominicio social.
    Gostei bastante de ler Rousseau, porém aquele ensaio Discurso sobre as Artes e Ciências, para mim é polémico. Ainda sou jovem mas, era ainda mais quando o li e na altura fiquei com a sensação de que estava ali os primeiros passos para o comunismo. A religião civil. Foi sem dúvida um dos grandes filósofos e não posso negar que foi o precursor do romantismo.
    Bom, eu uma formiga aqui a dissertar, me desculpe.

    ResponderExcluir
  6. caramba td text que eu ach sbre iumnismo e tipo "gigantesco"...

    ResponderExcluir